Teses e Dissertações

Inserido na grande área da Comunicação e Informação, o Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano desenvolve pesquisas que abrangem temáticas que integram as investigações da área, em um recorte específico que é a relação da Mídia com o Cotidiano, no espectro da sua área de concentração que é “Discursos Midiáticos e Práticas Sociais”. Assim, as pesquisas do corpo discente trabalham as questões e demandas pertinentes a este foco, divididas, ainda, nas duas Linhas de Pesquisa do Programa.

As Teses e Dissertações disponibilizadas aqui, foram organizadas a partir do ano de defesa. É possível consultar o Resumo do projeto de pesquisa e, também, o texto completo no link que leva diretamente ao Banco de Dissertações da Universidade Federal Fluminense. Qualquer dificuldade de acesso favor entrar em contato com o PPGMC através do e-mail: pmc.ega@id.uff.br.

Vale destacar que as primeiras defesas aconteceram em 2015, ou seja, 24 meses após o ingresso da primeira turma do Programa, que iniciou seu curso em 2013.

 

Dissertações

TURMA DE 2020


Ana Paula de Alencar

Competência crítica em informação e prática docente: uma análise sobre a relação do professor com a desinformação

Orientador: Marco André Feldman Schneider

Resumo: Esta dissertação de mestrado situa-se no campo das alternativas de resistência e combate à desinformação. Delimita-se na relevância da Educação nesse processo, tendo o professor como agente central. O objetivo principal é investigar a relação cotidiana dos professores da Rede Municipal de Ensino de Niterói (RJ) com a informação e os desdobramentos dessa relação em suas práticas docentes, em específico no combate à desinformação. Para a pesquisa empírica valeu-se do recurso da entrevista em profundidade e para a análise dos dados, utilizou-se o método do Discurso do Sujeito Coletivo. A discussão dos resultados fundamenta-se na revisão bibliográfica de teorias sociais críticas de inspiração dialética, em especial aquelas desdobradas nos estudos sobre cotidiano, comunicação, informação e educação. Destaca-se entre os resultados a relação predominantemente utilitária dos professores entrevistados com a informação, bem como a falta de formações e espaços de debate sobre o tema, que se desdobra em práticas pedagógicas fragmentadas de combate à desinformação. Esse resultado corrobora a hipótese inicial desta pesquisa, de que a relação do professor com a informação na sua cotidianidade é o que determina a forma e a profundidade da abordagem do tema da desinformação na sala de aula. Por isso, considera-se como necessária e urgente uma formação midiática para professores, que favoreça o desenvolvimento de competências críticas em informação, particularmente aquelas voltadas à compreensão e mediação da desinformação a partir de aplicações cotidianas de análises críticas dos textos e contextos.

Palavras-chaves: Desinformação; Alfabetização Crítica Midiática; Competência Crítica em Informação; Formação de Professores.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/25246

Caio Vinicius de Souza Oliva

A Escola em mediação com o digital em rede: as mídias e as significações cotidianas em tempos de pandemia

Orientadora: Walcéa Barreto Alves

Resumo: A presente dissertação tem por finalidade apresentar os resultados da pesquisa realizada no intuito de compreender as significações cotidianas no contexto do ensino não presencial articulado com o digital em rede em uma escola municipal de Niterói/RJ. O foco se voltou para os processos de mediação e midiatização refletidos nas interações, práticas e percepções dos sujeitos do ensino em suas ações escolares durante a pandemia da COVID-19. Para tanto, foi desenvolvida uma investigação baseada na abordagem etnográfica (MATTOS, 2011) em bricolagem com as pesquisas nos/dos/com os cotidianos (FERRAÇO, SOARES, ALVES, 2018). Os instrumentos de pesquisa foram a observação participante – ocorrida em encontros online, visitas presenciais à instituição e acompanhamento das interações na plataforma digital pedagógica da escola -, o diário de campo e o uso de questionários destinados aos estudantes. A análise dos dados foi realizada pela tematização das categorias analíticas (BARDIN, 1977) e com o suporte do software ATLAS.ti na organização e triangulação dos dados. O arcabouço teórico abarca fundamentos da relação entre educação e tecnologia (SILVA, 2010; SANTOS, 2019; 2020), comunicação e interações midiáticas (THOMPSON, 1998; 2018; HJARVARD, 2014; MARTÍN-BARBERO, 1997; 2008) e nos estudos sobre cotidiano (CERTEAU, 2014 [1980]). Os resultados apontaram para uma reinvenção do cotidiano escolar a partir das ações dos sujeitos escolares frente aos dilemas e imposições enfrentadas, buscando dialogar com a cultura digital contemporânea através da autonomia de suas práticas pedagógicas e interagindo com o digital em rede de formas diversificadas. Contudo, o estudo também traz os contextos digitais e as dificuldades de acesso cibercultural, manifestando as problemáticas e impedimentos em potencializar o processo de ensino-aprendizagem articulado com os artefatos tecnológicos. Conclui-se que o cenário investigado, em tempos de pandemia, apresenta uma experiência de educação mediada pelo digital em rede, no qual os praticantes, mesmo sem uma formação específica, desenvolveram mecanismos para buscar abrandar as problemáticas permeadas pelo contexto. O estudo aponta importantes elementos para o entendimento da educação e as relações tensionadas pelo digital em rede, em especial no contexto cibercultural que é perpassado por processos de midiatização do cotidiano.

Palavras-chaves: Comunicação e Educação; Digital em Rede; Mídias Digitais; Cotidiano.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/25944

Emanuela Neves do Amaral

Política Pública de comunicação para os povos indígenas no Brasil: Pontes entre as políticas públicas latino-americanas e o caso brasileiro

Orientador: Adilson Vaz Cabral Filho

Resumo: Em um contexto de escassez de políticas voltadas a comunicação indígena no Brasil, busca-se apontar caminhos para a resolução da problemática através da análise dos principais pontos que desencadearam as políticas públicas para esse setor na América Latina na década de 2000, no contexto dos governos progressistas da região. No processo de pesquisa analisa-se a investigação do processo de construção das principais políticas públicas implementadas na Bolívia e Argentina, a partir da atuação dos movimentos sociais e da sociedade civil. Analisou-se então, cada legislação aprovada, além de atas de encontros, assembleias, conferências e programas de governo. Ainda, foram entrevistados comunicadores indígenas brasileiros, para compreensão da realidade local. Em uma análise comparada com Argentina e Bolívia, observa-se caminhos para o início de um processo de formulação de políticas focadas na comunicação indígena. Entre eles: a necessidade de articulação do próprio movimento indígena em torno do tema; a construção de uma agenda nos movimentos amplos de comunicação no Brasil, que inclua as especificidades indígenas; a centralidade de abordar a discussão sobre a internet; e, em um âmbito mais amplo, coloca-se a necessidade da construção de uma plataforma de governo que tenha na sua agenda a democratização da comunicação no país e que, nisso, inclua-se o direito originário indígena à comunicação.

Palavras-chaves: Comunicação indígena; políticas de comunicação; economia política da comunicação; movimentos sociais.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/25953

Esther Karollinne Carvalho Laranja

Menstruação, o sangue impuro: O papel da publicidade no reforço da identidade feminina construída para o consumo

Orientadora: Patrícia Gonçalves Saldanha

Resumo: O presente estudo pretende compreender qual o papel da publicidade de absorvente íntimo e coletor menstrual no reforço da identidade feminina construída para o consumo. Partimos da problematização de que os anúncios publicitários, por criarem desejos e necessidades, ditam de forma pedagógica como as mulheres devem se comportar, ser e lidar com a própria menstruação, reforçando um discurso hegemônico patriarcal, classista e elitista. Para isso, serão analisadas peças publicitárias da marca Always e Fleurity postadas na rede social Instagram durante o mês que se comemora o dia de visibilidade menstrual especificamente no “Dia da Visibilidade Menstrual” nos anos de 2019 e 2021 (a escolha se deu por demarcar um ano antes e um ano depois da pandemia). Deste modo, o corpus servirá de base para analisar qual discurso usado para o reforço do tabu menstrual e da vulva enquanto tema ainda muito presente na sociedade atual. Para compor a metodologia, realizamos uma revisão bibliográfica do referencial teórico sobre o próprio tema investigado e sua vinculação aos conceitos de mídia e cotidiano, além da averiguação das representações femininas e do fluxo menstrual durante os períodos de coleta do material. Para tanto, definimos, a Análise Semiótica como método para base analítica para compreensão corpus e verificação da hipótese. A perspectiva sobre a mulher e a menstruação de Sardenberg (1994) e Ratti et al (2015), cotidiano de Heller (1992), representação de Stuart Hall (2010) e a espetacularização da imagem de Sodré (2006) e Debord (1997) serão algumas conceituações aqui abordadas para o desenvolvimento do material teórico. E para finalizar, serão utilizados os textos de Peirce (1995) e Perez (2016) para análise e discussão do uso da semiótica publicidade.

Palavras-chaves: Tabu da Menstruação; Espetacularização da Vulva; Publicidade do absorvente Always; Coletor menstrual – Fleurity; Dia da Visibilidade Menstrual; Pobreza Menstrual; Análise Semiótica; Instagram do Cotidiano.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/26874

Jader Lucio da Silva Júnior

Professor Instagrammer: produções cotidianas de sentidos nas mediações entre professores influenciadores digitais e seus seguidores

Orientador: Alexandre Farbiarz

Resumo: O objetivo geral dessa dissertação é entender como as mediações entre os professores/influenciadores e seus seguidores no Instagram estão ligadas ao cotidiano e à produção de sentidos. As implicações da pesquisa residem na compreensão de que a transformação das mediações afeta a produção de sentidos e reflete na práxis cotidiana. Nesse estudo qualitativo, foi estabelecido um arcabouço teórico clássico e relacionado com publicações atuais sobre representações nas mídias, expandindo conceitos anteriores à Internet para pensar as transformações cotidianas advindas das mudanças em como lidamos com a mídia. Parti dos conceitos de identidade (BAUMAN, 2001; HALL, 2006) e espetacularização (DEBORD, 2007), alinhados às reflexões sobre a intimidade em mídias sociais (SIBILIA, 2016) e o entendimento do cotidiano (HELLER, 2008; LEFEBVRE, 1991). Assim, defini o sujeito que se expõe nas redes, fabrica uma intimidade e espetaculariza o cotidiano como local da repetição da vida moderna, criando uma relação de proximidade com os seus seguidores. Ao pensar a construção da persona espetacularizada, entendi o self (GOFFMAN, 2014) a partir da ótica das mídias (HJARVARD, 2013, 2014) e das mediações (MARTÍN-BARBERO, 2009, 2014) para identificar o papel do Instagram nas relações sociais. O professor foi versado como influenciador, para descobrir as emergências da apropriação midiática no processo de ensino, considerando o pensamento dialógico (BAKHTIN, 2017) e a noção da construção sociointeracionista do conhecimento (VYGOTSKY, 2007). Realizei uma pesquisa netnográfica (KOZINETS, 2015), com imersão em campo entre 01/01/2022 e 31/03/2022, nos perfis dos professores @professoracarolmendonca, @professornoslen e @professorsacramento. O banco de dados resultante foi composto por postagens no feed – com as reações interativas de likes, comentários e respostas, Stories, contato participativo com os seguidores por mensagens diretas esclarecidas e diário de campo. Realizei a análise com auxílio do software Atlas.ti por meio da codificação dos documentos em citações ligadas aos códigos básicos, que exprimem de forma variada os sentidos ao serem relacionados entre si. Como resultado, descrevi as possibilidades de produção de sentidos nas mediações observadas e as influências que elas exercem na vida cotidiana. Constatei que, ao assumir papel de influenciadores e exercer processos educacionais em um espaço produzido e orientado ao consumo, os professores tornam possível que os seguidores sejam afetados em suas próprias percepções identitárias. As táticas exercidas no contato ubíquo entre os agentes podem alterar a práxis cotidiana e contribuir de forma disruptiva na democratização da educação e no pensamento crítico sobre o ambiente onde as mediações acontecem. Concluí que a potencialidade do afeto gerado pelas mediações transpassa a figura da persona que se mostra no Instagram e atinge a pessoalidade do sujeito, transformando a realidade por meio da identificação como produtora de sentidos identitários que reflete na vida cotidiana. Faz-se necessário uma leitura crítica constante para traçar as possibilidades de sentidos mediadas e buscar no entendimento as maneiras de agir que potencializam a transformação da realidade social, na construção de um processo educativo contínuo que movimente a autopercepção e posição dentro de determinado contexto sociocultural.

Palavras-chaves: Cotidiano; Educação; Influência; Identidade; Mediação.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/27663

Kerllon Lucas Gomes Silva

Cartografias de traduções de imagens cinematográficas: uma proposta de emancipação de espectadores com deficiência visual frente as generalizações das visualidades cotidianas

Orientadora: Dagmar de Mello e Silva

Resumo: Por compreendermos que as imagens assumem protagonismos na vida cotidiana, este trabalho pretende promover “a suspensão do cotidiano” (HELLER, 2014) das pessoas cegas a partir do acesso à arte e a cultura audiovisual, através de audiodescrições que promovam uma estética das imagens, que lhes possibilitem uma relação de “espectadores emancipados” (RANCIÉRE, 2012) frente as imagens do cinema; assumindo uma proposta de caráter ético e estético. Por meio de um estudo mais aprofundado das características técnicas dos meios de comunicação, tomamos o cinema como arte, propondo-o como dispositivo de elevação da vida cotidiana. Desse modo, a audiodescrição (AD) pode ser esta tecnologia social de acessibilidade que se ocupa em mediar essa suspensão, oportunizando uma legítima constituição narrativa e um acesso às visualidades cotidianas das pessoas cegas. Refutando as principais diretrizes técnicas e a cadeia produtiva do mercado de AD, propomos, através de uma consultoria contínua com pessoas cegas, novas possibilidades para pensarmos uma estética de tradução das imagens, garantindo o paradigma “nada sobre nós, sem nós”. Por meio da cartografia e da pesquisa intervenção, orientação metodológica que prestigia a subjetividade humana, colhemos narrativas que comprovaram nossas hipóteses, propiciando a estes espectadores cegos uma relação criadora de sentidos próprios com as imagens.

Palavras-chaves: Cotidiano e mídia; Imagem; Audiodescrição; Tradução; Estética.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/25945

Luana Matos do Nascimento

O fenômeno nordestino no YouTube: Os casos de Whindersson Nunes e Thaynara OG

Orientador: Pablo Nabarrete Bastos

Resumo:Este trabalho possui como objetivo principal analisar como os influenciadores digitais nordestinos Whindersson Nunes e Thaynara OG representam o Nordeste e seus habitantes. Para tal, teve como metodologia pesquisa bibliográfica e documental, buscando compreender como os nordestinos costumam ser representados na mídia hegemônica para assim verificar se os influenciadores trazem uma nova representação acerca da região, ou reproduzem estereótipos e estigmas presentes na representação hegemônica. Como base teórica, abarcou a análise crítica do discurso, os campos teóricos dos Estudos Culturais e da Economia Política da Comunicação. Por isso, buscou-se antes compreender o cotidiano nordestino e como a hegemonia se impõe a ele. Após essa análise, chegou-se à conclusão que tais influenciadores são sujeitos circunscritos à materialidade e por isso, por vezes, tem posicionamentos complexos e contraditórios. Subordinando-se, assim, a diversas demandas impostas pelo modo de produção capitalista, mas também buscando novas representações sobre o Nordeste e seus habitantes.

Palavras-chaves: Nordeste; Representação; Hegemonia; Influenciadores Digitais.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/26873

Luciana Costa da Silva

Nem mulata, nem doméstica: a visibilidade de meninas e mulheres negras no cotidiano escolar mediada pelo projeto A Cor da Cultura

Orientadora: Carla Baiense Felix

Resumo: O propósito dessa pesquisa é compreender como as professoras de uma escola da Rede Pública Municipal de Educação de Niterói se apropriam e utilizam as representações das meninas e mulheres negras dos programas do Projeto A Cor da Cultura, destinado ao ensino e à valorização da História e da Cultura negras no cotidiano escolar e no combate ao racismo em uma perspectiva interseccional. Dessa forma, iniciamos nossa investigação realizando um levantamento do material produzido pelo projeto, que é produzido a partir de dois componentes norteadores: a produção audiovisual e a formação de professores. Pensando na potencialidade desses recursos para o “fazer” docente na educação para as relações étnico-raciais no cotidiano escolar, realizamos uma pesquisa de campo em uma escola da rede pública de Niterói, através de entrevistas em profundidade com as professoras que nela atuam com o segmento infantil. Ao final, analisamos, com base nos conceitos discutidos nesta pesquisa, os dados colhidos junto às entrevistadas sobre como o Projeto A Cor da Cultura foi aplicado e desenvolvido na rede de ensino, quais os objetivos e resultados. Também investigamos a percepção das professoras sobre a importância da aplicação da lei 10.639/03 no combate à opressão (FREIRE, 1996, 2003) e ao apagamento da história e da cultura das pessoas negras a partir do cotidiano escolar (HELLER, 2014; KOSIK, 1976), especialmente no que se refere às meninas e mulheres negras, que precisam se contrapor às imagens de controle (COLLINS, 2019; GONZALES, 1984) a elas impostas, resistindo ao “lugar” destinado a elas na estrutura de poder racista e sexista (ALMEIDA, 2019; KILOMBA, 2019; NASCIMENTO, 2020) e reivindicando a condição de sujeitas históricas.

Palavras-chaves: Mulheres negras; Lei 10.639/03; Cotidiano escolar; Imagens de controle; Projeto A Cor da Cultura.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/25245

Maíra Medeiros Carvalho Xavier

Quem influencia os influenciadores? A cadeia da influência e o mercado digital. 

Orientador: Adilson Vaz Cabral Filho

Resumo: Esta dissertação possui como objetivo principal compreender a cadeia da influência que atua por trás do influenciador digital ao mesmo tempo em que discute o papel chave que o influenciador possui ao fomentar o consumo. O surgimento das plataformas digitais com modelos de negócio voltados para a distribuição de conteúdos audiovisuais e volume de acessos configurou uma nova figura – o influenciador digital. Esse fenômeno é estruturado pela algoritmização e pela datificação, que refletem na hegemonia dos conteúdos ou espaços e no próprio lugar em que o influenciador se encontra. Diante do uso vertiginoso das plataformas digitais por parte da audiência e da capacidade de o influenciador gerar conexão com seu público, o mercado passa a usar a figura do influenciador para tornar cada vez mais próxima a relação entre marca e consumidor. Nesse contexto, essa dissertação aborda a cadeia da influência, estrutura formada por intermediadores culturais, termo cunhado por Rojek (2008).

Palavras-chaves: Influenciadores digitais, cadeia da influência, mercado digital, plataformas digitais

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/25847

Marlos Augusto Rangel Mendes

Memórias da radioescuta no jornalismo carioca: Histórias de uma prática de reportagem central na cobertura de crimes e cidade na segunda metade do século XX

Orientadora: Rachel Bertol Domingues

Resumo: O presente trabalho tem por objeto um local e uma prática jornalística que existiu entre o começo dos anos 1970 e o começo dos anos 2000 nas redações de jornais do Rio de Janeiro chamada Sala de Escuta ou apenas Escuta. Consistia em um lugar para monitoramento das comunicações de emergência da polícia e de outros serviços públicos por meio de um rádio rastreador em busca de matéria-prima para produção noticiosa. Tendo como eixo teórico a proposta de história dos sistemas de comunicação, aplicou-se a metodologia da história oral em busca de relatos memoráveis de profissionais direta e indiretamente envolvidos com a Escuta, a saber, jornalistas e policiais militares. O objetivo foi abordar a história do jornalismo por meio da construção de um relato memorável sobre franja de atuação importante, mas que não tem sido objeto de estudos, e construir um relato sobre o papel da Escuta na produção noticiosa, os aparatos técnicos e os atores sociais envolvidos, assim como as tensões e contradições ao seu redor. Foram feitas entrevistas por videoconferência em decorrência da pandemia de Covid-19 e buscou-se cotejar os relatos sobre reportagens citadas com as páginas dos periódicos acessíveis em coleções digitais. A pesquisa aborda a história do rádio no Brasil e a criação dos serviços de radiopatrulha, ambos como expressões de anseios de modernização e progresso, na primeira metade do século XX, como preâmbulo para investigar o objeto Sala de Escuta. A partir dos relatos dos entrevistados, tentou-se caracterizar a Escuta como: um lugar de noticiabilidade, por atuar na captação de matéria-prima noticiosa, obedecendo a critérios de valor-noticia; um lugar de socialização e aprendizado, onde o novato era apresentado a códigos de conduta do grupo profissional e adquiria habilidades práticas e ferramentas cognitivas para o exercício do jornalismo; um lugar de invisibilidade, pois a função envolvia muita cobrança, pouco reconhecimento e reduzidas chances de ascensão para o profissional, e um lugar de clandestinidade, pois havia a percepção de que a Escuta era uma atividade ilegal. Dessa forma, construiu-se um relato memorável sobre uma rotina produtiva que pode servir de contribuição para os estudos de memória do jornalismo.

Palavras-chaves: Sala de Escuta; Radioescuta; jornalismo policial; memória do jornalismo

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/26418

Mateus Queiroz Saraiva

O dito e o não dito no Twitter: análises sobre as estratégias para a eleição à prefeitura do Rio de Janeiro em 2020

Orientadora: Rachel Bertol

Resumo:A disputa pela prefeitura do Rio de Janeiro em 2020 ocorreu em eleições marcadas por circunstâncias atípicas, como a pandemia de Covid-19 e a ascensão da extrema direita no pleito anterior. O cenário político carioca também estava marcado por sucessivas prisões de ex-governadores. Investigar os efeitos desses fatores, por si só, já seria relevante. Porém, nos últimos anos, a política se adaptou às plataformas de redes sociais, em especial o Twitter, que, atualmente, configuram o ambiente principal da comunicação, abrangendo as informações buscadas pela sociedade e os recursos de interação e integração social (GOMES, 2021a). Com isso, os atores políticos ganharam novas obrigações, estratégias e riscos em suas interações com a sociedade (THOMPSON, 2018) e o eleitor reconfigurou seus modos de refletir sobre a política e consumir informação política. Dessa forma, investigamos as mensagens no Twitter sobre Eduardo Paes e Marcelo Crivella e monitoramos os respectivos perfis oficiais durante a eleição para a prefeitura do Rio de Janeiro em 2020. A pesquisa abarca diferentes análises sobre mais de 345 mil tweets, revelando as estratégias adotadas pelos candidatos e os temas e os perfis mais presentes. Os resultados mostram que o perfil de Paes foi muito mais ativo e dialógico no Twitter, enquanto Crivella foi mais citado pelos usuários. Além disso, as campanhas buscaram acionar o eleitor a partir da desqualificação do adversário, logo a plataforma foi mais utilizada como palco de afrontas e proteção do poder simbólico e pouco como um ambiente para o debate de pautas e ideias. Ressaltamos que os debates eleitorais televisivos aumentaram a quantidade das publicações e pautaram as conversas na rede social.

Palavras-chaves: Comunicação Política; Eleição municipal; Eleitor; Twitter.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/26854

Priscila dos Santos Silva

Comunicação pública e sustentabilidade: um estudo sobre o envolvimento com as ações nas universidades federais

Orientadora: Flávia Clemente de Souza

Resumo: Considerando as relações entre o papel da universidade pública e comunicação para voltada para sustentabilidade, este estudo teve como objetivo investigar o quanto e como a comunicação pública organizacional das universidades federais se envolve com as ações de sustentabilidade, seja no âmbito administrativo ou acadêmico, compreendendo os aspectos de cada instituição. Para isto, realizamos um procedimento empírico utilizando o método hipotético-dedutivo de abordagem mista para coletar impressões de diferentes perfis de universidades. Aplicamos, portanto, um questionário a profissionais de comunicação todas as universidades federais do Brasil para uma investigação preliminar com objetivo de averiguar como os setores de comunicação tratam o tema da sustentabilidade e, posteriormente, realizamos entrevistas individuais com um representante de uma amostra de instituições respondentes. Essas entrevistas foram submetidas à metodologia de análise de conteúdo com o suporte de uma literatura de validação científica das áreas de comunicação pública, sustentabilidade e comunicação organizacional, além de um material de gabinete referente a documentos de organizações e dispositivos legais com relevância para o objeto de pesquisa.

Palavras-chaves: Comunicação pública; comunicação organizacional; sustentabilidade; universidade.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/25055

Rebeca Letieri Guasti da Silva

Desinformação nas eleições 2018: Destrinchando as notícias falsas que favoreceram Jair Bolsonaro

Orientadora: Larissa Morais

Resumo: A presente pesquisa busca analisar o uso de fake news durante a campanha do presidente eleito, Jair Bolsonaro, por meio da investigação da construção da narrativa e do enquadramento dessas peças de mídia. A hipótese é que houve um direcionamento, em termos de uso de linguagem, configuração visual e enquadramento, para influir sobre grupos específicos de leitores e, desse modo, influenciar o resultado do pleito de 2018. Nesse sentido, a proposta é analisar o enquadramento de 104 notícias, caracterizadas como falsas por agências de fact checking, que foram prejudiciais ao segundo colocado nas pesquisas e nas urnas, Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores, beneficiando, assim, o seu opositor.

Palavras-chaves: campanha política, desinformação; redes sociais; eleições; credibilidade.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/26421

Rodrigo Di Santo Pastore

Memórias midiáticas do indie rock brasileiro: Cenas cruzadas de um nicho musical

Orientadora: Denise Tavares da Silva

Resumo: Esta pesquisa tem como foco discutir a representação e memória do cenário indie rock no Brasil a partir dos documentários “Roques de Quarto”, “Novos Goianos” e “Guitar Days – An Unlikely Story Of Brazilian Music”, analisados após um percurso investigativo que se valeu de uma gama de produções midiáticas vinculadas a este nicho musical, além da vivência semi- biográfica do investigador. Isto é, a pesquisa assumiu que essas obras audiovisuais tratam de um nicho praticamente invisível para o mainstream musical e, por isso mesmo, considerando seus objetivos, valeu-se de uma “memória anterior” desenhada por um levantamento dos registros midiáticos dos anos 1990 que tratavam do indie rock, e da própria vivência desse investigador enquanto músico vinculado a esse movimento. O processo permitiu “cruzar as cenas” das temporalidades e espaços distintos, e também analisar como todo o material midiático levantado apresenta o modo como esses músicos circulam e se integram ao cenário musical contemporâneo do país, a partir do lugar a que dizem pertencer. Em função das questões que mobilizaram a investigação, sua construção metodológica incluiu, além do levantamento documental e da análise das obras, revisão bibliográfica sobre a memória, em especial a partir do que apontam Paul Ricoeur (2018), Maurice Halbwachs (1990) e Michel Pollak (1989). Outros autores fundamentais para as discussões levantadas são Michel Maffesoli, – particularmente o seu conceito de tribo (2014); Michel de Certeau, na discussão que tece sobre o cotidiano; Marco Toledo Bastos (2012), no debate acerca da midiatização e Claus Clüver (2016), com o conceito de intermidialidade. Já Denise Tavares (2013), Silvio Da- Rin (2004) e Jacques Aumont (1993) contribuíram para a análise fílmica.

Palavras-chaves: documentário; representação e memória; indie rock; nicho musical; cotidiano.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/26420

TURMA DE 2019


Allan da Conceição Jayme

Cotidiano, merchandising e interações da TV com as mídias sociais: um estudo de caso da personagem Vivi Guedes

Orientadora: Renata de Rezende Ribeiro

Resumo: Vivemos em um mundo conectado. Com o passar dos anos, as barreiras entre o mundo online e o mundo físico estão mais híbridas. Os indivíduos, cada vez mais, tendem a interagir no mundo digital por múltiplas telas. O pensamento de Oscar Wilde (1909) que diz que “a vida imita a arte muito mais do que a arte imita a vida” é um exemplo que debates sobre o entrelaçamento entre ficção e realidade não são atuais. A pesquisa se propõe a analisar a inserção de personagens da ficção como personalidades no mundo físico, no processo de transmidiação nas tramas da teledramaturgia brasileira e como este processo vem sendo refinado pelas empresas. Através de pesquisa combinada, entre percurso bibliográfico, enquete realizada através de questionário compartilhado nas redes sociais e análise de conteúdo, objetivamos compreender o modelo de integração entre as mídias sociais e a teledramaturgia brasileira, a partir do estudo de caso da personagem “Vivi Guedes”, da novela das 21 horas da TV Globo “A dona do pedaço (2019), contextualizando e conceituando a ideia de personagem (persona) e suas características em análise dividida em dois momentos: novela (televisão) e Instagram (rede social). O objetivo foi compreender os efeitos transmidiáticos que ocorreram durante a exibição da novela e nos intervalos do folhetim, atrelados às redes sociais digitais, com a intenção de projetar o perfil interativo deste produto televisivo para compreender e qualificar de que forma as interações do público, através das redes sociais, são captadas e utilizadas nas telenovelas.

Palavras-chaves: Cotidiano; Televisão; Aplicativos de redes sociais; Transmídia; Interatividade; Personagem Vivi Guedes

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/25949

Adrian Busch Pereira Costa

Desafiando a heteronormatividade no YouTube: possibilidades e limitações de uma disputa cotidiana. Um estudo de caso do Canal Luci Gonçalves

Orientadora: Carla Baiense Felix

Resumo: Esta pesquisa é sobre o potencial da utilização do YouTube para propagação de conteúdos não-heteronormativos. Em um cenário de cristalização da heteronormatividade na mídia hegemônica, pensamos na cultura digital, que tem potencial para ser um espaço mais democrático de comunicação, como um ambiente para promoção de conteúdos alternativos à heteronormatividade. Fizemos uma pesquisa bibliográfica para fundamentação conceitual da discussão baseada principalmente no pensamento feminista negro, depois um levantamento e breve análise dos canais LGBTQIA+ nesse ambiente comunicacional a fim de refletir sobre o cenário em que estão inseridas essas produções. Por fim, realizamos uma entrevista com Luci Gonçalves, produtora de conteúdo que fala de suas vivências e é uma mulher bissexual, negra e periférica. Com isso, buscamos entender melhor a produção desse conteúdo, a relação com a plataforma e com o público. Nosso trabalho pretende observar a utilização da plataforma para popularização de narrativas não hegemônicas, especificamente no que se refere à diversidade sexual e de gênero. Defendemos que as representações e expressões de mulheres lésbicas e bissexuais na plataforma são uma forma de utilizar o YouTube para projeção de vivências não heteronormativas e buscamos compreender de que forma essas mulheres usam a sua produção de conteúdo como ativismo digital. Nosso objetivo é tensionar a ideia de comunicação democrática e plural na internet a partir da identificação de padrões hegemônicos que se repetem, bem como identificar se é possível falar de empoderamento e ativismo digital LGBTIQA+ no YouTube.

Palavras-chaves: Heteronormatividade; LGBTQIA+; Representação de mulheres não-hétero; Ativismo digital

Link: em breve (processo de inclusão no Repositório UFF)

Carolina Barreto da Silva Gaspar

A criminalização das manifestações de rua nas páginas do jornal O Globo: quando 2013 encontra 1968

Orientadora: Larissa de Morais Ribeiro Mendes

Resumo: Esta dissertação faz uma análise comparativa de como o jornal O Globo cobriu as jornadas de junho de 2013 e as principais manifestações de rua de 1968 – assassinato de Edson Luis, Sexta-Feira Sangrenta e Passeata dos Cem Mil. A hipótese central do trabalho é a de que a forma como o jornal cobriu essas manifestações em momentos tão distintos da História do Brasil muda pouco no essencial. O Globo preserva uma abordagem conservadora, e até mesmo autoritária, na cobertura das manifestações de rua. O trabalho se estrutura a partir da análise dos enquadramentos que mais se repetem em cada uma dessas coberturas, pensando seu significado e efeitos. A constatação de que há muitas semelhanças entre elas não nos impede, no entanto, de perceber que a de 2013, diferentemente da de 1968, vai se modificando ao longo do tempo conforme aumentava o contingente de pessoas que saía às ruas. Realizamos uma análise quantitativa, aprofundada por uma abordagem qualitativa, de todas as matérias referentes às manifestações publicadas entre os dias 07 e 21 de junho de 2013, 29 de março e 4 de abril de 1968, 22 de junho de 1968 e 27 de junho de 1968. Para evitar repetições desnecessárias, optamos por trazer para a redação final deste trabalho apenas a análise qualitativa das matérias mais reveladoras dos enquadramentos recorrentes. A análise quantitativa, por outro lado, foi feita em cima de todo o corpus de reportagens do período mencionado. O fato de um dos principais jornais do país manter até hoje uma cobertura de manifestações feita a partir de padrões de representação já utilizados durante a ditadura empresarialmilitar nos leva a colocar em questão os limites da nossa democracia. Afinal, a imprensa é uma importante ferramenta de orientação do cotidiano, local de construção e desconstrução de valores da sociedade. Ela contribui para pautar as conversações entre as pessoas, orientar suas visões de mundo e também interfere nas ações das instituições. Se a imprensa criminaliza as manifestações de rua, influencia no olhar da cidadania sobre elas.

Palavras-chaves: cobertura; jornadas de junho de 2013; manifestações de 1968; enquadramento; representação; mídia e cotidiano

Link: em breve (processo de inclusão no Repositório UFF)

Daniel Alves Scarcello

Através do espelho: Cotidiano e banalidade do mal em Black Mirror

Orientadora: Denise Tavares

Resumo: Este trabalho foca a produção seriada Black Mirror, reconhecido fenômeno cultural de público e crítica. O objetivo é discutir como a série ancora (ou não) sua narrativa na “banalidade do mal” – conceito cunhado por Hannah Arendt, mas trabalhado em nosso texto em um diálogo ampliado com outros autores -, e nas relações e cenários cotidianos. Justificase o percurso da pesquisa no reconhecimento do produto audiovisual como elemento potente da cultura, em especial pela admissão de estarmos vivenciando o processo de midiatização, em que a relação mídia e cotidiano nos parece estruturante do tecido social. Nesta posição, problematizar as narrativas de uma série que reverbera em expressões acionadas no cotidiano midiático, soma-se aos esforços de localizar e compreender o papel da comunicação em uma sociedade que vivencia grandes dificuldades de superar suas desigualdades sociais. Tal lugar acionou, para nós, dois caminhos que se entrelaçaram nesta investigação. Um, que buscou levantar o “estado da arte” do seriado, identificando, em especial, como a mídia, a academia e o público (com uma breve amostragem exploratória) se relacionaram com a série. E, outro, em que empreendemos a discussão sobre a banalidade do mal e cotidiano em nosso objeto de pesquisa, observado, particularmente, por sua linguagem, narrativa, hibridização de gêneros e temáticas exploradas. Tais percursos foram realizados em diálogos com Zygmunt Bauman, Susan Neiman, Nadia Diniz, Agnes Heller, Douglas Kelnner, Jonathan Crary e John B. Thompson, entre outros. Vale ressaltar que nossa metodologia é quanti-qualitativa e se estrutura em processo dialético, isto é, parte da própria série e a ela volta, o que, na dissertação, significou apresentar, em termos quantitativos, como esse “mal” está presente nas narrativas de Black Mirror, e a destacar um episódio representativo de cada uma das três chaves argumentativas que localizamos: “Smithereens”, “Black Museum” e “Manda quem pode”. Com esse percurso metodológico acreditamos ter localizado que os elementos do cotidiano diegético em Black Mirror são reforçados por escolhas narrativas e de linguagem (audiovisual) que buscam o impacto e o choque, gerando diferentes graus de representação e reflexão sobre a banalidade do mal nos episódios da série. A pesquisa nos apresentou elementos significativos do imaginário sobre Black Mirror, e como o mesmo pode ser assimilado na vida “real”, além de mostrar como a ideia da banalidade do mal é constante no seriado, sob as mais diversas formas.

Palavras-chaves: Black Mirror; Ficção seriada; Banalidade do Mal; Narrativas; Cotidiano.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/21679

Daniel Reis Romero de Souza

A  réplica progressista ao discurso conservador evangélico rumo às eleições de 2020: o Instagram como arena de disputa política entre os pastores Silas Malafaia e Henrique Vieira

Orientadora: Patrícia Saldanha

Resumo: As igrejas pentecostais e neopentecostais desenvolveram meios de apropriação midiática e política como forma de poder, gerando para um segmento evangélico mais espiritualizado uma percepção de que a igreja perdeu o seu rumo. O pastor batista Henrique Vieira aparenta fazer parte de um movimento contrainstitucional que se insurge em oposição ao rumo tomado pelas igrejas evangélicas pentecostais e neopentecostais e se contrapõe ao discurso hegemônico de seus líderes através das redes sociais digitais. A partir da metodologia da análise crítica do discurso, o objetivo geral é aferir se há relação entre a fala do pastor Henrique Vieira e a formulação de um discurso contra-hegemônico, e ainda, se há confronto entre o aparente discurso de resistência e o discurso hegemônico político e religioso, ao que tudo indica, moldado para desinformar, confundir e desorientar a população. O objeto da análise se dará por meio das publicações no perfil do Instagram do pastor batista Henrique Vieira e do pastor conservador Silas Malafaia, realizadas durante as eleições para a Prefeitura do Rio de Janeiro em 2020. O corpus compreenderá mais precisamente o período entre os dias 09 e 13 de novembro, o qual antecede o primeiro turno das eleições municipais. Esta escolha se justifica, pois, Marcelo Crivella, bispo licenciado da Igreja Universal, disputará a reeleição contando com o apoio das correntes evangélicas conservadoras, que por sua vez aparentam se comunicarem melhor com a parcela mais pobre da população. Partimos da hipótese de que a midiatização do discurso religioso conservador contribui para uma espécie de privação sensorial de parte significativa da sociedade brasileira atual, afetando e enfraquecendo sobremaneira a capacidade crítica dessas pessoas, e de que o discurso evangélico progressista pode contribuir com a ruptura desta lógica. Para sustentar nossas observações e questionamentos, utilizamos como principais autores e conceitos: Jessé Souza (Sociologia) Muniz Sodré (Midiatização), Antonio Gramsci (Hegemonia), Agnes Heller (Cotidiano); Magali Cunha (Religião), Naomi Klein (Doutrina do Choque) e Norman Fairclough (Análise Crítica do Discurso).

Palavras-chaves: Redes sociais digitais; Instagram; Henrique Vieira; Discurso Progressista Evangélico; Silas Malafaia; Discurso Conservador Evangélico.

Link: em breve (processo de inclusão no Repositório UFF)

Eduardo Brasil

Senhor Delegado: A representação da figura Policial nas letras de samba e a sua relação com a Mídia e o Cotidiano carioca entre os anos de 1979 e 2010

Orientador: Pablo Nabarrete Bastos

Resumo: Esta Dissertação investiga questões sobre a representação a partir das narrativas relativas à figura do policial, cotejando as representações da imagem policial presente nas letras de samba com a imagem construída pela mídia hegemônica no contexto da cidade do Rio de Janeiro. Através de pesquisa sobre as coberturas do jornal O GLOBO e relacionando às dinâmicas cotidianas e simbólicas que mediaram a construção acerca da representação da figura do policial presente nas letras de samba, definiu-se a metodologia de Análise Crítica do Discurso (ACD) como instrumento para entender o olhar do samba como produto cultural e de resistência popular frente ao problema do poder coercitivo do Estado, visível na figura do policial. Entendemos o samba como símbolo de resistência de um segmento oprimido da sociedade e que estabelece relações de negociação com o Estado, pois o samba nos traz uma narrativa e uma história da vida cotidiana vista de baixo. Sendo assim, surge a questão de quais são os elementos de enunciação, imagem, representação e narrativa a respeito da figura policial presentes nas letras dos sambas cariocas e como a representação da personagem policial foi se alterando de acordo com o cenário histórico e panorama político no recorte temporal adotado. O arco temporal compreende o período entre o início do Governo de Chagas Freitas, quando entra em vigora a Lei da Anistia (1979), mesmo ano em que foi lançado: Assim Não Zambi, de Martinho da Vila; e o final do primeiro Governo Sérgio Cabral (2010), o ano do lançamento de Numa Cidade Muito Longe Daqui: Polícia e Bandido de Arlindo Cruz. Partindo do pressuposto que há uma relação de tensão entre as camadas populares e o Estado, manifesto em seu poder de polícia, o samba é um material profícuo e, portanto, um corpus legítimo para a análise em questão.

Palavras-chaves: Polícia; Samba; Representação; Mídia e Cotidiano; Rio de Janeiro.

Link: em breve (processo de inclusão no Repositório UFF)

Erika Francisco de Paula David

Narrativas Audiovisuais e visões de mundo: o que as crianças têm a nos dizer sobre a infância a partir de seus cotidianos?

Orientadora: Dagmar de Mello e Silva

Resumo: Este estudo tece reflexões sobre as formas como as crianças, em tempos pandêmicos, se expressaram e entraram em contato com seus professores e colegas de turma por meio de Cartas-Imagem, formas de dizer e se dizer para o mundo através de mídias audiovisuais infantis. Partilhas sensíveis de seus cotidianos foram reveladas por estas mídias e nos deram a pensar sobre as infâncias deste tempo. O referencial teórico que subsidiou este trabalho contou com o aporte de Certeau no que tange aos estudos sobre cotidiano, Jonathan Crary com seus apontamentos sobre as transformações do sujeito observador ao longo dos tempos, Walter Benjamin com seus escritos sobre a experiência infantil, Sandra Corazza e Walter Kohan com suas contribuições para os estudos sobre as infâncias contemporâneas e Vigínia Kastrup que embasou esta dissertação no que diz respeito ao método de pesquisa que foi a cartografia, abordagem metodológica que nos permite acompanhar o processo de pesquisa, entendendo esta, como movimento de elaboração permanente, destacando os processos de construção da pesquisa em si, onde a realidade não está dada e nem acabada. O objetivo deste trabalho foi observar as formas como crianças se comunicam por meio de mídias verbo-visuais e que tipo de conteúdo e recortes do cotidiano elas elencam para dividirem com a instituição escolar.

Palavras-chaves: Narrativas Audiovisuais; Cartas – Imagem; Infância; Mídias e Cotidianos

Link: em breve (processo de inclusão no Repositório UFF)

Fernanda da Silva Guimarães

Transformando o Jogo do Poder em Poder do Jogo: uma reflexão sobre a redução da Comunicação Pública à distribuição de informação

Orientador: Marco A. F. Schneider

Resumo: Este trabalho tem discute a redução da Comunicação Pública à distribuição de informação. O objetivo geral é mapear em que medida o subaproveitamento do fluxo de informações públicas e/ou sua absorção de maneira limitada ou insatisfatória enfraquecem e não geram a vinculação necessária às práticas interativas na Esfera Pública e, consequentemente, não estimulam a participação do cidadão nas práticas políticas da vida cotidiana. Sendo assim, mesmo atendendo aos comandos estipulados em lei, tal ocorrência contribui para o esvaziamento da zona crítica de formação cidadã no âmbito das atividades da comunidade local. Para tanto, será feita uma análise do conteúdo jornalístico do canal TV Câmara, no Youtube, da Câmara Municipal de Nova Friburgo, por meio de uma metodologia composta de análise de audiência do Canal TV Câmara associada à pesquisa de opinião com a população friburguense, com vistas ao entendimento holístico do panorama participativo. Palavras-chave: Comunicação Pública; Competência Crítica em Informação; Esfera Pública; Democracia; Participação Popular.

Palavras-chaves: Narrativas Audiovisuais; Cartas – Imagem; Infância; Mídias e Cotidianos

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/21804

Fernanda Paes

Representações midiáticas de “comportamentos desviantes” de sexualidade feminina: um estudo sobre a ficção seriada televisiva “Felizes para sempre?”

Orientadora: Ana Paula Bragaglia

Resumo: Este trabalho tem como objetivo discutir a representação midiática de comportamentos desviantes de sexualidade. Para tanto, uma “Análise Textual” (CASETTI E CHIO, 1999) foi realizada na minissérie da TV Globo, “Felizes para Sempre?” (2015), na qual a protagonista, interpretada pela atriz Paolla Oliveira, é bissexual e garota de programa. Seguindo esta metodologia, optou-se por analisar a estrutura narrativa geral da minissérie (enredo) em vez de cenas específicas. Como base teórica, foram utilizdas principalmente autores da “Sociologia do Desvio” (como Becker e Goffman ); teorias sobre os processos de estereotipização oriundos da Psicologia Social (valendo-se de Pereira e Jablonski, por exemplo), e abordagens sobre a esfera do Cotidiano e seus campos de senso comum e representações sociais, por meio de teóricos como Heller e Berger e Luckmann. As discussões foram confrontadas com concepções da mídia de massa enquanto indústria cultural, a partir de Kellner, Adorno e Horkheimer, entre outros pensadores. Como principal resultado, observou-se na arena midiática, a reprodução de conflitos sociais (KELLNER, 2001) sobre comportamentos desviantes de sexualidade, o que no caso da minissérie estudada se dá através de uma narrativa apenas aparentemente transgressora e emancipadora dos atributos desviantes, uma vez que ao longo da trama e em seu desfecho, são observados elementos de uma moralidade convencional, culminando em punições para personagens femininas com comportamentos desviantes de sexualidade. Em suma, nota-se que a emissora, enquanto parte integrante de uma Indústria cultural, ao retratar representações de comportamentos sexuais desviantes se mantém ainda predominantemente em uma linha de discurso hegemônico conservador continuando a situar tais comportamentos como marginais.

Palavras-chaves: Mídia e Cotidiano; Comportamentos Desviantes; Sexualidade; Análise Textual; Felizes para Sempre.

Link: em breve (processo de inclusão no Repositório UFF)

Gustavo Farias Sixel

Identidade e memória nos quadrinhos de Marcello Quintanilha: um olhar sobre o cotidiano das classes subalternas

Orientadora: Rachel Bertol Domingues

Resumo: Esta pesquisa analisa a obra do quadrinista Marcello Quintanilha, através de narrativas avulsas e álbuns autorais publicados no Brasil (1999-2021), que expressam características do quadrinho moderno, como a autobiografia, a memória, o cotidiano e a crítica social, e busca situar a proposta do artista dentro da linguagem e do meio editorial. Seu universo, com histórias transcorridas em regiões periféricas e personagens de classes subalternas, motiva debates sobre o protagonismo de personagens oprimidos bem como a escolha por sublinhar suas contradições; a visibilidade de negros e negras e do racismo, em tramas que revelam a presença da ideologia racista no cotidiano. Aspectos autobiográficos e históricos estão interrelacionados na obra de Quintanilha, em memórias pessoais e de segunda geração, em especial as de seu pai, operário-jogador em um clube de futebol de fábrica, lembranças que assumem relação privilegiada com um lugar – o bairro do Barreto, na cidade de Niterói (RJ), onde o autor viveu na infância e na adolescência, e cuja atmosfera busca reter. A pesquisa aponta a presença da nostalgia como chave criativa da obra. O elo entre o histórico e o ficcional, juntamente com a “escavação de ruínas”, como em Benjamin (1987), estabelecem o sentimento nostálgico como caminho para a busca de sua identidade e da constituição de uma proposta estética única, marcada por sentidos indicados tanto da nostalgia reflexiva, conforme Svetlana Boym (2017), como na imaginação mnemônica, de Keightley e Pickering (2012). Neste sentido, a pesquisa parte da percepção que, diante de um tempo em crise, como aponta Arendt (2016), Quintanilha, em sua proposta, constitui uma forma criativa e inovadora de lidar e apreciar o tempo, destacando poética e visualmente sua passagem e também a tensão entre o espaço de experiência e o horizonte de expectativa (Koselleck, 2006), no cotidiano de pessoas comuns e suas escolhas.

Palavras-chaves: Histórias em quadrinhos. Memória. Cotidiano. Marcello Quintanilha.

Link: em breve (processo de inclusão no Repositório UFF)

Isabela Gonçalves de Oliveira

Códigos de socialização contemporâneos frente às noções de individualização das subjetividades: um estudo sobre postagens da Gabriela Publiesi na pandemia da Covid-19

Orientadora: Ana Paula Bragaglia

Resumo: Esta dissertação possui, como objetivo geral, entender quais as relações possíveis entre o fenômeno dos influenciadores digitais e os desdobramentos dos processos de individualização da atualidade. Para tanto, analisamos 10 (dez) publicações do perfil da Gabriela Pugliesi – influenciadora do segmento fitness/lifestyle – na rede social digital Instagram, ligados à pandemia da COVID-19 no Brasil. Além disso, temos como objetivo específico de pesquisa estudar os valores ou códigos utilizados por influenciadores digitais para se socializarem e/ou conectarem com seus seguidores, buscando compreender se e de que forma refletem ou contradizem características de sociabilidade comumente associadas às subjetividades contemporâneas, enquanto reflexo, inclusive, dos processos de individualização vivenciados a partir da Modernidade. Como fundamento teórico, utilizamos, principalmente, os raciocínios de McCracken (2003) sobre história do consumo, Bauman (1999, 2001, 2008), Lipovetsky (2004, 2007, 2015), Campbell (2001) e Barbosa (2004), no campo da contemporaneidade, Maffesoli (1998) e Bauman (2001) sobre formas de socialização e subjetividades contemporâneas e Sibília (2008) e Campanella (2019), sobre visibilidade. Utilizamos a Análise do Discurso de Orlandi (2005) para investigar o corpus. A análise demonstrou, então, a soberania da efemeridade, além de diversos aspectos individualistas e hedonistas, mesmo nos posts em que se propõe algum senso de coletividade.

Palavras-chaves: Mídia e Cotidiano; Influenciadores Digitais; Gabriela Pugliesi; Individualização; Subjetividades Contemporâneas.

Link: em breve (processo de inclusão no Repositório UFF)

Jaqueline Suarez Bastos

Entre noções e experiências: as tensões sobre a autonomia e sustentabilidade na mídia independente

Orientadora: Adilson Vaz Cabral Filho

Resumo: Nos últimos anos, observamos a emergência de muitas iniciativas de mídia que se autoapresentam como independentes. Apesar do termo acionado não ser novo, essa onda traz consigo noções e experiências próprias de seu tempo. Influenciadas pelas dinâmicas digitais e pelo contexto sociopolítico, tais iniciativas propõem outra concepção de funcionamento, acionando novas lógicas de organização e sustentabilidade, objetivando mais autonomia. A viabilidade dessa autonomia se relaciona com o modelo de financiamento adotado, delimitado pelo ideal de independência de cada coletivo, que busca garantir economicamente a continuidade das atividades, sem comprometer sua liberdade. A partir disso, esta pesquisa tem por objetivo tensionar a ideia de independência adotada por coletivos independentes sob o viés da autonomia e sustentabilidade financeira. No centro de nossa investigação, estão os modelos organizacionais dos coletivos Jornalistas Livres e Ponte Jornalismo, a partir dos quais pretendemos responder a seguinte questão: considerando a compreensão de independência pretendida pelo coletivo, como estes se posicionam com relação à autonomia e sustentabilidade (financeira)? Ancorados em uma perspectiva dialética, com uma abordagem qualitativa, estabelecemos como procedimentos metodológicos a revisão bibliográfica, o levantamento documental e a entrevista em profundidade. Verificamos que a noção de independência experimentada por cada projeto delimita sentidos e materialidades específicas de autonomia e financiamento. Dessa forma, esta pesquisa não disserta sobre conceitos fechados. Pelo contrário, discute noções e experiências singulares formuladas por experiências reais, dotadas de contradições e tensões específicas.

Palavras-chaves: Mídia independente; Autonomia; Sustentabilidade Financeira; Modelo organizacional; Comunicação alternativa.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/23123

Lorena Campos

O Empoderamento Cosmético e as representações atualizadas de beleza na comunicação da Avon no YouTube

Orientadora: Ana Paula Bragaglia

Resumo: Este trabalho tem como tema os anúncios de cosméticos contemporâneos e seus efeitos de sentido no cotidiano. Os questionamentos que norteiam a pesquisa podem ser resumidos pelas seguintes perguntas: de que forma a associação entre “beleza” e “empoderamento”, visível na publicidade comercial, pode contribuir com as reivindicações sociais de indivíduos antes invisibilizados pelas normas? Recorrer ao discurso de empoderamento pode ser positivo, ao criar-se representações midiáticas as quais os sujeitos antes não representados podem se identificar, ou corre-se o risco de, ao instrumentalizar o conceito de empoderamento sob uma lógica de mercado, ele perca o sentido? Nosso objeto é canal da marca de cosméticos AVON no YouTube; a escolha se deu porque a marca vem criando narrativas que trazem representações de beleza diversas, além de explorar o mote do empoderamento em sua comunicação. A Avon também se consolidou no mercado com um modelo de vendas pautado no relacionamento entre as vendedoras e clientes, além de estar passando por um processo de reformulação e reposicionamento no mercado, supostamente para atrair um público mais jovem. Partindo do pressuposto de que a publicidade produz e capitaliza sentidos a partir do contexto histórico, a pesquisa visa aprofundar a compreensão sobre o panorama contemporâneo. O primeiro capítulo traz noções sobre o cotidiano e o senso comum no reconhecimento da beleza padronizada; desigualdades de gênero dentro da esfera produtiva; além de apontamentos sobre interseccionalidade, ideologia e empoderamento. O segundo capítulo trata os processos de midiatização contemporâneos, e sua relação com a sub- representação de determinados sujeitos pela mídia hegemônica. As metodologias de análise do objeto empírico foram divididas em duas etapas: em um primeiro momento, foi realizada uma análise de conteúdo (BARDIN, 2016), na qual foram coletados, categorizados e tabulados os vídeos do Canal Avon BR; e em um segundo momento, foram escolhidas amostras recentes da produção do canal, que contribuem para que se formulem os conceitos de “empoderamento cosmético” e “representações atualizadas de beleza”. O objetivo do trabalho não é o de problematizar a representação dos sujeitos, mas de fomentar a discussão sobre a ambivalência destas narrativas e da ideia de empoderamento acessado via consumo. Há a necessidade em se criticar as estruturas do mercado, não só de produtos de beleza, porém pontuando as possibilidades e limitações destas inserções, graças ao seu alcance e difusão.

Palavras-chaves: Análise de Conteúdo; Análise de Discurso; Avon; Empoderamento; Mídia e Cotidiano.

Link: em breve (processo de inclusão no Repositório UFF)

Lucas Lima Coaracy

Mídias no Cotidiano Escolar: Usos e Representações Sociais de Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação pelos alunos

Orientadora: Walcéa Barreto Alves

Resumo: Essa dissertação teve como finalidade compreender os usos e as representações sociais das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDICs) por alunos no cotidiano escolar. Para alcançar esse objetivo, foi realizada uma pesquisa com alunos do segundo segmento do ensino fundamental numa escola municipal de Niterói, RJ, a partir de uma abordagem multimétodos (JOHNSON; ONWUEGBUZIE, 2004), que se desenvolveu articulando a abordagem etnográfica (PERUZZO, 2003; MATTOS, 2009, 2011a, 2011b) com metodologias do campo da Teoria das Representações Sociais (TRS) (MOSCOVICI, 1994, 2007). Os instrumentos de pesquisa foram a observação participante, grupo focal e questionário de evocação livre. A análise dos dados, realizada com o auxílio dos softwares Atlas.ti e openEVOC, tem como fundamentação a abordagem estrutural da TRS – a Teoria do Núcleo Central (ABRIC, 2000; SÁ, 1996) – e a análise categorial (BARDIN, 2009). Os resultados apontaram que a representações sociais das TDICs têm os dispositivos móveis em seu núcleo central, organizando-se e dando sentido a demais elementos da representação. A frequência de compartilhamentos e os modos de utilização das TDICs pelos alunos denota um forte aspecto de socialização em seus usos, configurando modos de ação e significação que situam as interações num contexto de busca de autonomia na construção de saberes e maior identificação social com seus pares no espaço escolar. Conclui-se que, para uma que haja uma educação que articule as estruturas da instituição escolar e os modos de viver dos jovens contemporâneos numa perspectiva libertadora e problematizadora, curiosa e crítica (FREIRE, 2000) frente às tecnologias na sociedade midiatizada (THOMPSON, 1998, 2018; HJARVARD, 2014, 2015), devese estar atento aos modos como os sujeitos empregam seus usos enquanto táticas (CERTEAU, 1998) buscando a reinvenção do cotidiano em interface com as mídias e o contexto educativo.

Palavras-chaves: Comunicação e Educação; Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação; Cotidiano; Representações Sociais; Mídias Digitais.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/23514

Luciana Carvalho de Moraes

Concepções e práticas de saúde e bem-estar no cotidiano da mulher em tempos de Covid-19

Orientadora: Flávia Clemente

Resumo: A pesquisa apresentada aqui representa um mergulho no conhecimento e nas práticas relacionadas à saúde e ao bem-estar da mulher contemporânea, a partir de um retrato traçado por elas próprias, em informações coletadas por meio de questionário on-line desenvolvido e analisado detalhadamente pela pesquisadora. O contraponto à pesquisa quali-quantitativa se dá pela análise do que vem sendo produzido do ponto de vista das teorias do cotidiano, da comunicação, da mídia, da saúde, da psicologia, da psiquiatria, da filosofia, da sociologia, dentre outras áreas do conhecimento. O objetivo central é relacionar tais estudos às vivências do cotidiano feminino, a partir das reflexões sobre os interesses requeridos pela mulher adulta de classe média e média alta, quanto às suas práticas, significações e valores atribuídos à boa saúde e ao bem-estar no cotidiano. Ressalta-se que o período específico das respostas do formulário, observação e investigação de tais práticas humanas no âmbito da saúde, aconteceu durante a propagação do novo Coronavírus (SARS-CoV-2), causador da Covid-19, em especial na quarentena em virtude da disseminação da doença. A hipótese a verificar é de que hoje, como reflexo da vida pós-moderna imposta a essa mulher, e, potencializada pela existência de uma nova pandemia de enorme gravidade, a mulher não consiga realizar as práticas de saúde e bem-estar do jeito ou com a frequência e qualidade que gostaria. Dessa forma, infere-se que a mulher de classe média não mantenha, assim, um estado completo de saúde na atual contemporaneidade, apesar de reconhecer suas práticas e benefícios como importantes para seu cotidiano, o que pode ser, inclusive, gerador de ansiedade e de DCNT. E, ainda assim, de como esse “novo normal”, diante da pandemia da Covid-19, influencia a saúde e o bem-estar feminino nos aspectos da cotidianidade aos preceitos da comunicação pública em saúde e da mídia, e se estes se relacionam com as principais necessidades femininas de saúde e bem-estar evidenciadas por elas. Por fim, apreende-se a complexidade do sujeito pela ótica das narrativas femininas que são corroboradas pelos aspectos do cotidiano midiatizado à linguagem da cultura terapêutica, a fim de constituir-se enquanto produto comunicacional midiatizado na atual contemporaneidade.

Palavras-chaves: Saúde; Bem-estar; Mulher; Cultura; Mídia; Cotidiano.

Link: em breve (processo de inclusão no Repositório UFF)

Luciano Dias

O Golpe hoje: análise do discurso em comemoração ao 31 de março, na mídia: da tragédia de 1964 à praça de 2019

Orientadora: Larissa de Morais Ribeiro Mendes

Resumo:A presente dissertação analisa o discurso militar na mídia como parte da legitimação do golpe civil-militar de 31 de março de 1964 até 2019, já na vigência do governo Jair Bolsonaro. Na analogia feita por Karl Marx em O 18 de Brumário de Luís Bonaparte, é um momento na história que acontece como tragédia (1964) e se repete como farsa (2019). Acompanhamos o percurso do objeto discurso e observamos a articulação entre linguagem, ideologia, história, memória na produção de sentidos entre a tragédia e a farsa. Para tanto, definimos três corpora: a tragédia em 24 primeira páginas de O Globo, entre 19 de março e 13 de abril de 1964, e farsa em um vídeo de saudação aos 55 anos do golpe, divulgado pelo Palácio do Planalto, e o percurso midiático entre o golpe de 64 e o vídeo que o rememora, esse o corpus principal. Nosso objetivo é investigar o discurso militar atravessando e sendo atravessado pelo discurso jornalístico e o seu deslocamento para mídia em ambiente virtual e, através da leitura discursiva, verificar o deslizamento de sentidos para produção de efeito de verdade. Dois termos são centrais nessa disputa de sentidos: “golpe” e “Revolução” representam o embate ideológico pela verdade. Filiada à Análise de Discurso de orientação francesa, a pesquisa articula a AD com conceitos de autores do cotidiano e, ancorada em estudos sobre jornalismo, discurso científico e de Ciência Política, analisa o dito e o não-dito em enunciados materializados em notícias, editoriais e conteúdos não-jornalísticos. Assim, ouvindo a voz e o silêncio do discurso militar em O Globo, compreendemos que o sujeito jornal é interpelado pela mesma ideologia que o sujeito militar, revelando a ilusão do discurso da objetividade científica. Ouvimos também o sussurro do discuto militar no vídeo anunciando que a farsa de 1964 estava sendo montada em 2019.

Palavras-chaves: Golpe de Estado de 1964; Memória; Mídia; Discurso; Verdade

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/25056

Marcus Vinicius Barcelos Lima Losanoff

Representação, identidade e resistência musical no DOCTV América Latina

Orientadora: Denise Tavares

Resumo: A partir do estudo de três documentários produzidos na edição La Musica, do programa DOCTV Latinoamérica (DOCTV América Latina, no Brasil), este trabalho tem por objetivo discutir a linguagem e as narrativas destas obras levando em conta o histórico de resistência e de busca por integração da América Latina. Para tanto, recupera, brevemente, os conceitos e paradigmas que envolvem a criação do Programa e, de igual modo, procura discutir as conjunturas que permeiam as estratégias de resistência cultural e de integração da região, focando, especialmente, na música de protesto, em particular a produzida a partir de 1960. Tal abordagem ocorre em paralelo às teorias da identidade e da construção da memória enquanto norteadoras dessas representações presentes nesta edição dedicada à música do DOCTV Latinoamérica. Em função do amplo escopo – ao todo, foram 18 obras produzidas nesta edição – a dissertação foca os documentários Isabel, la criolla (Argentina); Hasta el fín de Delfín (Equador) e “No gargalo do samba” (Brasil). A escolha deve-se à proposta de constituir uma amostra que, além do Brasil, pudesse expressar a relação do país com os vizinhos do continente: uma, de maior proximidade, que é o caso da Argentina e, outra, à distância, inclusive geográfica (por não possuir fronteira com o Brasil), que é o Equador. O cotidiano midiatizado e a função social do audiovisual fazem parte do cenário que contextualiza a pesquisa enquanto estratégias de um território que busca afirmar a sua singularidade ancestral, contrapondo-se a um processo histórico de esvaziamento da diversidade na cultura, sobretudo a musical, através dos séculos. Entre os autores que balizam este trabalho estão Jesús Martín Barbero, Ailton Krenak, Darcy Ribeiro, Stuart Hall, Catherine Walsh, Néstor García Canclini, Agnes Heller e Nildo Viana. Em termos metodológicos, optamos pela revisão bibliográfica e documental a partir dos eixos centrais da investigação somado às discussões sobre a criação e demais produções do Programa DOCTV Latinoamérica.

Palavras-chaves: Representação social; Resistência musical; Identidade cultural; Integração latino-americana; Documentários musicais.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/23326

Monique Paula dos Santos T. de Oliveira

Talíria Petrone: eu sou deputada, eleita pelo Rio de Janeiro: Um estudo de caso de gestão de visibilidade pelo Instagram

Orientadora: Carla Baiense Felix

Resumo: Esta dissertação analisa como a Deputada Federal, mulher negra, Talíria Petrone utiliza o Instagram como um instrumento para gerenciar a sua visibilidade. Considerando um cenário em que as mulheres negras são invisibilizadas ou hiper-visibilizadas (criminalizadas e sexualizadas, por exemplo) como revela Noble (2013), verifico os regimes de visibilidade (BRIGHENTI, 2010), ou múltiplas facetas da visibilidade que acarretam consequências positivas e negativas para a atuação política da parlamentar. Essa análise é realizada em um contexto de cultura do medo (GLASSNER, 2003) que tem um impacto significativo para mulheres negras progressistas na política institucional, algo que foi evidenciado pelo feminicídio político (SOUZA, 2019) de Marielle Franco. O estudo toma como base perspectivas teóricas de três áreas principais: cultura do medo, feminismo negro e visibilidades nas culturas digitais. A abordagem metodológica é guiada pela revisão bibliográfica e análise temática inspirada em observações etnográficas digitais (HINE, 2015), desenvolvida por mim, com análises qualitativa e quantitativa das publicações realizadas no perfil do Instagram da Deputada Federal Talíria Petrone nos meses de março/2019, julho/2019 e novembro de 2019. Além de entrevista estruturada fechada pelo WhatsApp com a parlamentar. Dessa forma, o intuito é verificar como ela utiliza a visibilidade pelo Instagram como uma ferramenta para combater o racismo, o machismo e proteger os direitos humanos em um contexto de medo e incerteza.

Palavras-chaves: Talíria Petrone. Mulheres negras. Visibilidade. Feminicídio político. Instagram.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/22969

Ana Paula de Alencar

Competência crítica em informação e prática docente: uma análise sobre a relação do professor com a desinformação

Orientador: Marco André Feldman Schneider

Resumo: Esta dissertação de mestrado situa-se no campo das alternativas de resistência e combate à desinformação. Delimita-se na relevância da Educação nesse processo, tendo o professor como agente central. O objetivo principal é investigar a relação cotidiana dos professores da Rede Municipal de Ensino de Niterói (RJ) com a informação e os desdobramentos dessa relação em suas práticas docentes, em específico no combate à desinformação. Para a pesquisa empírica valeu-se do recurso da entrevista em profundidade e para a análise dos dados, utilizou-se o método do Discurso do Sujeito Coletivo. A discussão dos resultados fundamenta-se na revisão bibliográfica de teorias sociais críticas de inspiração dialética, em especial aquelas desdobradas nos estudos sobre cotidiano, comunicação, informação e educação. Destaca-se entre os resultados a relação predominantemente utilitária dos professores entrevistados com a informação, bem como a falta de formações e espaços de debate sobre o tema, que se desdobra em práticas pedagógicas fragmentadas de combate à desinformação. Esse resultado corrobora a hipótese inicial desta pesquisa, de que a relação do professor com a informação na sua cotidianidade é o que determina a forma e a profundidade da abordagem do tema da desinformação na sala de aula. Por isso, considera-se como necessária e urgente uma formação midiática para professores, que favoreça o desenvolvimento de competências críticas em informação, particularmente aquelas voltadas à compreensão e mediação da desinformação a partir de aplicações cotidianas de análises críticas dos textos e contextos.

Palavras-chaves: Desinformação; Alfabetização Crítica Midiática; Competência Crítica em Informação; Formação de Professores.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/25246

Caio Vinicius de Souza Oliva

A Escola em mediação com o digital em rede: as mídias e as significações cotidianas em tempos de pandemia

Orientadora: Walcéa Barreto Alves

Resumo: A presente dissertação tem por finalidade apresentar os resultados da pesquisa realizada no intuito de compreender as significações cotidianas no contexto do ensino não presencial articulado com o digital em rede em uma escola municipal de Niterói/RJ. O foco se voltou para os processos de mediação e midiatização refletidos nas interações, práticas e percepções dos sujeitos do ensino em suas ações escolares durante a pandemia da COVID-19. Para tanto, foi desenvolvida uma investigação baseada na abordagem etnográfica (MATTOS, 2011) em bricolagem com as pesquisas nos/dos/com os cotidianos (FERRAÇO, SOARES, ALVES, 2018). Os instrumentos de pesquisa foram a observação participante – ocorrida em encontros online, visitas presenciais à instituição e acompanhamento das interações na plataforma digital pedagógica da escola -, o diário de campo e o uso de questionários destinados aos estudantes. A análise dos dados foi realizada pela tematização das categorias analíticas (BARDIN, 1977) e com o suporte do software ATLAS.ti na organização e triangulação dos dados. O arcabouço teórico abarca fundamentos da relação entre educação e tecnologia (SILVA, 2010; SANTOS, 2019; 2020), comunicação e interações midiáticas (THOMPSON, 1998; 2018; HJARVARD, 2014; MARTÍN-BARBERO, 1997; 2008) e nos estudos sobre cotidiano (CERTEAU, 2014 [1980]). Os resultados apontaram para uma reinvenção do cotidiano escolar a partir das ações dos sujeitos escolares frente aos dilemas e imposições enfrentadas, buscando dialogar com a cultura digital contemporânea através da autonomia de suas práticas pedagógicas e interagindo com o digital em rede de formas diversificadas. Contudo, o estudo também traz os contextos digitais e as dificuldades de acesso cibercultural, manifestando as problemáticas e impedimentos em potencializar o processo de ensino-aprendizagem articulado com os artefatos tecnológicos. Conclui-se que o cenário investigado, em tempos de pandemia, apresenta uma experiência de educação mediada pelo digital em rede, no qual os praticantes, mesmo sem uma formação específica, desenvolveram mecanismos para buscar abrandar as problemáticas permeadas pelo contexto. O estudo aponta importantes elementos para o entendimento da educação e as relações tensionadas pelo digital em rede, em especial no contexto cibercultural que é perpassado por processos de midiatização do cotidiano.

Palavras-chaves: Comunicação e Educação; Digital em Rede; Mídias Digitais; Cotidiano.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/25944

Emanuela Neves do Amaral

Política Pública de comunicação para os povos indígenas no Brasil: Pontes entre as políticas públicas latino-americanas e o caso brasileiro

Orientador: Adilson Vaz Cabral Filho

Resumo: Em um contexto de escassez de políticas voltadas a comunicação indígena no Brasil, busca-se apontar caminhos para a resolução da problemática através da análise dos principais pontos que desencadearam as políticas públicas para esse setor na América Latina na década de 2000, no contexto dos governos progressistas da região. No processo de pesquisa analisa-se a investigação do processo de construção das principais políticas públicas implementadas na Bolívia e Argentina, a partir da atuação dos movimentos sociais e da sociedade civil. Analisou-se então, cada legislação aprovada, além de atas de encontros, assembleias, conferências e programas de governo. Ainda, foram entrevistados comunicadores indígenas brasileiros, para compreensão da realidade local. Em uma análise comparada com Argentina e Bolívia, observa-se caminhos para o início de um processo de formulação de políticas focadas na comunicação indígena. Entre eles: a necessidade de articulação do próprio movimento indígena em torno do tema; a construção de uma agenda nos movimentos amplos de comunicação no Brasil, que inclua as especificidades indígenas; a centralidade de abordar a discussão sobre a internet; e, em um âmbito mais amplo, coloca-se a necessidade da construção de uma plataforma de governo que tenha na sua agenda a democratização da comunicação no país e que, nisso, inclua-se o direito originário indígena à comunicação.

Palavras-chaves: Comunicação indígena; políticas de comunicação; economia política da comunicação; movimentos sociais.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/25953

Esther Karollinne Carvalho Laranja

Menstruação, o sangue impuro: O papel da publicidade no reforço da identidade feminina construída para o consumo

Orientadora: Patrícia Gonçalves Saldanha

Resumo: O presente estudo pretende compreender qual o papel da publicidade de absorvente íntimo e coletor menstrual no reforço da identidade feminina construída para o consumo. Partimos da problematização de que os anúncios publicitários, por criarem desejos e necessidades, ditam de forma pedagógica como as mulheres devem se comportar, ser e lidar com a própria menstruação, reforçando um discurso hegemônico patriarcal, classista e elitista. Para isso, serão analisadas peças publicitárias da marca Always e Fleurity postadas na rede social Instagram durante o mês que se comemora o dia de visibilidade menstrual especificamente no “Dia da Visibilidade Menstrual” nos anos de 2019 e 2021 (a escolha se deu por demarcar um ano antes e um ano depois da pandemia). Deste modo, o corpus servirá de base para analisar qual discurso usado para o reforço do tabu menstrual e da vulva enquanto tema ainda muito presente na sociedade atual. Para compor a metodologia, realizamos uma revisão bibliográfica do referencial teórico sobre o próprio tema investigado e sua vinculação aos conceitos de mídia e cotidiano, além da averiguação das representações femininas e do fluxo menstrual durante os períodos de coleta do material. Para tanto, definimos, a Análise Semiótica como método para base analítica para compreensão corpus e verificação da hipótese. A perspectiva sobre a mulher e a menstruação de Sardenberg (1994) e Ratti et al (2015), cotidiano de Heller (1992), representação de Stuart Hall (2010) e a espetacularização da imagem de Sodré (2006) e Debord (1997) serão algumas conceituações aqui abordadas para o desenvolvimento do material teórico. E para finalizar, serão utilizados os textos de Peirce (1995) e Perez (2016) para análise e discussão do uso da semiótica publicidade.

Palavras-chaves: Tabu da Menstruação; Espetacularização da Vulva; Publicidade do absorvente Always; Coletor menstrual – Fleurity; Dia da Visibilidade Menstrual; Pobreza Menstrual; Análise Semiótica; Instagram do Cotidiano.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/26874

Jader Lucio da Silva Júnior

Professor Instagrammer: produções cotidianas de sentidos nas mediações entre professores influenciadores digitais e seus seguidores

Orientador: Alexandre Farbiarz

Resumo: O objetivo geral dessa dissertação é entender como as mediações entre os professores/influenciadores e seus seguidores no Instagram estão ligadas ao cotidiano e à produção de sentidos. As implicações da pesquisa residem na compreensão de que a transformação das mediações afeta a produção de sentidos e reflete na práxis cotidiana. Nesse estudo qualitativo, foi estabelecido um arcabouço teórico clássico e relacionado com publicações atuais sobre representações nas mídias, expandindo conceitos anteriores à Internet para pensar as transformações cotidianas advindas das mudanças em como lidamos com a mídia. Parti dos conceitos de identidade (BAUMAN, 2001; HALL, 2006) e espetacularização (DEBORD, 2007), alinhados às reflexões sobre a intimidade em mídias sociais (SIBILIA, 2016) e o entendimento do cotidiano (HELLER, 2008; LEFEBVRE, 1991). Assim, defini o sujeito que se expõe nas redes, fabrica uma intimidade e espetaculariza o cotidiano como local da repetição da vida moderna, criando uma relação de proximidade com os seus seguidores. Ao pensar a construção da persona espetacularizada, entendi o self (GOFFMAN, 2014) a partir da ótica das mídias (HJARVARD, 2013, 2014) e das mediações (MARTÍN-BARBERO, 2009, 2014) para identificar o papel do Instagram nas relações sociais. O professor foi versado como influenciador, para descobrir as emergências da apropriação midiática no processo de ensino, considerando o pensamento dialógico (BAKHTIN, 2017) e a noção da construção sociointeracionista do conhecimento (VYGOTSKY, 2007). Realizei uma pesquisa netnográfica (KOZINETS, 2015), com imersão em campo entre 01/01/2022 e 31/03/2022, nos perfis dos professores @professoracarolmendonca, @professornoslen e @professorsacramento. O banco de dados resultante foi composto por postagens no feed – com as reações interativas de likes, comentários e respostas, Stories, contato participativo com os seguidores por mensagens diretas esclarecidas e diário de campo. Realizei a análise com auxílio do software Atlas.ti por meio da codificação dos documentos em citações ligadas aos códigos básicos, que exprimem de forma variada os sentidos ao serem relacionados entre si. Como resultado, descrevi as possibilidades de produção de sentidos nas mediações observadas e as influências que elas exercem na vida cotidiana. Constatei que, ao assumir papel de influenciadores e exercer processos educacionais em um espaço produzido e orientado ao consumo, os professores tornam possível que os seguidores sejam afetados em suas próprias percepções identitárias. As táticas exercidas no contato ubíquo entre os agentes podem alterar a práxis cotidiana e contribuir de forma disruptiva na democratização da educação e no pensamento crítico sobre o ambiente onde as mediações acontecem. Concluí que a potencialidade do afeto gerado pelas mediações transpassa a figura da persona que se mostra no Instagram e atinge a pessoalidade do sujeito, transformando a realidade por meio da identificação como produtora de sentidos identitários que reflete na vida cotidiana. Faz-se necessário uma leitura crítica constante para traçar as possibilidades de sentidos mediadas e buscar no entendimento as maneiras de agir que potencializam a transformação da realidade social, na construção de um processo educativo contínuo que movimente a autopercepção e posição dentro de determinado contexto sociocultural.

Palavras-chaves: Cotidiano; Educação; Influência; Identidade; Mediação.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/27663

Kerllon Lucas Gomes Silva

Cartografias de traduções de imagens cinematográficas: uma proposta de emancipação de espectadores com deficiência visual frente as generalizações das visualidades cotidianas

Orientadora: Dagmar de Mello e Silva

Resumo: Por compreendermos que as imagens assumem protagonismos na vida cotidiana, este trabalho pretende promover “a suspensão do cotidiano” (HELLER, 2014) das pessoas cegas a partir do acesso à arte e a cultura audiovisual, através de audiodescrições que promovam uma estética das imagens, que lhes possibilitem uma relação de “espectadores emancipados” (RANCIÉRE, 2012) frente as imagens do cinema; assumindo uma proposta de caráter ético e estético. Por meio de um estudo mais aprofundado das características técnicas dos meios de comunicação, tomamos o cinema como arte, propondo-o como dispositivo de elevação da vida cotidiana. Desse modo, a audiodescrição (AD) pode ser esta tecnologia social de acessibilidade que se ocupa em mediar essa suspensão, oportunizando uma legítima constituição narrativa e um acesso às visualidades cotidianas das pessoas cegas. Refutando as principais diretrizes técnicas e a cadeia produtiva do mercado de AD, propomos, através de uma consultoria contínua com pessoas cegas, novas possibilidades para pensarmos uma estética de tradução das imagens, garantindo o paradigma “nada sobre nós, sem nós”. Por meio da cartografia e da pesquisa intervenção, orientação metodológica que prestigia a subjetividade humana, colhemos narrativas que comprovaram nossas hipóteses, propiciando a estes espectadores cegos uma relação criadora de sentidos próprios com as imagens.

Palavras-chaves: Cotidiano e mídia; Imagem; Audiodescrição; Tradução; Estética.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/25945

Luana Matos do Nascimento

O fenômeno nordestino no YouTube: Os casos de Whindersson Nunes e Thaynara OG

Orientador: Pablo Nabarrete Bastos

Resumo:Este trabalho possui como objetivo principal analisar como os influenciadores digitais nordestinos Whindersson Nunes e Thaynara OG representam o Nordeste e seus habitantes. Para tal, teve como metodologia pesquisa bibliográfica e documental, buscando compreender como os nordestinos costumam ser representados na mídia hegemônica para assim verificar se os influenciadores trazem uma nova representação acerca da região, ou reproduzem estereótipos e estigmas presentes na representação hegemônica. Como base teórica, abarcou a análise crítica do discurso, os campos teóricos dos Estudos Culturais e da Economia Política da Comunicação. Por isso, buscou-se antes compreender o cotidiano nordestino e como a hegemonia se impõe a ele. Após essa análise, chegou-se à conclusão que tais influenciadores são sujeitos circunscritos à materialidade e por isso, por vezes, tem posicionamentos complexos e contraditórios. Subordinando-se, assim, a diversas demandas impostas pelo modo de produção capitalista, mas também buscando novas representações sobre o Nordeste e seus habitantes.

Palavras-chaves: Nordeste; Representação; Hegemonia; Influenciadores Digitais.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/26873

Luciana Costa da Silva

Nem mulata, nem doméstica: a visibilidade de meninas e mulheres negras no cotidiano escolar mediada pelo projeto A Cor da Cultura

Orientadora: Carla Baiense Felix

Resumo: O propósito dessa pesquisa é compreender como as professoras de uma escola da Rede Pública Municipal de Educação de Niterói se apropriam e utilizam as representações das meninas e mulheres negras dos programas do Projeto A Cor da Cultura, destinado ao ensino e à valorização da História e da Cultura negras no cotidiano escolar e no combate ao racismo em uma perspectiva interseccional. Dessa forma, iniciamos nossa investigação realizando um levantamento do material produzido pelo projeto, que é produzido a partir de dois componentes norteadores: a produção audiovisual e a formação de professores. Pensando na potencialidade desses recursos para o “fazer” docente na educação para as relações étnico-raciais no cotidiano escolar, realizamos uma pesquisa de campo em uma escola da rede pública de Niterói, através de entrevistas em profundidade com as professoras que nela atuam com o segmento infantil. Ao final, analisamos, com base nos conceitos discutidos nesta pesquisa, os dados colhidos junto às entrevistadas sobre como o Projeto A Cor da Cultura foi aplicado e desenvolvido na rede de ensino, quais os objetivos e resultados. Também investigamos a percepção das professoras sobre a importância da aplicação da lei 10.639/03 no combate à opressão (FREIRE, 1996, 2003) e ao apagamento da história e da cultura das pessoas negras a partir do cotidiano escolar (HELLER, 2014; KOSIK, 1976), especialmente no que se refere às meninas e mulheres negras, que precisam se contrapor às imagens de controle (COLLINS, 2019; GONZALES, 1984) a elas impostas, resistindo ao “lugar” destinado a elas na estrutura de poder racista e sexista (ALMEIDA, 2019; KILOMBA, 2019; NASCIMENTO, 2020) e reivindicando a condição de sujeitas históricas.

Palavras-chaves: Mulheres negras; Lei 10.639/03; Cotidiano escolar; Imagens de controle; Projeto A Cor da Cultura.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/25245

Maíra Medeiros Carvalho Xavier

Quem influencia os influenciadores? A cadeia da influência e o mercado digital. 

Orientador: Adilson Vaz Cabral Filho

Resumo: Esta dissertação possui como objetivo principal compreender a cadeia da influência que atua por trás do influenciador digital ao mesmo tempo em que discute o papel chave que o influenciador possui ao fomentar o consumo. O surgimento das plataformas digitais com modelos de negócio voltados para a distribuição de conteúdos audiovisuais e volume de acessos configurou uma nova figura – o influenciador digital. Esse fenômeno é estruturado pela algoritmização e pela datificação, que refletem na hegemonia dos conteúdos ou espaços e no próprio lugar em que o influenciador se encontra. Diante do uso vertiginoso das plataformas digitais por parte da audiência e da capacidade de o influenciador gerar conexão com seu público, o mercado passa a usar a figura do influenciador para tornar cada vez mais próxima a relação entre marca e consumidor. Nesse contexto, essa dissertação aborda a cadeia da influência, estrutura formada por intermediadores culturais, termo cunhado por Rojek (2008).

Palavras-chaves: Influenciadores digitais, cadeia da influência, mercado digital, plataformas digitais

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/25847

Marlos Augusto Rangel Mendes

Memórias da radioescuta no jornalismo carioca: Histórias de uma prática de reportagem central na cobertura de crimes e cidade na segunda metade do século XX

Orientadora: Rachel Bertol Domingues

Resumo: O presente trabalho tem por objeto um local e uma prática jornalística que existiu entre o começo dos anos 1970 e o começo dos anos 2000 nas redações de jornais do Rio de Janeiro chamada Sala de Escuta ou apenas Escuta. Consistia em um lugar para monitoramento das comunicações de emergência da polícia e de outros serviços públicos por meio de um rádio rastreador em busca de matéria-prima para produção noticiosa. Tendo como eixo teórico a proposta de história dos sistemas de comunicação, aplicou-se a metodologia da história oral em busca de relatos memoráveis de profissionais direta e indiretamente envolvidos com a Escuta, a saber, jornalistas e policiais militares. O objetivo foi abordar a história do jornalismo por meio da construção de um relato memorável sobre franja de atuação importante, mas que não tem sido objeto de estudos, e construir um relato sobre o papel da Escuta na produção noticiosa, os aparatos técnicos e os atores sociais envolvidos, assim como as tensões e contradições ao seu redor. Foram feitas entrevistas por videoconferência em decorrência da pandemia de Covid-19 e buscou-se cotejar os relatos sobre reportagens citadas com as páginas dos periódicos acessíveis em coleções digitais. A pesquisa aborda a história do rádio no Brasil e a criação dos serviços de radiopatrulha, ambos como expressões de anseios de modernização e progresso, na primeira metade do século XX, como preâmbulo para investigar o objeto Sala de Escuta. A partir dos relatos dos entrevistados, tentou-se caracterizar a Escuta como: um lugar de noticiabilidade, por atuar na captação de matéria-prima noticiosa, obedecendo a critérios de valor-noticia; um lugar de socialização e aprendizado, onde o novato era apresentado a códigos de conduta do grupo profissional e adquiria habilidades práticas e ferramentas cognitivas para o exercício do jornalismo; um lugar de invisibilidade, pois a função envolvia muita cobrança, pouco reconhecimento e reduzidas chances de ascensão para o profissional, e um lugar de clandestinidade, pois havia a percepção de que a Escuta era uma atividade ilegal. Dessa forma, construiu-se um relato memorável sobre uma rotina produtiva que pode servir de contribuição para os estudos de memória do jornalismo.

Palavras-chaves: Sala de Escuta; Radioescuta; jornalismo policial; memória do jornalismo

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/26418

Mateus Queiroz Saraiva

O dito e o não dito no Twitter: análises sobre as estratégias para a eleição à prefeitura do Rio de Janeiro em 2020

Orientadora: Rachel Bertol

Resumo:A disputa pela prefeitura do Rio de Janeiro em 2020 ocorreu em eleições marcadas por circunstâncias atípicas, como a pandemia de Covid-19 e a ascensão da extrema direita no pleito anterior. O cenário político carioca também estava marcado por sucessivas prisões de ex-governadores. Investigar os efeitos desses fatores, por si só, já seria relevante. Porém, nos últimos anos, a política se adaptou às plataformas de redes sociais, em especial o Twitter, que, atualmente, configuram o ambiente principal da comunicação, abrangendo as informações buscadas pela sociedade e os recursos de interação e integração social (GOMES, 2021a). Com isso, os atores políticos ganharam novas obrigações, estratégias e riscos em suas interações com a sociedade (THOMPSON, 2018) e o eleitor reconfigurou seus modos de refletir sobre a política e consumir informação política. Dessa forma, investigamos as mensagens no Twitter sobre Eduardo Paes e Marcelo Crivella e monitoramos os respectivos perfis oficiais durante a eleição para a prefeitura do Rio de Janeiro em 2020. A pesquisa abarca diferentes análises sobre mais de 345 mil tweets, revelando as estratégias adotadas pelos candidatos e os temas e os perfis mais presentes. Os resultados mostram que o perfil de Paes foi muito mais ativo e dialógico no Twitter, enquanto Crivella foi mais citado pelos usuários. Além disso, as campanhas buscaram acionar o eleitor a partir da desqualificação do adversário, logo a plataforma foi mais utilizada como palco de afrontas e proteção do poder simbólico e pouco como um ambiente para o debate de pautas e ideias. Ressaltamos que os debates eleitorais televisivos aumentaram a quantidade das publicações e pautaram as conversas na rede social.

Palavras-chaves: Comunicação Política; Eleição municipal; Eleitor; Twitter.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/26854

Priscila dos Santos Silva

Comunicação pública e sustentabilidade: um estudo sobre o envolvimento com as ações nas universidades federais

Orientadora: Flávia Clemente de Souza

Resumo: Considerando as relações entre o papel da universidade pública e comunicação para voltada para sustentabilidade, este estudo teve como objetivo investigar o quanto e como a comunicação pública organizacional das universidades federais se envolve com as ações de sustentabilidade, seja no âmbito administrativo ou acadêmico, compreendendo os aspectos de cada instituição. Para isto, realizamos um procedimento empírico utilizando o método hipotético-dedutivo de abordagem mista para coletar impressões de diferentes perfis de universidades. Aplicamos, portanto, um questionário a profissionais de comunicação todas as universidades federais do Brasil para uma investigação preliminar com objetivo de averiguar como os setores de comunicação tratam o tema da sustentabilidade e, posteriormente, realizamos entrevistas individuais com um representante de uma amostra de instituições respondentes. Essas entrevistas foram submetidas à metodologia de análise de conteúdo com o suporte de uma literatura de validação científica das áreas de comunicação pública, sustentabilidade e comunicação organizacional, além de um material de gabinete referente a documentos de organizações e dispositivos legais com relevância para o objeto de pesquisa.

Palavras-chaves: Comunicação pública; comunicação organizacional; sustentabilidade; universidade.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/25055

Rebeca Letieri Guasti da Silva

Desinformação nas eleições 2018: Destrinchando as notícias falsas que favoreceram Jair Bolsonaro

Orientadora: Larissa Morais

Resumo: A presente pesquisa busca analisar o uso de fake news durante a campanha do presidente eleito, Jair Bolsonaro, por meio da investigação da construção da narrativa e do enquadramento dessas peças de mídia. A hipótese é que houve um direcionamento, em termos de uso de linguagem, configuração visual e enquadramento, para influir sobre grupos específicos de leitores e, desse modo, influenciar o resultado do pleito de 2018. Nesse sentido, a proposta é analisar o enquadramento de 104 notícias, caracterizadas como falsas por agências de fact checking, que foram prejudiciais ao segundo colocado nas pesquisas e nas urnas, Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores, beneficiando, assim, o seu opositor.

Palavras-chaves: campanha política, desinformação; redes sociais; eleições; credibilidade.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/26421

Rodrigo Di Santo Pastore

Memórias midiáticas do indie rock brasileiro: Cenas cruzadas de um nicho musical

Orientadora: Denise Tavares da Silva

Resumo: Esta pesquisa tem como foco discutir a representação e memória do cenário indie rock no Brasil a partir dos documentários “Roques de Quarto”, “Novos Goianos” e “Guitar Days – An Unlikely Story Of Brazilian Music”, analisados após um percurso investigativo que se valeu de uma gama de produções midiáticas vinculadas a este nicho musical, além da vivência semi- biográfica do investigador. Isto é, a pesquisa assumiu que essas obras audiovisuais tratam de um nicho praticamente invisível para o mainstream musical e, por isso mesmo, considerando seus objetivos, valeu-se de uma “memória anterior” desenhada por um levantamento dos registros midiáticos dos anos 1990 que tratavam do indie rock, e da própria vivência desse investigador enquanto músico vinculado a esse movimento. O processo permitiu “cruzar as cenas” das temporalidades e espaços distintos, e também analisar como todo o material midiático levantado apresenta o modo como esses músicos circulam e se integram ao cenário musical contemporâneo do país, a partir do lugar a que dizem pertencer. Em função das questões que mobilizaram a investigação, sua construção metodológica incluiu, além do levantamento documental e da análise das obras, revisão bibliográfica sobre a memória, em especial a partir do que apontam Paul Ricoeur (2018), Maurice Halbwachs (1990) e Michel Pollak (1989). Outros autores fundamentais para as discussões levantadas são Michel Maffesoli, – particularmente o seu conceito de tribo (2014); Michel de Certeau, na discussão que tece sobre o cotidiano; Marco Toledo Bastos (2012), no debate acerca da midiatização e Claus Clüver (2016), com o conceito de intermidialidade. Já Denise Tavares (2013), Silvio Da- Rin (2004) e Jacques Aumont (1993) contribuíram para a análise fílmica.

Palavras-chaves: documentário; representação e memória; indie rock; nicho musical; cotidiano.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/26420

TURMA DE 2018


Ana Luiza da Silva Bezerra

Reinos do Sul: identidade, representação e consumo a partir de “Elena de Avalor”

Orientadora: Ana Paula Bragaglia

Resumo: Esta dissertação possui como objetivo principal investigar como a indústria cultural, na qual as produções da The Walt Disney Company se inserem, impacta na representação de uma identidade gendrada da mulher latino-americana nos produtos audiovisuais infantis da empresa. Para tanto, focamos nossa análise na animação “Elena de Avalor” (GERBER, 2016), série voltada para crianças que possui como protagonista a primeira princesa latino-americana lançada pela empresa. Além do objetivo central da pesquisa, possuímos como objetivos específicos à compreensão das práticas mercadológicas e sociais do mercado globalizado de animações infantis, a exploração do processo de criação de narrativas animadas e a investigação dos possíveis impactos de protagonistas femininas em audiovisuais para crianças. Como aparato teórico, utilizamos, principalmente, as reflexões de Eco (1994) sobre os atos de criar e desfrutar de uma obra de ficção; as ponderações acerca das mudanças históricas e teóricas dos processos de identidade contemporâneos a partir da obra de Hall (2016); as ideias sobre identidade gendrada de Butler (2018) e Lauretis (1994); as indagações sobre o papel da vida cotidiana nos processos de identificação a partir, principalmente, das obras de Heller (2018 [1970]) e Kosik (2002 [1963]). Além disso, foi feita uma discussão sobre a influência da mídia nas identidades de acordo com Kellner (2001) e outros autores. Por fim, discutimos as relações entre violência colonial e a mídia na construção de uma identidade latino-americana de acordo com a obra de Ribeiro (2017), Monzo (2015) e Carneiro (2011). Utilizamos a “análise de conteúdo” descrita por Bardin (2016) como aparato metodológico para investigarmos nosso corpus de cinco episódios da primeira temporada da série. Os dados levantados indicam que a nossa hipótese inicial, de que usualmente ocorre um processo de homogeneização das culturas não europeias representadas sob o crivo da Disney, foi confirmada.

Palavras-chaves: Representação; Mídia e Cotidiano; Animações; Estudos de Gênero; Indústria Cultural

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13713

Anderson Antonio Andreata

Impactos Neoliberais nas políticas de Comunicação no Brasil e na Argentina

Orientador: Adilson Vaz Cabral

Resumo:A presente dissertação busca compreender como as políticas de comunicação são criadas em países que vivem em regimes democráticos, como Brasil e Argentina, e como as mudanças de governo de característica progressista para neoliberal, ocorridas nesta última década, promoveram o que aqui se propõe a caracterizar como impactos que revelam o desmonte das conquistas da sociedade civil na área de comunicação. Para isso, o trabalho se propõe a fazer um levantamento sobre as características desse período (2015-2019) no que diz respeito às dimensões políticas, econômicas e sociais que pudessem impactar nas atividades de comunicação: no Brasil, a descaracterização de um TV pública; e na Argentina, os retrocessos de uma política que estava promovendo a inclusão de meios privados sem fins de lucro, com mais diversidade e pluralidade de atores sociais nesse cenário. O que se observa é uma mudança de rumo em função de reorientações governamentais que modificam as políticas de comunicação de acordo com as inclinações do governo de turno, fragilizando as políticas que deveriam se constituir como de Estado. E, por outro lado, afeta também a sociedade civil, a partir da consciência crítica dos cidadãos, que não alcança espaço de participação em todos os processos de uma política pública para o setor, desde a formulação, implantação e controle. Como metodologia, optamos pela análise documental, de forma a comparar documentos que pudessem mostrar os impactos nas leis, entrevistas semiestruturadas com participantes de ambos os processos, cujas narrativas foram importantes para compreender a efetividade das mudanças e seus reflexos no cotidiano dos cidadãos impactados por elas. Importante salientar a observação, no processo de pesquisa, que se trata de uma comparação entre desiguais, em que a dinâmica na Argentina estava ocorrendo com maior participação da sociedade civil, porém em ambos os casos houve uma estagnação em relação ao tema na agenda pública desses países, verificada até o ano de 2019, quando se encerra o período de análise da pesquisa.

Palavras-chaves: comunicação pública; comunicação comunitária; políticas de comunicação; desmonte neoliberal; Brasil e Argentina.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/16883

Fábio Carvalho Pimenta

A hexis educativa da animação na construção do cotidiano infantil

Orientador: Alexandre Farbiarz

Resumo: Com foco na hexis educativa, a presente pesquisa busca observar a influência da animação na construção do cotidiano infantil, considerando a aprendizagem da criança em idade de pré-alfabetização. Partindo do pressuposto de que a animação é o gênero audiovisual na atualidade que melhor representa os contos maravilhosos, o estudo mostra-se relevante na medida em que traz à tona o potencial axiológico deste milenar gênero dramatúrgico, unindo a narrativa audiovisual e a moral da história ao lúdico animado. O diálogo ora proposto busca relacionar a aquisição do conhecimento infantil à hexis educativa, atrelada à capacidade cognitiva da criança, na absorção do universo apresentado pela animação. Nesse sentido, o estudo busca um olhar sobre os conceitos de animação como mídia audiovisual, contos e sua moral, educação pela hexis educativa, e o cotidiano infantil. A partir de uma representação social, a animação potencializa a possibilidade de a criança criar o seu próprio cotidiano, produzindo e reproduzindo a cultura, os hábitos e os costumes de seu meio social. Da mesma forma, o conto, através da animação, se coloca como um poderoso instrumento de educação, trazendo não só conteúdo educativo, mas um conteúdo que se relaciona axiologicamente com o cotidiano, o que pode ser considerado o que Muniz Sodré chama de hexis educativa.

Palavras-chaves: contos maravilhosos; mídia; animação; hexis educativa; cotidiano infantil

Link:https://app.uff.br/riuff/handle/1/16782

Felipe Aloísio da Silva Santos

Mídia e Educação: os desafios cotidianos entre a prática de ensino e o discurso político de inclusão digital

Orientador: Pablo Nabarrete Bastos

Resumo:Este trabalho discute o tema mídia, educação e inclusão digital ampliado numa perspectiva dentro do ambiente escolar onde o professor é protagonista na arte de ensinar e que, atualmente, tem em seu ofício a internet como espaço e meio de uso cotidiano em suas atividades de ensino e pesquisa. O recorte metodológico se dá entre os professores do Ensino Fundamental do CIEP Margarida Thompson, localizado na cidade de Piraí, interior do Estado do Rio de Janeiro, mesclando diferentes áreas. Não queremos limitar o assunto, mas, ampliar nossa visão sobre o fio condutor que nos leva a entender a internet como meio social de inclusão, tendo em vista que muitos alunos não têm acesso à internet ou não sabem fazer uso da ferramenta para ampliar seus conhecimentos. Embora tenhamos ciência das limitações de todo o potencial interativo e participativo da rede, entendemos a internet na educação como uma espécie de cooperativa, na qual os sujeitos interlocutores podem cooperar tecnicamente em processos dialógicos de ensino-aprendizagem que, a partir de fundamentos da alfabetização midiática e informacional, podem contribuir para o desenvolvimento da educação crítica e reflexiva. Nosso estudo está fundamentado teoricamente nas noções sobre Alfabetização Midiática, EduComunicação, Competência Crítica em Informação (CCI) e Política Pública de Inclusão Digital.

Palavras-chaves: Mídia; educação; inclusão digital.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/16740

Hellen Rodrigues Arantes

Fashion Revolution Brasil: o consumo consciente no cotidiano do Instagram à luz da publicidade social de causa

Orientadora: Patrícia Gonçalves Saldanha

Resumo: A sociedade contemporânea vem sofrendo com as inúmeras consequências socioambientais dos padrões de consumo desenfreados que fazem parte do cotidiano da população. Entre desmatamentos, poluições ambientais e trabalho escravo nas indústrias mais lucrativas do Planeta, se acendeu um sinal de alerta no que tange às atuais práticas de consumo. Surge, nesse contexto, o consumo consciente e, através de uma rede complexa de atores sociais, formada por Empresas, Mídia, ONGs, Poder Público, Movimentos Sociais e Sociedade Civil, vem se apresentando como alternativa aos estilos de consumo nocivos das últimas décadas. Essa “rede” tende a se influenciar e a ter interesses diversos no que se refere à natureza e aos direitos sociais. Partindo desse olhar, o trabalho tem como objetivo entender o posicionamento e as ações estratégicas dos movimentos formados por consumidores conscientes no Instagram à luz dos conceitos da Publicidade Social a fim de verificar se tais movimentos têm a potência para subverter a lógica do poder hegemônico. Como o conceito de consumo consciente é amplo e pode estar presente em diferentes áreas da vida, optou-se por analisar um caso relacionado ao segmento da moda, pois a indústria é uma das que mais consome água, gera lixo e possui uma cadeia produtiva complexa, extensa e, muitas vezes, inconsequente no que tange à dignidade humana. Para efeitos de maior reflexão a respeito do cenário fashion, o corpus da pesquisa será a Semana Fashion Revolution do Movimento Fashion Revolution Brasil, que preza por uma moda justa, revolucionária e transformadora. Nesse sentido, a metodologia da dissertação será composta por pesquisa bibliográfica e análise do discurso francesa sob a perspectiva dos estudos de ORLANDI (2003) aplicadas nos três posts mais curtidos e comentados no Instagram das respectivas edições da semana de moda nos anos de 2018 e 2019. Os principais conceitos e autores utilizados para embasar o trabalho foram: consumo e sociedade de consumo contemporânea (BAUMAN, 1999; 2001; 2008), consumo consciente e sustentabilidade (PORTILHO, 2005) e (TAVARES e IRVING, 2009), midiatização (SODRÉ, 2002; 2014), cotidiano (HELLER, 1985), Publicidade Social (SALDANHA, 2018), moda (LIPOVETSKY, 2009) e análise do discurso (ORLANDI, 2003).

Palavras-chaves: Consumidor Consciente; Mídia e Cotidiano; Moda – Instagram Fashion Revolution; Sociedade Midiatizada de Consumo; Publicidade Social de Causa.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13040

Janice Morais de Mendonça

Tecnologias digitais e processos de midiatização no cotidiano escolar

Orientadora: Walcéa Barreto Alves

Resumo:A dissertação aqui apresentada baseia-se em três eixos principais: comunicação, educação e tecnologias. Apresenta análises e resultados de pesquisa sobre os processos de midiatização e suas implicações no cotidiano dos alunos de uma escola pública, localizada no município de Niterói, RJ. O estudo, realizado ao longo do ano letivo de 2018, foi desenvolvido através de articulação teórico-metodológica baseado em análise bibliográfica e pesquisa de campo de abordagem etnográfica (ERICKSON, 2001; MATTOS, 2011). Os dados foram escrutinados mediante análise de conteúdo, tomando como ponto de partida as representações que emergiram das situações observadas, considerando-se a ótica dos atores sociais envolvidos e contando com o auxílio do software Iramuteq. Os resultados apontaram que o desafio de incorporar as tecnologias digitais no cotidiano escolar vai muito além da mera utilização das mesmas como ferramentas de ensino e aprendizagem. Assim, foi necessário significá-las levando em conta os processos de midiatização vivenciados e demonstrados nos eventos observados e percebidos através das falas documentadas. A partir dessa percepção, os elementos descortinados apontam para caminhos que indicam a necessidade de elaborar, desenvolver e avaliar práticas culturais e pedagógicas que sejam capazes de promover o incremento de uma disposição crítica e reflexiva sobre os usos da tecnologia e da mídia no cotidiano em interface com aspectos educacionais.

Palavras-chaves: Comunicação; Educação; Cotidiano; Tecnologias Digitais; Midiatização.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/16117

Juliana Dias Ferreira

Redes de alerta e a potencialização do medo no cotidiano midiatizado: o caso “Copacabana Alerta”

Orientadora: Renata de Rezende Ribeiro

Resumo: O objetivo deste trabalho é discutir as interações e o conteúdo de postagens de grupos criados no Facebook para o compartilhamento de alertas sobre episódios locais de violência pública. Como objeto de análise, tomamos a página “COPACABANA ALERTA”, em um recorte de conteúdo de postagens sobre o assunto em 2018, que nos permitiu refletir a respeito da nova configuração de sociedade — cada vez mais afetada pelas mídias e pelas relações virtuais. Por meio das perspectivas de Maffesoli (2014) e Certeau (1998 [1980]) acerca do cotidiano, além dos conceitos de midiatização e redes sociais, e também do desenvolvimento de temas como o medo, a agressividade e as “performances catárticas” (REZENDE, 2014) no ambiente virtual, foi possível investigar a hipótese de que, em vez de contribuir para a sensação de segurança, a comunidade virtual em estudo poderia aumentar o sentimento de medo em seus participantes. A disponibilização de um questionário para ser respondido por membros de grupos de alerta, entrevistas com representantes de órgãos públicos sobre o monitoramento desses espaços, bem como o desenvolvimento de um percurso bibliográfico do conceito de vigilância foram as ferramentas usadas para alcançar uma compreensão mais ampliada sobre as relações e trocas desenvolvidas no território em questão.

Palavras-chaves: Mídia e Cotidiano; Redes Sociais; Medo; Alerta; Violência Urbana.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/14059

Karen de Paula Santos

A publicidade oculta como estratégia de fortalecimento da narrativa neoliberal: uma análise crítica do discurso da previdência nos publieditoriais do Banco BTG Pactual

Orientadora: Patricia Gonçalves Saldanha

Resumo: O estudo aqui apresentado pretende compreender as lógicas de determinados modelos de publicidade incorporados de modo oculto às produções midiáticas, considerando o contexto de midiatização contemporâneo. Partimos da hipótese de que a Publicidade Oculta, enquanto narrativa midiática que permeia o cotidiano, compõe uma estratégia de legitimação velada para o avanço dos interesses de mercado a partir de um discurso de enfraquecimento do Estado, que visa o avanço e consolidação do sistema neoliberal. Para tanto, nos debruçaremos sobre a comunicação do banco BTG Pactual e seus respectivos formatos no portal da revista Exame, que estruturam a Publicidade Oculta do banco, enquanto objeto da pesquisa. Serão investigados seis anúncios em publieditoriais veiculados pelo banco no portal on-line da revista Exame entre dois períodos: outubro de 2018 a dezembro de 2018 e junho a julho de 2019. Desse modo, o corpus de pesquisa servirá de base para analisar o agendamento de um tema pertinente a ―todos‖ os cidadãos brasileiros: a Previdência; a partir de um discurso oculto, para a manutenção do interesse de poucos e a serviço do mercado do capital. Para compor a metodologia, realizaremos a investigação do corpus a partir dos métodos de Análise Semiótica Peirceana e a Análise do Discurso de Linha Francesa, além de revisão bibliográfica e um estudo de caso com articulação teórica e levantamento de dados sobre o cenário político-econômico analisado. A perspectiva de mídia (KELLNER, 2001), midiatização (SODRÉ, 2002; 2014), publicidade contemporânea (ATEM, 2008), (PEREZ, 2007; 2015), Publicidade de Utilidade Pública (SALDANHA, 2019); Análise do Discurso (ORLANDI, 2001), Análise Semiótica (SANTAELLA, 2002) e as questões éticas publicitárias (BRAGAGLIA, 2017) serão algumas das temáticas aqui abordadas, para o desenvolvimento do referencial teórico.

Palavras-chaves: Midiatização. Publicidade oculta. Mídia e Cotidiano. Publieditorial digital. BTG Pactual.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/15958

Letycia Gomes Nascimento

Etnocomunicação indígena como prática de liberdade decolonialista e ancestral na formação comunicativa da Webrádio Yandê

Orientadora: Pablo Nabarrete Bastos

Resumo:É com o desejo de entender a formação comunicativa da Webrádio Yandê junto à etnocomunicação indígena e suas interfaces na comunicação comunitária e cidadã que desenvolvemos, debruçados nas influências cotidianas, esta pesquisa de mestrado. Nossas reflexões se baseiam principalmente a partir da significação do próprio termo Yandê, que em Tupi Guarani quer dizer “Nós, nosso”. Além, é claro, da sobre a construção teórica dos temas: decolonialidade em Mignolo (2017), Quijano (2005), Maldonado-Torres (2016) e Fanon (1961); dos princípios fundamentais da ancestralidade indígena com Kopenawa (2015), Krenak (2019) e Mundurucu (2018). Seguimos nossas reflexões junto à comunicação a partir das proposições de Peruzzo (2006 e 2015), Paiva (2003, 2007 e 2008) e Prata (2008), no que diz respeito à comunicação comunitária; e com Martin- Barbero no que tange a construção dos modelos de sociabilidade e ritualidade comunicativa das comunidades originárias. Por acreditarmos que a construção da comunicação indígena é formada primordialmente pela sua subjetividade histórica, tomamos as proposições de Morin (2003) como guia teórico quanto a formação da comunidade indígena; e a revisão histórica de Deparis (2007), como ponto de partida para entender os atravessamentos que lhes perpassaram nos últimos 500 anos. Na realização desta pesquisa nos apoiamos na análise bibliográfica desses e de outros autores, também realizamos seis entrevistas em profundidade, com inspiração etnográfica, com coordenadores e colaboradores da Webrádio Yandê no Brasil e no México buscando compreender seus anseios na criação do veículo e suas rotinas para a produção de conteúdo.

Palavras-chaves: etnocomunicação indígena; ancestralidade; comunicação comunitária; etnicidade; cotidiano

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/14483

Luiza Gould de Souza

A ‘arte de sujar os sapatos’ com a pauta social: grande reportagem e o cotidiano dos indivíduos (extra)‘ordinários’

Orientadora: Carla Baiense Felix

Resumo:Este estudo analisa grandes reportagens protagonizadas por anônimos oprimidos, mas não passivos, a quem Michel de Certeau (2014 [1980]) chama de “ordinários”; por vidas “matáveis” e ao mesmo tempo insacrificáveis (AGAMBEN, 2010 [1995]); por mulheres e homens “invisíveis” (BRUM, 2006), assim considerados devido a uma cegueira coletiva e consciente. Verificamos se os discursos constituídos permitem conhecer, em sua alteridade, o marginalizado social. São problematizados critérios de noticiabilidade que repercutem essa exclusão na mídia, assim como rotinas produtivas do jornalismo. O corpus é constituído por trabalhos vencedores do Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, e recorremos à Análise de Discurso francesa para investigá-los. A pesquisa revisita a grande reportagem por meio de escolas que afirmaram o lugar do gênero, como o New Journalism, mas também fornece um contraponto ao desromantizá-la. Conclui-se que a reportagem tem inegável potencial de relatar histórias de vidas marginalizadas com o respeito que tais histórias merecem, ajudando a iluminar os abismos de nossa sociedade. Mas, se não está a serviço do Outro, caso engrandeça a aventura do repórter ou tenda à espetacularização dos personagens, então o gênero terá falhado com a busca por um jornalismo mais íntegro e integral (MORAES, 2019).

Palavras-chaves: Grande reportagem; cotidiano; marginalizado social; jornalismo.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13504

Marcela Rochetti Arcoverde

O homicídio dramatizado: fragmentos do cotidiano violento em Cidade Alerta e Brasil Urgente

Orientadora: Renata de Rezende Ribeiro

Resumo: Este trabalho propõe uma análise da representação do homicídio em Cidade Alerta (Rede Record) e Brasil Urgente (Rede Bandeirantes). Para tanto, refletimos sobre os processos de dramatização (COUTINHO, 2012) da notícia e como essa contribui para a criação de uma narrativa do cotidiano violento. Ponderamos como a vida cotidiana (HELLER, 1989) e a estrutura do jornalismo televisivo (MACHADO, 2000; PATERNOSTRO, 1999) se relacionam e como propiciam a veiculação de perspectivas “fragmentárias” da violência urbana. Com o intuito de compreender quais estruturas narrativas são utilizadas nesses noticiários policiais que adotam a linguagem sensacionalista (ANGRIMANI, 1995), fizemos uma análise de conteúdo (BARDIN, 2011) das reportagens veiculadas por ambos telejornais durante os meses de: janeiro, maio, agosto e dezembro de 2018. Foram 1975 reportagens coletadas: 472 de Cidade Alerta e 1503 de Brasil Urgente. Destas, analisamos em profundidade 64 reportagens, 32 de cada noticiário. A partir da observação geral do conteúdo veiculado pelos programas, percebemos que as notícias referentes, especificamente, à cobertura de homicídios ocuparam grande parte do conteúdo dos telejornais: 40,68% em Cidade alerta e 37,2% em Brasil Urgente. Por meio de uma investigação mais aprofundada das reportagens de homicídio coletadas, verificamos que o tipo de assassínio mais veiculado em ambos os telejornais foram os de motivações passionais em especial o feminicídio. Assim, através da comparação entre o que era representado nessas matérias e os dados sobre o crime de homicídio no Brasil, produzidos pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), pudemos verificar dissonâncias entre as reportagens e a “realidade” (estatística). Essas disparidades nos ajudaram a identificar como as narrativas de homicídio são dramatizadas nesses noticiários.

Palavras-chaves: Cotidiano; Homicídio; Dramatização; Mórbido; Telejornalismo.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/16633

Márcia Diniz de Souza

Um estudo sobre as representações femininas na heroína Jessica Jones em sua série homônima

Orientadora: Dagmar de Mello e Silva

Resumo: Jessica Jones é uma heroína de histórias em quadrinhos da Marvel Comics que estreou, em 2015, uma série homônima na provedora via streaming Netflix. Este trabalho teve o objetivo de compreender se essa personagem apresenta novas possibilidades de identificação para suas espectadoras. Para isso, foram empregadas duas análises: a primeira foi uma análise de conteúdo dos dois primeiros episódios da série com o intuito de elencar algumas características da personagem Jessica Jones; a segunda, uma análise netnográfica de sua página oficial no Facebook, foi empregada para que se pudesse compreender a relação das espectadoras da série com a protagonista. Conceitos como “identidade” e “representação” foram abordados a partir de obras de Stuart Hall e de Legros et al (2014), respectivamente, entre outros autores; da mesma forma, as representações femininas e as feminilidades foram discutidas a partir de Cíntia Schwantes (2006) e Maria Rita Kehl (2008), principalmente; e obras de autores como Michel Maffesoli, Michel de Certeau, Roger Silverstone, entre outros, foram utilizadas para abordar a relação entre o cotidiano e a mídia, ponto de partida para este estudo. Constatou-se, a partir das análises aqui implementadas, que as espectadoras da série Jessica Jones se identificam com sua protagonista em aspectos de uma feminilidade considerada transgressora.

Palavras-chaves: Séries; representações femininas; Jessica Jones; Mídia e Cotidiano; Netflix; Marvel Comics.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12730

Paulo Roberto Figueiredo Aguiar Junior

Porta dos fundos como fenômeno de comunicação: uma abordagem pela teoria ator-rede

Orientadora: Flávia Clemente de Souza

Resumo: Este trabalho tem como objetivo identificar, sob a ótica da Teoria Ator-Rede, os fatores que levaram o coletivo de humor do ciberespaço, Porta dos Fundos, a ser um fenômeno em seu canal do YouTube, identificando em sua rede sociotécnica os actantes (humanos e não humanos), os mediadores, as conexões, os intermediários e toda a translação existente na trama, traçando a cartografia das controvérsias a partir da abertura de sua caixa-preta. Foram utilizados os conceitos da filosofia da linguagem de Mikhail Bakhtin e seu Círculo como suporte teórico para as investigações realizadas. A pesquisa foi delimitada no recorte espaço-temporal do primeiro ano de existência do grupo, numa imersão dos estudos do cotidiano e suas práxis.

Palavras-chaves: Porta do Fundos, Mídia e Cotidiano, Teoria Ator-Rede, Filosofia da Linguagem, Mikhail Bakhtin.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13507

Raquel Terto Rego

Corpos femininas e narrativas: cotidianidade e (re) existências nas produções audiovisuais do Coletivo Mulheres de Pedra de Guaratiba

Orientadora: Denise Tavares da Silva

Resumo:Este trabalho tem como objetivo analisar o protagonismo, a poética e a construção narrativa dos vídeos ÊLEKO (2015), QUIJAUA (2016), Fé Menina (2017) e Mar de Elas (2018), obras produzidas pelo coletivo Mulheres de Pedra de Guaratiba, localizado na região oeste da cidade do Rio de Janeiro. Interessa à pesquisa as discussões estéticas e o diálogo que estas obras estabelecem com a história e memória da identidade e cultura negra, situando-as no contexto do percurso dos coletivos que se formam como projetos de luta e resistência no país. Foca-se, particularmente, os processos de identidade e construção de um grupo essencialmente feminino que se mobiliza pela reivindicação de um protagonismo feminino negro. Tais metas implicam, para nós, em um percurso metodológico que inclui, além da análise audiovisual, abordar a dimensão cultural, de raça e de gênero revisados pelo campo teórico e metodológico do paradigma dos novos movimentos sociais à luz de uma bibliografia norte-americana e brasileira de e sobre o feminismo negro. Justifica-se o caminho escolhido em função da hipótese de que o processo criativo do Mulheres de Pedra é modulado pela perspectiva da resistência cotidiana – território problematizado especialmente por Heller (1985) -, e por uma atuação “em” Coletivo (que assumimos justa e potente), contrária à lógica estrutural racista e, portanto, de autoafirmação enquanto mulheres negras.

Palavras-chaves: mulheres de pedra, coletivos, cotidiano, cultura afro-brasileira; audiovisual.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/16047

Robson Sales de Azevedo Junior

Empreendedorismo: uma análise por meio do jornalismo econômico

Orientadora: Larissa de Morais Ribeiro Mendes

Resumo:Esta dissertação analisa como a imprensa retrata o empreendedor, a partir de histórias nas quais superação e meritocracia despontam como soluções para sair da crise econômica. A hipótese central da pesquisa é que, em um cenário de recessão, a imprensa especializada usa casos de sucesso no mundo empresarial para romantizar a trajetória do empreendedor ao sucesso profissional. Esse incentivo à abertura do próprio negócio está inserido em um contexto de mudança estrutural no mercado de trabalho, que ocorre desde a década de 1970 impulsionada pelo aumento da flexibilidade do modelo de produção capitalista. Através da análise de conteúdo, aliada a observação de enquadramentos, identificamos pelo menos cinco categorias para as matérias com o objetivo de observar inclinações e contrastes às coberturas em torno do tema. As reportagens foram classificadas através de uma leitura flutuante e, posteriormente, separadas de acordo com o conteúdo, que, majoritariamente, descrevia o perfil desse novo empresário e os caminhos para a saída da recessão. Investigamos matérias dos três principais jornais de caráter nacional: Folha de S. Paulo, Estado de S. Paulo e O Globo. Os exemplos escolhidos foram selecionados do ano de 2017, quando entra em vigor a reforma trabalhista aprovada pelo ex-presidente Michel Temer (2016-2018). Os meios de comunicação são um dos principais organizadores e distribuidores de discursos para a sociedade. A partir de conceitos de Henri Lefebvre (1991) e Agnes Heller (2008), apontamos a mídia como uma importante ferramenta de orientação do cotidiano, local de construção e desconstrução de valores da sociedade, espécie de fio condutor da história. A mídia possui papel fundamental na formação dos discursos, por isso, mostra-se fundamental entender como o jornalismo econômico, neste caso em particular, mostra essas histórias que exaltam o individualismo e a superação do empresário e como conceitos ligados ao empreendedorismo e à meritocracia receberam mais espaço no noticiário econômico no Brasil, principalmente a partir da década de 1990 com a chegada de governos neoliberais.

Palavras-chaves: empreendedorismo; jornalismo; análise de conteúdo; enquadramento; mídia e cotidiano.

Link:  https://app.uff.br/riuff/handle/1/14969

Tauani Susi da Silva Marques de Oliveira

Representação de mulheres negras no Instagram: análise narrativa dos comentários do feed de Nátaly Neri, Preta Gil e Talíria Petrone no Dia da Consciência Negra

Orientadora: Patrícia Gonçalves Saldanha

Resumo: A presente pesquisa se refere à dissertação apresentada no Programa de pós-graduação em Mídia e Cotidiano e tem como objetivo geral refletir sobre possíveis impactos sociais que pessoas públicas podem causar a partir dos seus discursos midiáticos. Levando em consideração a importância da internet nos dias atuais, e seu aprimoramento a partir da globalização, a pesquisa pretende evidenciar o uso social das redes digitais, tendo em vista o processo histórico do nosso país e, consequentemente, o domínio das principais instituições articuladoras da vida ordinária. Pretendemos compreender se o Instagram, rede sociotécnica popularmente conhecida pela exposição de cotidianos, que aparentemente mostram vidas perfeitas almejadas por muitos internautas, também pode exercer a função de gerador de diálogos importantes acerca da mulher negra, a partir do corpus recortado para esta investigação: a influenciadora digital Nátaly Neri, do canal no YouTube nomeado Afros e Afins, da Deputada Federal pelo Estado do Rio de Janeiro, Talíria Petrone e da artista contemporânea Preta Gil. Vamos analisar como a apropriação do Instagram por mulheres de distintos segmentos sociais tem sido relevantes para refletir sobre as problemáticas associadas ao machismo, ao racismo e ao sexismo na atualidade, além de pensar a importância de se debater sobre lugar de fala e empoderamento da mulher negra após séculos de sileciamento. A metodologia será constituída pela pesquisa bibliográfica e pela análise dos comentários, a partir do discurso inserido das publicações realizadas no feed do Instagram. No que tange à pesquisa bibliográfica, nos fundamentaremos nos autores Zygmunt Bauman, para trabalharmos os efeitos da globalização e Stuart Hall para compreendermos o conceito de identidade da mulher negra como sujeito pós-moderno em um mundo globalizado. Vamos trabalhar com as obras dos autores Manuel Castells, Henri Jenkins e Douglas Kellner para elucidar os efeitos do uso da internet nas interações sociais entre os indivíduos, além de Agnes Heller para trabalhar o conceito de cotidiano, e os livros de Joice Berth e Djamila Ribeiro para compreender o significado e a importância do empoderamento das mulheres em questão e do lugar de fala a que têm direito.

Palavras-chaves: feminismo negro na mídia, cotidiano no Instagram, representação das mulheres negras, Nátaly Neri – Preta Gil – Talíria Petrone, dia da consciência negra.

Link:  https://app.uff.br/riuff/handle/1/15825

Thiago Ribeiro Fraga

O homossexual masculino em Bichas e Xampy: corpo, identidade e protagonismo social

Orientadora: Denise Tavares da Silva

Resumo: O objetivo deste trabalho é discutir as identidades e protagonismos associadas ao homossexual masculino nos filmes documentários “BICHAS, o documentário” (Marlon Parente, Recife, 2016) e “Xampy” (Daniel Wierman e Paulo Menezes, São Paulo, 2014). Pretende-se, com este foco, observar as estratégias narrativas destas obras em torno destes protagonismos, em cotejo a um cenário marcado pelas revisões dos valores relacionados ao homossexual masculino no Brasil. Entre os autores que balizaram este percurso está João Silverio Trevisan pela recuperação que faz da trajetória do movimento LGBTQIA+ no Brasil e sua relação com o audiovisual brasileiro. Também trabalhamos o conceito de estigma do Goffman e o de preconceito de Heller, além de nos valer de Stuart Hall, Bauman, Tomaz Tadeu da Silva e Judith Butler para discutir as questões relacionadas à identidade. Destaca-se, especialmente, o conceito/proposta da “Ética Bixa” de Paco Vidarte, entendendo o protagonismo do homossexual como corpo político. Quanto à problematização que fazemos em relação às representações homossexuais, recorremos, mesmo que breve e pontualmente a Maffesoli e Foucault. A abrangência das discussões e a recorrência aos autores citados têm como fundamento um percurso metodológico que teve como ponto de partida o diagnóstico de diversas obras audiovisuais que buscavam problematizar a representação e identidade do protagonismo do homossexual masculino. Tal situação nos levou a uma revisão bibliográfica que buscou recuperar um breve histórico da construção desta representação e também da militância afinada às lutas do movimento LGBTQIA+ o que nos ofereceu as chaves conceituais que estruturam este estudo, isto é, representação, identidade e a “Ética Bixa”, esta última como um horizonte potente na perspectiva de quebra de estereótipos. Este caminho de investigação nos levou a concluir, ao final do estudo, que nos documentários-objetos da pesquisa, existem representações dos limites de transgressão no corpo e na retórica do homossexual masculino autoafirmado “bicha”, e que o entendimento destes limites nos permite novos entendimentos sobre a construção de identidades na comunidade LGBTQIA+.

Palavras-chaves: Documentários, LGBTQIA+, Identidades, Cotidiano, Homossexual Masculino

Link:  https://app.uff.br/riuff/handle/1/15827

Victor Rocha Nascimento

Uma retomada do Jornalismo Sensível: A apresentação de leituras plurais da realidade por um jornalismo dos afetos

Orientadora: Larissa de Morais Ribeiro Mendes

Resumo: O mundo passa por transformações intensas. Dentro dele, a mídia sofre os impactos de uma era regida pelo imediatismo e incessantes renovações tecnológicas. Muitas vezes tal corrente implica em um consumo acelerado e banal de informações e desinformações, pondo em xeque valores fundamentais do jornalismo. Frente a este cenário, nosso estudo pretende verificar a subjetividade (fortalecida no contemporâneo) como ferramenta no processo de desnaturalização dos fatos a partir da produção sensível de textos informativos. Buscamos também analisar o desenvolvimento de um jornalismo que abre espaço para sua dimensão estética como possível atrativo e amplificador das visões de mundo do leitor, indicando ainda uma aproximação do próprio fazer jornalístico com a arte. A partir disso, nos propomos a conceituar e analisar o que seria um “Jornalismo Sensível”, texto informativo que utiliza subjetividades combinadas nas diferentes etapas do processo jornalístico (sem abrir mão da racionalidade e de uma objetividade metodológica) como ferramenta de comunicação e pluralização das noções de realidade, sobretudo no que diz respeito a representações sociais e a identificação do “eu” e do “outro” na sociedade. Nossas pesquisas indicam que esse fazer jornalístico sensível vai além do estilismo autoral dos textos, perpassando a escolha da pauta, a apuração, a produção, até afetar o imaginário e as sensibilidades do leitor, causando ainda um estímulo à empatia. Tomamos como referência de análise o que foi praticado em publicações contemporâneas através de um recorte que abarca, dentre outros, textos de Fabiana Moraes, Eliane Brum e das revistas RealidadeePiauí.

Palavras-chaves: Jornalismo Sensível; Mídia e Cotidiano; Narrativa; Afetos.

Link:  https://app.uff.br/riuff/handle/1/13284

TURMA DE 2017


Adler Ariel Moreno Mendes

Mais que um jogo: Consumo de skins por mulheres no jogo League of Legends

Orientadora: Andrea Meyer Landulpho Medrado

Resumo: Esta dissertação foca nas duas temporadas da série Cosmos (1980; 2014), tendo como objetivo central analisar suas estratégias narrativas e de linguagem na perspectiva de discutir como estas buscam promover a racionalidade científica e, concomitantemente, divulgar a ciência e sua importância para a compreensão do mundo em que vivemos e para além dele, ou seja, o próprio universo. Para tanto, a pesquisa vale-se, principalmente, de autores como Agnes Heller, Mikhail Bakhtin, Michel Maffesoli, Juremir Machado, Marcelo Gleiser e Benvenido León, pois seu percurso metodológico problematiza questões relacionadas ao cotidiano, aos dialogismos e gêneros discursivos, ao imaginário e, também, à construção narrativa do audiovisual de não-ficção de temática científica. Interessa, em especial, os modos como a série busca “atingir o imaginário” social, articulando em seu discurso narrativo dísticos como ciência e crença e/ou razão e emoção, construindo, paradoxalmente, uma visão poética e espiritualista do empreendimento científico. Destaca-se, também, que a dissertação tem em seu horizonte abordar a relação do audiovisual com a popularização da ciência.

Palavras-chaves: Consumo, Machismo, Mulheres, League of Legends, skin

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9769

Alexandre Freitas Campos

Cotidiano, Imaginário, e o Discurso da Ciência na série de TV Cosmos

Orientadora: Denise Tavares da Silva

Resumo: Esta dissertação foca nas duas temporadas da série Cosmos (1980; 2014), tendo como objetivo central analisar suas estratégias narrativas e de linguagem na perspectiva de discutir como estas buscam promover a racionalidade científica e, concomitantemente, divulgar a ciência e sua importância para a compreensão do mundo em que vivemos e para além dele, ou seja, o próprio universo. Para tanto, a pesquisa vale-se, principalmente, de autores como Agnes Heller, Mikhail Bakhtin, Michel Maffesoli, Juremir Machado, Marcelo Gleiser e Benvenido León, pois seu percurso metodológico problematiza questões relacionadas ao cotidiano, aos dialogismos e gêneros discursivos, ao imaginário e, também, à construção narrativa do audiovisual de não-ficção de temática científica. Interessa, em especial, os modos como a série busca “atingir o imaginário” social, articulando em seu discurso narrativo dísticos como ciência e crença e/ou razão e emoção, construindo, paradoxalmente, uma visão poética e espiritualista do empreendimento científico. Destaca-se, também, que a dissertação tem em seu horizonte abordar a relação do audiovisual com a popularização da ciência.

Palavras-chaves: Cosmos; audiovisual de não-ficção; cotidiano; imaginário; divulgação científica.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10177

Ana Carolina Afonso Seabra dos Santos

A qualidade de vida transformada em desejo de consumo: mudanças no cotidiano de mulheres corredoras de rua por intermédio das mídias sociais

Orientadora: Flávia Clemente de Souza

Resumo: Os centros urbanos das grandes cidades têm sofrido modificações que recriam os usos de seus espaços. Partes delas são reservadas para serem locais específicos para atividades físicas, principalmente aos fins de semana. Essas modificações refletem o crescimento da preocupação com o lazer e com a qualidade de vida, um dos reflexos da vida pós-moderna. Destaca-se também o elevado índice de pessoas que se dedicam ao culto ao corpo. Por consequência, alguns locais viram um berço de experiências sócio-espaciais-temporais que contribuem para a criação de processos de reinvenção e recriação urbana, por um lado, e comportamental, por outro. Esses novos comportamentos transcendem do meio urbano para a internet, nas mídias sociais e em especial o Instagram, sendo possível visualizar as influências que o meio online causa no off-line e vice-versa. A proposta desta pesquisa é apresentar uma análise sobre a forma como o conceito de Qualidade de Vida foi transformado em desejo de consumo, que permeia, mesmo que subliminarmente, diferentes discursos nas mídias sociais, mudando a maneira individual e coletiva de se relacionar e consumir. Para realizar tal estudo, foi escolhido um grupo de mulheres, de 30 a 45 anos, corredoras de rua, que tiveram comportamentos de consumo motivados por pessoas que seguem no Instagram, tendo como justificativa a busca pela melhora da performance e pela promoção de qualidade de vida.

Palavras-chaves: Cotidiano; Mídia, Consumo; Qualidade de Vida.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12996

Ana Carolina Cometti Oliozi

O carnaval na TV: análise da transmissão dos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro nas telas das TVs Brasil e Globo

Orientadora: Renata Rezende Ribeiro

Resumo:O desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro é um importante evento do Carnaval que alcança dimensões nacionais devido à transmissão em emissoras abertas de TV. Esse tipo de transmissão é realizado desde a década de 1960. A TV Globo, uma emissora privada brasileira, transmite os desfiles na Marquês de Sapucaí de forma contínua desde o ano de 1985. Em 2016, a TV Brasil, emissora pública brasileira, realizou pela primeira vez a transmissão do desfile das campeãs do Rio de Janeiro, a nível nacional e com sinal aberto de TV. Por isso, a principal questão levantada foi acerca das diferenças e semelhanças que essas coberturas poderiam apresentar. Neste trabalho, quando analisamos a forma como o carnaval e os desfiles se enquadram no cotidiano da cidade, também consideramos que ele está associado a um processo de midiatização que interfere nos festejos de todo o país. Enumeramos, ainda, as diferenças, regulações e legislações que diferem uma TV pública de uma TV privada, para contextualizar social e politicamente este trabalho. Por último, realizamos um estudo de caso das transmissões de ambas as emissoras, das escolas que foram campeãs nos anos de 2016, 2017 e 2018. Neste estudo, detalhamos pontos de convergência e divergência entre as transmissões a partir de uma análise de conteúdo desenvolvida pela própria autora.

Palavras-chaves: Televisão; carnaval; mídia; cotidiano; escolas de samba

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9668

Ana Paula Muller Soares

Ativismo digital materno: características e interfaces do movimentos de mães em rede com a mídia independente e os feminismos

Orientadora: Andrea Medrado

Resumo:O objetivo principal desta pesquisa é investigar de quais maneiras um movimento de mulheres mães em rede dá origem a um fenômeno que consideramos como uma forma distinta de ativismo: o ativismo digital materno. A partir desse argumento, buscamos apresentar outras questões importantes que norteiam o tema, tais como: quais são as principais características desse fenômeno e de que maneira ele se insere nos campos teórico e empírico do ativismo digital; como se dão as relações entre o ativismo digital materno e os diversos feminismos em rede encontrados atualmente; e quais são as interfaces entre o ativismo digital materno e a informação independente. Com base em uma pesquisa inspirada na abordagem da etnografia digital, com observações participantes conduzidas na plataforma Cientista que Virou Mãe, a pesquisa revelou que o principal objetivo deste tipo de ativismo em rede é transformar a forma como a sociedade vê a mulher com filhos, politizando a maternidade e ocupando os espaços offline do cotidiano como forma de resistência.

Palavras-chaves: ativismo digital; ativismo materno; movimentos sociais em rede; mídia independente; Cientista que Virou Mãe; redes sociais; comunicação digital.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11329

Carlos Alberto M. Briggs Junior

O caso Playboy na mídia brasileira: Quando o cotidiano mitifica o anti-herói ao reforçar o estereótipo de criminalidade

Orientadora: Carla Baiense

Resumo: Esta pesquisa propõe uma discussão acerca da manutenção do estereótipo de criminalidade diante das narrativas midiáticas, a serviço da classe hegemônica. Parte-se da perspectiva de que este discurso objetiva garantir a manutenção da estrutura de classes. Treze matérias dos principais sites de notícias do país foram analisadas sobre Luiz Fernando da Costa, mais conhecido como Fernandinho Beira Mar, Luciano Martiniano, o Pezão, e Celso Pinheiro Pimenta, mais conhecido como Playboy, em um movimento imbricado em Playboy na direção da imprensa carioca e vive-versa, tendo em vista a análise de que o bandido desloca a construção social de criminalidade e volta a garantir um lugar de fala na sociedade. Supõe-se, ainda, que estes movimentos contribuíram para a construção da memória social de Playboy, muito além das páginas policiais.

Palavras-chaves: Violência, discurso, criminalidade, sociedade, produção intelectual

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9770

Gabriel Faza Guedes de Souza

Fronteiras da Publicidade Social: #TodosContraTB e os desafios da mobilização social pelas redes

Orientadora: Patrícia Gonçalves Saldanha

Resumo:A publicidade, enquanto ferramenta, serviu durante décadas ao mercado na criação e manutenção de um ambiente favorável a um consumo voraz, com consumidores ávidos por adquirir produtos e serviços. A publicidade social, entretanto, toma para si as ferramentas hegemônicas da publicidade e as utiliza para um novo fim,  contrahegemônico, que, pautado na criação do vínculo e no engajamento, é capaz de mobilizar a sociedade civil em prol de resoluções de causas comuns. É sobre o conceito de publicidade social, na perspectiva do Laccops, que se fundamenta esta pesquisa. O objeto analisado foi a campanha #TodosContraTB, coordenada pela organização Médicos Sem Fronteiras, que visava colher assinaturas através de uma petição online para pressionar os ministros da saúde dos países que ainda sofrem com alto índice de tuberculose na atualidade a tomarem medidas efetivas no combate à doença em seus países. Por se tratar de uma campanha realizada, especialmente, através de canais digitais, #TodosContraTB foi a base para que se refletisse sobre as possibilidades da publicidade social através das redes digitais e se questionasse, até que ponto é possível que se realizem ações contrahegemônicas em um cenário modulado por ferramentas hegemônicas. Para, a partir daí, analisar se a campanha se enquadra no conceito de publicidade social, assim como, ela própria, contribui para sua complementação.

Palavras-chaves: publicidade social; MSF; #TodosContraTB; engajamento; mobilização; tuberculose.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12995

Jesiel Carvalho Lima de Araujo

Jogos de tabuleiro e apropriação de ambientes: o círculo mágico e a suspensão tática do cotidiano

Orientador: Emmanoel Martins Ferreira

Resumo: Jogos de tabuleiro são um verdadeiro portal para um mundo mágico. Os preparativos necessários para jogá-lo são quase ritualísticos, onde todos sentam em volta da mesa e estão envolvidos naquela atividade, seja para ser o melhor estrategista ou apenas para dar boas risadas. É inegável que os jogos de tabuleiro estão presentes na humanidade há séculos e que fizeram parte da infância de muitos brasileiros e brasileiras. No entanto, um fenômeno diferente surgiu há alguns anos e está tomando as prateleiras das casas e fazendo lojas especializadas e eventos de jogos de tabuleiro se multiplicarem. Estamos falando dos jogos de tabuleiro modernos. Este trabalho busca traçar um breve panorama sobre a formação deste cenário e tentar entender melhor como estes jogos são jogados em ambientes que a princípio não foram pensados para eles, como a praça de alimentação de um shopping, por exemplo. Entender o papel e que lugar os jogos de tabuleiro modernos ocupam na estrutura do cotidiano contemporâneo é mais uma das questões levantadas nesta dissertação.

Palavras-chaves: jogos de tabuleiro, cotidiano, táticas, apropriação.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12731

Larissa de Oliveira Cesar

Pastor Silas Malafaia nas eleições de 2018: O uso estratégico do Twitter como palanque no cotidiano midiatizado

Orientadora: Patrícia Gonçalves Saldanha

Resumo: O número de fieis evangélicos no Brasil é cada vez maior, ao passo que a articulação política entre atores religiosos se fortaleceu no Congresso Nacional. A atuação política e o crescimento da população evangélica são frutos da expansão do movimento neopentecostal, segmento que se caracteriza ainda pela forte presença midiática. Em vista disso, se materializa uma atuação política que visa o travamento de lutas morais e os interesses midiáticos. Entende-se que a mídia assume espaço central na vida cotidiana. É nesse contexto que o pastor Silas Malafaia se fortalece como líder de opinião e influenciador digital: com ampla presença nos meios de comunicação de massa, nas mídias digitais e fora da mídia, alimentado por repercussões políticas. O trabalho tem como objetivo entender a construção estratégica da retórica de Malafaia com objetivo de persuadir sua audiência na rede social do Twitter durante as Eleições de 2018. Para isso, será utilizado um conjunto de métodos que une a pesquisa bibliográfica, a análise de conteúdo e a pesquisa documental. Os principais autores e conceitos utilizados para embasar o trabalho são: líder de opinião (LAZARSFELD, 1944), midiatização (SODRÉ, 2002, 2014), cotidiano (HELLER, 2000), análise de conteúdo (BARDIN, 1977), sociologia neopentecostal de Machado (2009) e Mariano (2005) e argumentação retórica (DITTRICH, 2008). Como resultado, conclui-se que a retórica estratégica empenhada por Malafaia prioriza as emoções, principalmente o asco, para persuadir seu público nas mídias digitais ao alimentar uma aversão pública contra a esquerda política e a grande imprensa.

Palavras-chaves: Comunicação em política, cotidiano, mídias digitais, religião, produção intelectual

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9771

Leandro Marlon Barbosa Assis

Mídias Digitais, práticas docentes e cotidianos escolares: discussão do paradigma da escola do século XXI a partir da Educação Crítica para as Mídias

Orientadora: Alexandre Farbiarz

Resumo:Esta dissertação busca compreender as mudanças nos costumes e comportamentos no cotidiano escolar, a partir da inserção das mídias digitais, focando no paradigma da escola do século XXI, em especial no que se refere à formação para a reflexão crítica do educando, com foco na interface da Comunicação com a Educação pela perspectiva da Educação Crítica para as Mídias. A abordagem teórica se baseia principalmente nos escritos de Paulo Freire (1967; 2011; 2015b) e na revisão bibliográfica da área de interface (APARICI, 2014; BACCEGA, 2009; BUCKINGHAM, 2005; CITELLI, 2011; COSCARELLI, 2016; FEDOROV, 2008; FRAU-MEIGS, 2006; FREIRE; GUIMARÃES, 2011; GRIZZLY; CALVO, 2013; KELLNER; SHARE, 2008; OROZCO-GÓMEZ, 2011; SOARES, I., 2011) sob a perspectiva de diferenciação entre o conceito de mídias digitais (ALBURQUEQUE; BRITO, 2018; BELLONI, 2018) e de tecnologia (MILL; BERTOLDO, 2018). Para a elaboração deste trabalho, foram entrevistados 10 educadores em três escolas da Rede Estadual do Estado do Rio de Janeiro e, ainda, realizada a Pesquisa Participante no locus de seus cotidianos para fundamentação da observação. Com base na Análise de Conteúdo (BARDIN, 1977) das entrevistas, percebeu-se que os educadores se dividem em dois grupos: (a) os que utilizam as mídias e buscam exercer uma educação crítica e (b) os que utilizam de maneira acrítica as tecnologias ou que se recusam ao uso. Dessa análise, portanto, a pesquisa ressalta que a existência do primeiro grupo se deve, com maior peso: (1) à formação do educador; (2) à realidade em que está situada a escola; e (3) ao apoio recebido da escola e do governo.

Palavras-chaves: Educação Crítica para as Mídias; Prática Docente; Mídias Digitais; Cotidiano Escolar.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9772

Leticia Carolina dos Santos Moreira Pinho

Novas formas cotidianas de relacionamento do Papa Francisco com seus seguidores através do seu perfil no Instagram

Orientadora: Andrea Meyer Landulpho Medrado

Resumo: As ávidas mudanças social, econômica e tecnológica, e a redução do tempo perante a multiplicidade de demandas cotidianas, vêm configurando a sociedade hipermoderna. Com isso, as redes de contato e a interação social têm sofrido alterações, a ponto dessas atravessarem o cotidiano dos sujeitos. Desse modo, a interação mediada pelas redes sociais está conquistando cada vez mais espaço na hipermodernidade (LIPOVETSKY, 2004), alcançando diversas instâncias da sociedade, inclusive líderes de instituições religiosas como, por exemplo, o Papa Francisco. Essa nova forma de comunicação utilizada pela Igreja Católica suscitou o levantamento do seguinte problema de pesquisa: De que forma a interação mediada cotidiana está transformando a natureza da comunicação do Papa Francisco com seus seguidores? Sendo assim, este estudo busca analisar de que forma a interação mediada cotidiana entre o Papa Francisco e seus seguidores, através do Instagram, pode contribuir para uma transformação na maneira em que os mesmos se conectam com a figura pública do Papa. A proposta é analisar quais são os tipos de conteúdo postados no Instagram do Papa que demonstram uma tendência para provocar mais reações entre os seguidores e por quê; investigar estilos, formatos e recursos das postagens no Instagram do Papa; verificar a natureza da interação mediada entre os seguidores e Francisco. Para realizar essa investigação são utilizadas como abordagens metodológicas a netnografia (KOZINETS, 2014) e a análise de conteúdo (BARDIN, 2016). Os resultados apontam que o Instagram tem tornado o líder máximo da Igreja Católica mais acessível, mesmo não interagindo com os fiéis. Na página @franciscus, a interação mediada cotidiana não ocorre a partir de diálogos, mas sim de interações mútua e reativa, perante a observação da ressonância das publicações. Entretanto, o fato de estar em um ambiente que propõe uma comunicação horizontal, que veicula constantemente os seus “passos”, cria a sensação de proximidade com os seguidores. No ambiente digital da hipermodernidade, estar próximo é estar conectado.

Palavras-chaves: mídia e cotidiano; interação; celebridade; Instagram; Papa Francisco.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9773

Lílian Wilson de Oliveira Ferreira Tropiano

Malhação como um constructo simbólico: a representação do cotidiano escolar

Orientadora: Ana Paula Bragaglia

Resumo:A pesquisa tem como objeto a representação da escola pública na mídia, em específico a novela Malhação temporada Viva a diferença. Para tanto, investigamos o discurso que surge da representação do cotidiano escolar nesse produto midiático. A novela Malhação passou a citar a escola pública como um espaço narrativo depois de 15 anos de exibição. Esse apagamento da representação da escola pública em um longo período da história do programa foi a motivação para a pesquisa, vista o estigma alcunhado à instituição em relação à origem social dos seus membros. A análise recai sobre a maneira como os agentes estabelecem as relações entre si e com o espaço da escola pública no cotidiano representado. A metodologia principal de coleta de dados utilizada foi a Análise do Discurso da linha francesa (CHARAUDEAU, 2001, 2004, 2007, 2013, 2016). Foram coletados em nosso recorte 14 episódios nos quais analisamos os efeitos de discurso. Desta forma, nos aportamos na teoria de representação social (MOSCOVICI, 2015) e nos conceitos de utopia e ideologia (RICOUER, 2015), opinião pública (LIPPMANN, 2017), senso comum (GRASMCI, 2011; MARTINS, 2010) e na teoria dos efeitos de patemização do discurso (CHARAUDEAU, 2007). Como principais resultados, observamos que embora a produção tenha expressado a intenção de romper com os estereótipos negativos sobre o cotidiano escolar da escola pública, seus agentes ainda não são representados de forma a diluir tais visões estereotipadas.

Palavras-chaves: Cotidiano Escolar, Escola pública, Representação social, Estereótipo, Discurso

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10221

Luciana Aparecida Carlos Ribeiro

#Empodere: Enfrentamento feminista com o uso de hashtags no cotidiano online

Orientadora: Renata Rezende Ribeiro

Resumo: O crescente acesso à internet têm estabelecido transformações nas dinâmicas de relacionamento dos agentes sociais. Por vezes, práticas já instituídas são adaptadas para o ambiente digital e, em alguns casos, técnicas inovadoras surgem para suprir a necessidade do indivíduo. Nesta pesquisa, pretendemos compreender parte dessas mudanças observando a eclosão da luta pela igualdade de gênero nas redes sociais online. Para tanto, apresentaremos a trajetória de três campanhas feministas com uso de hashtags: #PrimeiroAssédio, #MeuAmigoSecreto e #33DiasSemMachismo. Buscamos compreender como os acontecimentos cotidianos geram mobilização nas redes sociais online e retornam ao ambiente presencial, conquistando espaço na grande mídia, gerando um fluxo de comunicação no qual o cotidiano é pautado e repautado por seus próprios acontecimentos, refletindo sobre os aspectos de retrocesso de direitos e desafios futuros. Discutiremos as origens e/ou histórico de algumas práticas machistas que permeiam a sociedade contemporânea sob o viés da naturalização da desigualdade de gênero, a partir do que chamaremos de Violência Legislativa, Violência Cultural e Violência Social.

Palavras-chaves: feminismo; cotidiano; hashtags; redes sociais; Facebook

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9775

Maria Cristina Guimarães Rosa do Amaral

Deslocamento de narrativas e sentidos na recirculação da notícia nas redes sociais: Um estudo da página “Caneta Desmanipuladora”

Orientador:  João Batista de Abreu

Resumo:Esta dissertação analisa a página virtual Caneta Desmanipuladora – disponível no Facebook em https://www.facebook.com/canetadesmanipuladora – que faz circular na internet versões de manchetes de jornais veiculadas pela grande imprensa que oferecem uma releitura da interpretação dos fatos narrados. Palavras são riscadas com pilot vermelho e eliminadas ou substituídas, ou ainda novas palavras são incluídas. Os sentidos produzidos pelo enunciado sugerem uma mudança no efeito de sentido original, indicando outros pontos de vista para a notícia. São apresentados exemplos de manchetes reconfiguradas em diversos aspectos da vida cotidiana. A página produz também uma nova prática de leitura, num imbricamento entre o jornalismo e o ativismo. Com base na metodologia survey, a pesquisa investiga ainda o universo do grupo O Rascunho, criado pelos fundadores da Caneta Desmanipuladora , e que serve como fórum de discussão e grupo de sugestão de pautas.

Palavras-chaves: jornalismo; midia; ativismo; redes sociais

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10176

Mirian Aranha Sampaio

Publicidade de medicamentos e automedicação: produções midiáticas e convergências com a sociedade medicalizada contemporânea

Orientadora: Ana Paula Bragaglia

Resumo: A publicidade voltada para medicamentos isentos de prescrição médica, aqueles cuja compra não demanda de prescrição médica e a publicidade pode ser direcionada ao usuário do fármaco, possui grande espaço na mídia pós-moderna e está figurada entre as modalidades com maiores investimentos dedicados. Esta dissertação dedicou-se a compreender elementos que constituem o contexto em que essas peças são criadas, dentre eles as principais características do sujeito e da sociedade pós-moderna, marcada pelo fenômeno da medicalização, que também buscou-se apresentar. Além disso, foram abordadas as principais estratégias e recursos de marketing que apoiam as ações de publicidade tradicional, assim como àquelas voltadas para a promoção de medicamentos. Para este trabalho foi realizada revisão bibliográfica a respeito do tema e peças publicitárias dos fármacos Dorflex e Neosaldina foram analisadas, sob a metodologia da Análise do Discurso.

Palavras-chaves: Publicidade; Medicamento; Medicalização; Mídia; Cotidiano.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12997

Pamela Passos Mascarenhas

O jornalismo cultural pós-internet: uma análise da função do suplemento impresso diário no campo cultural a partir de sua relação com o mercado

Orientadora: Carla Baiense Felix

Resumo: Partindo do princípio de que mudaram as formas de produzir, difundir e consumir bens simbólicos no mercado artístico e cultural com as infotelecomunicações (Schneider), esta dissertação busca analisar o impacto destes novos circuitos em dois mercados tradicionais, o Jornalismo Cultural e a música, a partir da experiência de cada um deles e da relação entre os dois no contexto das dinâmicas internas do campo artístico e cultural (Bourdieu), com foco no suplemento cultural impresso diário e na indústria brasileira de música. A hipótese inicial era que o Jornalismo Cultural teria tido a importância de sua função de instância de reprodução e consagração deslocada dentro deste campo, a partir da proliferação de tecnologias digitais no cotidiano e a possibilidade de cada um ser um medium (Sodré), com uma aparente perda de hegemonia pelas mídias tradicionais. A partir de entrevistas com agentes do campo e da análise da trajetória do Segundo Caderno do jornal “O Globo”, considerando também a produção do Caderno B do “Jornal do Brasil”, contudo, podemos ver que as relações entre indústria da música e indústria jornalística não só não se enfraqueceram como o espaço do Jornalismo Cultural impresso diário ficou mais valorizado, pelo menos na perspectiva de sua função para as estratégias da indústria, e não especificamente para o leitor.

Palavras-chaves: Jornalismo; Música; aspecto econômico; Indústria cultural; Mídia

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10975

Rafael Torres Sobreira

Tecnologia, mídia e cotidiano: a mediação da imprensa das relações entre o usuário e tecnologias digitais

Orientador: Emmanoel Ferreira

Resumo:A presente dissertação se propõe a analisar a questão da privacidade online, apropriação e divulgação de dados pessoais sem o consentimento do consumidor de mídias digitais, sob o viés da mediação da imprensa na relação entre usuário e indústria de tecnologia. Acompanhou ao longo de três um jornal online especializado e suas reportagens sobre segurança digital e a partir dessas publicações traça um quadro sobre a questão das mídias geolocalizadoras baseadas na internet e a invasão da intimidade no Brasil a partir da ótica do usuário e o modo como as notícias sobre o tema afetam o cotidiano do consumidor.

Palavras-chaves: Mídia; Cotidiano; Tecnologia; Internet; Controle.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11575

Renata Palitó de Carvalho

Aspectos de ativismo digital na política municipal de São Gonçalo: Um estudo das páginas Fala Coroado e São Gonçalo da Depressão

Orientadora: Adilson Vaz Cabral Filho

Resumo: Neste trabalho percebemos como a internet e as redes sociais online formadas nos softwares sociais, em especial o Facebook, vêm se consolidando como plataformas de articulação social e mobilização para ações sociais e políticas, a partir da proliferação de comunidades virtuais com aspectos ativistas. Algumas dessas mídias sociais podem ser consideradas novos canais comunicativos de bairros e cidades, dotados da urgência da sociedade em cobrar providências, reivindicar melhorias, criticar agentes públicos/governo e conquistar visibilidade no ambiente digital, como vem ocorrendo no município de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro. A partir deste contexto, são analisadas duas comunidades virtuais do município de São Gonçalo – “Fala Coroado” e “São Gonçalo dá Depressão” – utilizando-se o método netnográfico das postagens e comentários, empregado conjuntamente a análise quantitativa e uma entrevista online com os administradores de ambas as páginas. Concluímos que, enquanto a página “Fala Coroado” se constitui como um meio de ativismo digital embrionário, cujo maior desafio é ultrapassar os interesses do mandonismo e do proselitismo local, a página “São Gonçalo dá Depressão” atua como um parlatório digital que faz uso do humor para abordar temas sociopolíticos no município de São Gonçalo, e não como um meio de ativismo digital propriamente dito. Não obstante, a pesquisa mostra que novas formas de associativismos vêm sendo articuladas por cidadãos comuns, que utilizam as ferramentas disponibilizadas no meio digital para formar redes de ações ou apenas fomentar a sociabilidade e a troca de experiências de sujeitos que compartilham uma realidade social similar.

Palavras-chaves: Ativismo Digital; Movimentos Sociais; Comunicação Comunitária; Mídias sociais; São Gonçalo

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10180

Rodrigo Moraes Bittencourt Scisino Alonso

Some Kind of Monster: A midiatiazação e as representações sobre (e do) Heavy Metal

Orientadora: Denise Tavares da Silva

Resumo: O objetivo deste trabalho é discutir a construção narrativa do documentário musical Some Kind of Monster (2004). Este retrata um período turbulento, em termos de relações pessoais, da banda de Heavy Metal Metallica, durante a gravação do álbum lançado no ano de 2003, chamado “St. Anger” (Santo Ódio). A questão teórica central que conduz esta dissertação é o conceito de midiatização conforme Hjarvard, (2012), isto é, a ideia de que a midiatização pode alterar o imaginário social construído a partir das representações midiáticas (cristalizações de determinadas identidades, fixação de preconceitos e estigmas etc). Assim, justifica-se a escolha desta obra, considerando-se que o imaginário em torno do Heavy Metal, conforme apresentamos neste trabalho, define-o a partir de estereótipos musicais e de comportamento que o fecham em um nicho pré-determinado, enquanto o documentário permite uma “quebra” desta circunscrição ao articular sua narrativa à vida cotidiana da banda, inclusive seus conflitos naquele período. A hipótese mobilizou um percurso metodológico que incluiu uma amostra de vídeos jornalísticos sobre o Heavy Metal nos anos do festival Rock in Rio (1985, 1991, 2001, 2011, 2013 e 2015), uma breve revisão da história do gênero enfatizando os momentos de inflexão que consolidaram as suas principais características musicais, visuais e de comportamento, e a análise do documentário Some Kind of Monster. É importante destacar que o principal eixo de cotejo foi a construção identitária deste gênero musical assumida pelo fluxo do underground e pelo que se privilegia no mainstream (que se relaciona com a música pop). Abordagem que se realizou em diálogo com autores como o já citado Stig Hjarvard; com Michel Maffesoli e seu conceito de formismo e discussão sobre tribos urbanas; com Jacques Aumont e Manoela Penafria (análise fílmica) e, também, com pesquisadores que discutem a mídia Kellner), a identidade (Stuart Hall), e o preconceito (Heller).

Palavras-chaves: Heavy Metal; Midiatização; Representação; Preconceito; Cotidiano.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11330

TURMA DE 2016


Daniela Reis do Nascimento

Belas, recatadas e do lar? Performances de intimidade na disputa de sentidos sobre ser mulher

Orientador: Guilherme Nery

Resumo:Este estudo debate os efeitos de discursos e performances de intimidade na esfera pública. Para tanto, seleciona como objeto as construções discursivas sobre a mulher produzidos no contexto da polêmica “bela, recatada e do lar”, nascida de um perfil jornalístico da revista Veja sobre a atual primeira-dama do Brasil, Marcela Temer. O corpus, portanto, não se resume à reportagem, mas também engloba as manifestações dos sujeitos sobre a controvérsia nas redes sociais online. A pesquisa inicia-se com um rastreamento sobre os variados sentidos da dicotomia público e privado. Tal etapa desemboca em um percurso pela linha do tempo, que se concentra no Ocidente, como um todo, e no Brasil, de modo específico, a fim de entender como a herança cultural externa articulou-se com características do país para criar institucionalizações próprias sobre a intimidade. Posteriormente, investigam-se e problematizam-se as relações da mídia com a política, o espetáculo, o culto à personalidade e a construção de imagem pública. Por fim, realiza-se um estudo de caso através de uma combinação de métodos que inclui tanto determinadas Teorias da Comunicação quanto parte do dispositivo conceitual da Análise do Discurso. A partir dos alicerces implementados por esta abordagem espera-se estabelecer as bases para uma compreensão profunda sobre os discursos performáticos de intimidade.

Palavras-chaves: intimidade; efeitos de sentido; discurso; cotidiano; esfera pública

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6688

Débora Ribeiro Gonçalves

Gamificação para engajar no M-Learning: motivação e participação na educação à distância

Orientador: Alexandre Farbiarz

Resumo:A gamificação parte dos princípios fundantes do jogo que estão atrelados ao prazer e à diversão, para decompor elementos que engajam e motivam pessoas em situações que não sejam de jogo. Por isso ela tem sido alçada como instrumento nas mais diversas mediações das relações cotidianas e em seus processos comunicacionais, inclusive como promessa de ruptura de antigos modelos educacionais, tornando-se parte de um novo paradigma. Nesta pesquisa, interessa-nos observar resultados da gamificação, no contexto da Cultura Digital, que dispõe de tecnologias digitais da informação e da comunicação – TDIC – para extrair possibilidades de aplicação na Educação a Distância. Esta dissertação tem como objetivo compreender quais aspectos preponderantes da gamificação são responsáveis por potencializar a motivação, o engajamento e a retenção dos alunos na EaD. Nesse sentido, foram abordadas questões que envolviam identificar como a gamificação promove ou potencializa, por meio da comunicação, a motivação e o engajamento e quais características fundantes e elementos dos jogos se mostraram preponderantes nesses processos, de forma que tais achados pudessem ser aplicados na EaD que dispõe da utilização de dispositivos móveis. Para isso, em um primeiro momento, uma revisão bibliográfica apresentou os principais autores que conceituam o jogo, a gamificação, os elementos de jogo envolvidos no engajamento e na motivação e as abordagens sobre os aspectos motivacionais; e em um segundo momento, uma análise categorial foi aplicada ao corpus, composto por uma seleção de artigos do SBGames, entre os anos de 2012 e 2017, que abordam o tema da gamificação, totalizando 44 artigos. Embora os artigos do corpus não tenham sido suficientes para mostrar um resultado claro e direto na resolução do problema de evasão de alunos na EaD, dois artigos revelaram que elementos como interação, narrativa e colaboração impactam no engajamento e nas motivações intrínseca e extrínseca, evidenciando a afetividade dos sujeitos em um contexto comunicacional facilitado pela utilização de dispositivos móveis, no processo de ensino-aprendizagem.

Palavras-chaves: gamificação;engajamento;m-learning, EaD;mídia-educação

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8829

Fernanda Angelo Constantino

“Cinco motivos para você me dar match”: o gerenciamento da impressão no aplicativo Tinder

Orientador: Emmanoel Ferreira

Resumo:Esta dissertação busca discutir a performance de si no aplicativo Tinder, com foco principalmente no conceito de gerenciamento da impressão elaborado por Erwing Goffman (2002), em sua obra “A Representação do Eu na Vida Cotidiana”. Gerenciamento da impressão diz respeito à forma como os sujeitos constroem sua autoapresentação a partir do olhar do outro, tentando administrar a impressão que o mesmo terá da narrativa exposta. Para a elaboração deste trabalho, foram analisados 100 perfis de usuários homens e realizadas entrevistas semiestruturadas com 8 usuárias mulheres, com o intuito de perceber a forma como as mesmas recebem as narrativas de apresentação dos usuários do gênero masculino. Com base na pesquisa empírica, percebeu-se algumas questões importantes na performance de si no Tinder: 1) a preocupação com a autenticidade, tanto no sentido de uma originalidade na criação do perfil, quanto em relação à honestidade das informações ali expostas (tal cenário influencia a construção de uma narrativa de si feita no limiar entre uma auto-promoção e um perfil autêntico); 2) a busca a partir de esteriótipos, em um contexto onde são poucas as pistas sociais que permitem avaliar o outro no momento da interação; 3) a apresentação de si a partir do gerenciamento da impressão que se deseja transmitir, trazendo a percepção de que o self ali exposto será ou não confirmado em um segundo momento, e trazendo ainda a busca por vestígios e rupturas de tais apresentações em outros contextos online, como outros sites e aplicativos de redes sociais.

Palavras-chaves: Identidade; Performance; Gerenciamento da Impressão; Tinder.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6651

Filipe Mello de Souza Cabral

A pesquisa em Mídia e Cotidiano no contexto da tradição crítica latino-americana de Comunicação

Orientador: Marco A. F. Schneider

Resumo:Este trabalho tem como objeto de investigação a pesquisa em Mídia e Cotidiano no contexto da tradição crítica latino-americana de Comunicação. Seu objetivo geral é entender de que modo a pesquisa em Mídia e Cotidiano dialoga com a tradição crítica latino-americana em comunicação. Seus objetivos específicos são efetuar um levantamento e uma contextualização dessa tradição crítica no âmbito das teorias da Comunicação como um todo; e desenvolver uma primeira autoanálise do PPGMC/UFF, programa no âmbito do qual esta pesquisa foi desenvolvida, em termos teóricos e político-institucionais, com base no referencial teórico adotado pelo PPGMC/UFF, bem como em seus documentos de fundação e institucionalização junto à Capes. Metodologicamente, trata-se de uma pesquisa teórica e de um estudo de caso. Recorre às técnicas de pesquisa bibliográfica e documental, e a entrevistas com alguns dos pesquisadores que criaram o Programa, nele atuando desde sua fundação. A pesquisa divide-se em três grandes etapas: a) apresentação e contextualização (histórica e epistemológica) da tradição crítica latino-americana de comunicação; b) reflexão sobre a construção teórica e metodológica da pesquisa em Mídia e Cotidiano; c) estudo de caso do PPGMC/UFF. Parte-se da hipótese de que a pesquisa em Mídia e Cotidiano pode ser alinhada ao pensamento crítico latino-americano em Comunicação. Conclui-se que a hipótese procede e que a pesquisa em Mídia e Cotidiano é um novo desdobramento dessa tradição teórica, enquanto atualização crítica das teorias das mediações culturais.

Palavras-chaves: mídia; cotidiano; teorias críticas; América Latina; campo da comunicação

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6589

Juliana Souza Lima

Caminho em ruínas: a distopia de Jogos Vorazes como diagnóstico do tempo

Orientador: Emmanoel Ferreira

Resumo:Esta dissertação tem como objetivo analisar a relevância da produção de narrativas distópicas enquanto reflexo da vida cotidiana e seus elementos a partir da obra Jogos Vorazes¸ de Suzanne Collins. Subgênero da Ficção Científica, é característico das distopias apresentar uma trama ambientada em um futuro pós-apocalíptico, visto como um cenário pior do que o tempo presente. Entretanto, após investigar os recursos estilísticos do gênero literário, as especificidades da narrativa e a relação que o leitor/espectador estabelece com o mundo ficcional, constatamos que o futuro imaginado, muito mais do que criar um alarme para o tempo que está por vir, utiliza o imaginário com elementos facilmente identificados no tempo presente, caracterizando críticas implícitas e insatisfações com o cotidiano. Tais elementos puderam ser compreendidos a partir da análise de conceitos político-teóricos presentes na narrativa e do entendimento da representação da realidade através da ficção e a consequente suspensão do cotidiano. Com a comparação das obras distópicas do século XX com a trama de Jogos Vorazes, concluímos também que a mudança do protagonismo da narrativa para o gênero feminino contribuiu para uma jornada de autoconhecimento e fortalecimento da personagem principal, uma quebra de estigma em meio à busca por mudanças efetivas contra o poder dominante.

Palavras-chaves: Cotidiano; Narrativa; Distopia; Jogos Vorazes.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6639

Lucas Eduardo Lima Dantas

Espaço urbano, o morador de rua e sua representação: exclusão e significação através da mídia

Orientadora: Laura Martini Bedran

Resumo:As investigações propostas nesse trabalho buscaram refletir acerca da representação da População em Situação de Rua (PSR) na mídia, tendo como base sua relação com o espaço urbano, suas significações e conflitos gerados sobre o mesmo e a maneira como este grupo é visto pela mídia carioca. Buscou-se, inicialmente, um levantamento bibliográfico para a compreensão do espaço urbano como formação e fonte de subjetividades de modo a apreender a condição do morador de rua nele inserido. Para tanto, também foram levantadas as políticas públicas definidas para esta população buscando expor a visão adotada pelas esferas de poder da sociedade sobre a PSR. A partir disso, a pesquisa propõe o levantamento e análise de notícias abordadas sobre a PSR no campo midiático digital, onde três grandes veículos de comunicação foram investigados – O Globo, Extra e O Dia -, além da página “Rio Invisível”, situada na plataforma da rede social, o Facebook, como mídia alternativa. A análise sobre o material recolhido discutiu a representação deste grupo nos segmentos informativos digitais, avaliando a maneira como este foi retratado, expondo as estratégias e elementos usados para construção dos variados perfis de representação da PSR. Os resultados também buscaram refletir acerca da visibilidade ou mesmo a invisibilidade desta população perante a sociedade, o estado e a mídia ao ocupar os espaços esquecidos ou não reconhecidos como espaços ativos da cidade.

Palavras-chaves: População de rua; Cotidiano; Cidade. Representação; Mídias digitais

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6698

Luiza Cunha Barata

A busca por territórios midiáticos depois das remoções: perspectivas de moradores da providência sobre a cidade olímpica

Orientadora: Andrea Meyer Landulpho Medrado

Resumo:Desde a intenção de candidatura para os Jogos Olímpicos de 2016, o Rio de Janeiro vem passando por inúmeras transformações urbanas. Apesar dos megaeventos terem trazido diferentes tipos de impactos para os moradores da cidade, as narrativas da mídia corporativa se concentraram, principalmente, em destacar tais mudanças de maneira bastante positiva. O que, como se sabe, não se concretizou desta forma para todos. O objetivo deste trabalho é percorrer e investigar, por meio da etnografia, “territórios midiáticos” (Tosoni; Tarantino, 2013) de pessoas que ainda vivenciam impactos de um processo de adequação frente às consequências das transformações da cidade após o período de realização dos megaevento. Territórios midiáticos são operações discursivas realizadas por atores sociais que têm como principal objetivo ganhar posições vantajosas dentro de um conflito urbano. Partindo deste princípio, vamos analisar os espaços de mídia que moradores do Morro da Providência ocupam para reafirmar a própria história e, consequentemente, a da favela neste momento seguinte às remoções. Pelo que pode ser observado, com base em duas trajetórias midiáticas que foram abordadas em profundidade, a produção de mídia é impulsionada por meio das redes sociais e caracteriza exemplo de mídia tática, reforçando laços de moradores com o próprio território (físico) da favela.

Palavras-chaves: megaeventos; favelas; Morro da Providência; territórios midiáticos; mídia e cotidiano.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6699

Marcela Chaves Barino do Valle

A voz dos fotógrafos: uma análise da função pública e da potência política da fotografia documental em cenas da vida cotidiana no everyday áfrica

Orientadora: Patrícia Saldanha

Resumo:A Fotografia é o tema central da pesquisa. Parte constituinte da vida cotidiana na contemporaneidade, as imagens que alcançam os espectadores consubstanciam concepções e valores sobre o que iluminam. Portanto, problematiza-se sobre que fotografia é essa que se propõe a revelar o mundo através de histórias verídicas, propósito do documentarismo, mas que, todavia, se encontra frequentemente sujeita a direcionamentos, ressignificações e silenciamentos da mídia, do Estado ou do capital. A imagem da África é massificada em rotineiras reportagens que narram a mesma tipologia de histórias de fome e guerra, enquanto silenciam outras temáticas e pontos de vista possíveis. Neste contexto, o projeto coletivo Everyday África se utiliza da prática política da fotografia documental para disputar o sentido dominante através da soma de novas imagens e histórias narradas por seus fotógrafos sobre a vida cotidiana na África. Portanto, o objetivo da pesquisa teórica e documental se concentra em analisar se a fotografia apenas reforça crenças preexistentes ou se ela detém a potência de disputar concepções e imagem de mundo. A metodologia escolhida foi por revisão bibliográfica e análise de conteúdo, segundo Laurence Bardin. O método aplicado consistiu em delimitar categorizações e séries de análise divididas em etapas capazes de abarcar fotógrafos, referentes, imagens e, inclusive, espectadores do corpus delimitado, o perfil do Everyday África no Instagram, com o recorte nas fotografias postadas no ano de 2016. Duas linhagens se entrecruzam no trabalho, Documentarismo e Orientalismo, enquanto dois conceitos permeiam o processo investigativo, Mídia e Cotidiano. A teoria primordial de Walter Benjamin acerca da Fotografia fundamenta as elaborações ao longo de toda a dissertação. Ao passo que o embasamento teórico se desenvolve com Allan Sekula no Documentarismo, Stuart Hall nos Estudos Culturais, Agnes Heller no Cotidiano, Douglas Kellner na Mídia, Edward Said no Orientalismo e Kwame Anthony Appiah na Filosofia da África.

Palavras-chaves: fotografia documental; imagem de mundo; mídia e cotidiano; arte e política; everydayafrica

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8156

Marcella Maria Monteiro Vieira

Vlado (no) presente: atualizações narrativas e estratégias de memória sobre Vladimir Herzog nas redes sociais

Orientadora: Renata de Rezende Ribeiro

Resumo:Diante das comemorações pelo aniversário de 40 anos da morte de Vladimir Herzog, em outubro de 2015, o Instituto que leva o nome do jornalista publicou, em suas páginas nos sites de rede social Facebook, Instagram e Twitter, uma série de imagens, documentos, arquivos e informações em homenagem a Herzog. Sua morte foi uma das mais simbólicas entre os muitos presos, torturados e assassinados pelas forças de repressão da ditadura civil-militar no Brasil. Essas publicações podem ser, porém, mais do que meras homenagens. Elas dão pistas de serem também formas possivelmente mais organizadas de estratégias de memória e atualizações narrativas sobre o personagem emblemático que foi Vladimir Herzog. Foi essa a investigação que fizemos ao longo da pesquisa, que se propõe a refletir, a partir de estudos do que entendemos como uma cultura da memória, sobre essas atualizações, que marcam uma permanência continua de Herzog nas redes, articulando informações de passado, presente e futuro em fluxo constante. Para isso, analisamos como o Instituto faz circular nessas redes as efemérides ligadas ao acontecimento da morte de Herzog, sendo que, neste trabalho, damos destaque às postagens do órgão que contêm a hashtag #vlado40anos, presente em várias publicações de 2015. Avaliamos, nessas mesmas postagens, como se dão as reconstruções de lembranças pelo Instituto Vladimir Herzog, que acabam por constituir marcos comemorativos relacionados ao episódio. A partir dessas atualizações narrativas, percebemos que a “presença” de Herzog nas redes sociais, de forma mais institucionalizada e chancelada por uma organização da sociedade civil, pode gerar inúmeros debates entre memórias que, antes subterrâneas, tornam-se, a partir do processo de redemocratização, mais organizadas, mesclando lembranças individuais e familiares, pessoais e coletivas, e desencadeando também uma série de camadas de esquecimento.

Palavras-chaves: Memória; Acontecimento; Cotidiano; Redes Sociais; Vladimir Herzog

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8142

Marcus Aurélio de Carvalho

Rádios comunitárias em crise existencial: linguagem e afetos na era do ouvinte comunicador

Orientador: João Batista de Abreu

Resumo: Esta dissertação analisa a crise enfrentada por duas rádios comunitárias consideradas referências como projetos de democratização da comunicação no estado do Rio de Janeiro na segunda metade dos anos 1990. Ambas enfrentam hoje um processo de perda gradativa de audiência e protagonismo nas regiões alcançadas por seus transmissores: Rádio Novos Rumos FM, de Queimados, Baixada Fluminense (RJ), e Rádio Bicuda FM, de Vaz Lobo, Rio de Janeiro (RJ). O principal objetivo é identificar as alterações na linguagem, na programação radiofônica e na utilização das tecnologias digitais para identificar o que teria provocado a perda parcial de relevância das emissoras. Foram ouvidas 40 horas de programação: 20 de cada rádio. Os resultados levam em conta a relação entre linguagem, afetos, representações e produção de sentido em uma época de constantes transformações tecnológicas e na forma de consumir conteúdo audiovisual, levado em conta a linguagem radiofônica como fio condutor da pesquisa. As questões políticas, jurídicas e tecnológicas que dificultam a ampliação do impacto dessas emissoras são pontos transversais ao tema central: como as emissoras tentam conquistar audiência, através das potencialidades da linguagem radiofônica, e como se relacionam com os afetos dos ouvintes.

Palavras-chaves: rádio comunitária; mídia; cotidiano; linguagem.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8159

Mariana de Carvalho Ghetti

O uso das redes sociais na produção telejornalística cotidiana: estudo de caso do Whatsapp no RJTV

Orientadora: Renata de Rezende Ribeiro

Resumo:A participação do público no processo de produção jornalística pode ser caracterizada, de maneira ampla, pela criação de mecanismos que possibilitam envolvê-lo em diferentes etapas dos processos de criação, análise e distribuição das notícias. A pesquisa se propõe a analisar a colaboração dos telespectadores, por meio das redes sociais, no processo de produção da notícia no telejornal. Para isso, selecionamos como objeto de análise a utilização da ferramenta WhatsApp no RJTV, noticiário local (da cidade do Rio de Janeiro) da emissora Rede Globo. Através de percurso bibliográfico situado no contexto das novas mídias, em meio ao cotidiano dos sujeitos e aos modos de sociabilidade que transformam o espaço, objetivamos pensar as ferramentas e os mecanismos que possibilitam uma crescente cultura de participação, compartilhamento e flagrante que desenvolve novos modos de produção de sentido no fazer telejornalístico. A parte empírica da pesquisa é composta pelo estudo de caso sobre o objeto, a partir da análise de conteúdo de 24 edições selecionadas e entrevista em profundidade com a profissional da equipe do telejornal RJTV responsável pelo uso do WhatsApp.

Palavras-chaves: Telejornalismo; Cotidiano; Aplicativos de redes sociais; participação; WhatsApp; RJTV.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6647

Marina Roale Fabrício Rodrigues

“MEME, MEU IDIOMA”: Os Usos e Apropriações de Memes por Nativos Digitais para Falar de Política no Cotidiano

Orientadora: Andrea Medrado

Resumo:Estamos vivendo em meio a um extraordinário aumento de nossa capacidade de compartilhar, trocar ideias e emitir opiniões, tudo isso fora de instituições e organizações tradicionais. Por isso, pensar a relação entre ciberespaço e política se torna cada vez mais necessário. O cenário é paradoxal, pois, ao mesmo tempo em que se vive uma avalanche informacional capaz de disseminar uma certa sensação de insegurança e caos, também se vivencia novas possibilidades de se expressar em rede e participar da vida em sociedade. Dentro desse cenário surgem novas formas de linguagem que se desdobram em diferentes usos e apropriações a partir de diferentes contextos. Essa nova conjuntura nos possibilita reflexões acerca de um novo jeito de pensar cotidiano, identidade e política. Por isso, nosso objetivo neste estudo é problematizar um dos fenômenos emergentes desse tempo: os memes. Partindo dos nativos digitais, também conhecidos como geração Z, buscamos entender as novas relações que os jovens estão construindo com a política brasileira no mundo contemporâneo.

Palavras-chaves: Política; Cotidiano; Nativos digitais; Geração z; Memes

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11327

Nara Rosa Meireles

A imagem do jovem na TV: análise sobre a inserção da juventude no telejornalismo local do Rio de Janeiro

Orientador: João Batista de Abreu Junior

Resumo:O telejornalismo desempenha hoje papel fundamental na construção do cotidiano. É por meio dele que a maior parte da população brasileira tem acesso não só a notícias, mas a uma visão de mundo cercada de valores e conceitos. A televisão passou a existir em escala industrial e por sinal aberto no país na década de 1950 e se consagrou, ao longo dos anos, como o meio de comunicação mais consumido pela sociedade. Neste cenário, a forma como grupos sociais são inseridos na programação telejornalística interfere diretamente na maneira como as identidades coletivas são construídas e como tais grupos passam a enxergar a si próprios e a ser vistos pelos demais. A juventude merece atenção especial por ter passado nos últimos anos por um importante processo de mudanças relativas à participação social e à vontade de propor e interferir ativamente nas transformações. A partir da relação entre a plataforma de notícias de maior alcance nacional e um grupo social estruturado e agora consciente do espaço que pode ocupar, esta dissertação busca compreender a forma como os jovens são retratados no telejornalismo local diário do Rio de Janeiro e perceber se as opiniões e expectativas destes cidadãos são levadas em conta pelas empresas de comunicação. A pesquisa mergulha em uma extensa revisão bibliográfica a respeito da televisão e da juventude, e analisa 30 edições na íntegra de noticiários das duas emissoras de maior audiência do país a partir do conteúdo textual e do teor apresentado por meio de imagens. São consideradas opiniões e posicionamentos dos editores-chefes e apresentadores dos noticiários, responsáveis, em grande parte, pelo conteúdo final que chega aos telespectadores. Traça um panorama da forma como a juventude é inserida no telejornalismo local apresentado à capital e à Região Metropolitana fluminenses na esperança de levantar uma discussão importante sobre a representação do grupo na mídia e propor uma cobertura que fuja do senso comum e inclua, de fato, o jovem.

Palavras-chaves: Telejornalismo; juventude; senso comum; mídia; cotidiano.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6652

Patrícia Fernandes Viana Franco Castro

TV, cotidiano e neotribos: Consumo coletivo, transmídia e convergencia em @NETFLIXBRASIL (Facebook)

Orientadora: Carla Baiense Felix

Resumo: O propósito dessa pesquisa é entender como a página @NetflixBrasil, na rede social digital Facebook, pode ser aproveitada no e como parte do processo coletivo, convergente e transmídia de recepção dos produtos midiáticos distribuídos pelo serviço de streaming de vídeos Netflix. Dessa forma, investigamos as imbricações cotidianas da recepção midiática de produtos audiovisuais em um cenário, cada vez mais, midiatizado e em rede, o que se dá com negociações nos usos e produções de sentido, vinculando as relações midiático-culturais a apropriações e ressignificações por dentro. Para tal, realizamos um estudo de inspiração netnográfica por seis meses, analisando interações na página e entrevistando alguns dos sujeitos mais ativos nela.

Palavras-chaves: Mídias; Cotidiano; TV; Netflix; Facebook; Netnografia

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8830

Paula Ceccon Thurler

Vozes sobre imagens: produção de sentidos a partir do audiovisual na infância

Orientador: Alexandre Farbiarz

Resumo:Ao observar os hábitos de consumo de mídia audiovisual de crianças na Contemporaneidade – tempos líquidos (BAUMAN, 2001) e altamente mediados (KELLNER, 2008) –, esta pesquisa tem como objetivo analisar a produção de sentidos de um grupo alunos de uma escola municipal do interior do Rio de Janeiro a partir de conteúdos audiovisuais assistidos por eles em seu cotidiano – sejam na TV ou na Internet. Nesse sentido, foram abordadas também questões como as mediações envolvidas no processo de assistência das crianças e indícios de leitura crítica da mídia. A pesquisa de campo contou com duas etapas, realizadas na escola, em 2017, com 48 alunos do 3º ano do Ensino Fundamental. Na primeira etapa, foram realizadas entrevistas individuais com os alunos, abordando temas como hábitos e preferências de lazer das crianças, o uso de suportes móveis (celular, tablet, notebook) para assistir conteúdos audiovisuais e a relação destes conteúdos com o consumo de produtos ligados a eles. Verificamos, nesta etapa, que as crianças têm uma assistência de conteúdos partilhada entre diferentes suportes e que, por vezes, assistem conteúdos originários da TV na Internet ou vice-versa. Entendemos que, para elas, o conteúdo tem mais relevância que a tela onde se assiste. Já na segunda etapa, atividades de grupo realizadas com algumas crianças permitiram verificar características da produção de sentidos do grupo, além de questões relacionadas às mediações e à leitura crítica da mídia. Percebemos que as crianças produzem sentido de forma diversa e criativa, extrapolando, muitas vezes, o determinismo do pensamento adulto baseado no senso comum. Porém, em alguns momentos, elas são de certa forma absorvidas pelas mensagens pretendidas pelos produtores de conteúdo, não as avaliando de forma crítica. Nesse ponto, discutimos a necessidade de ações voltadas à Educação Crítica para as Mídias. Verificamos também a relevância das mediações nos processos comunicativos das crianças, observando que elas carregam fortes relações com os sentidos produzidos pelas crianças a partir dos conteúdos assistidos.

Palavras-chaves: infância; mídia; cotidiano; audiovisual; TV; internet; educação.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8128

Renata Nascimento da Silva

A máscara obscura do ódio racial: segregação, anonimato e violência nas redes sociais

Orientador: Guilherme Nery

Resumo:Esta pesquisa analisa as novas formas de mascaramento do ódio racial no cotidiano do sujeito, discutindo especialmente a construção das retóricas racistas dentro das redes sociais. O objetivo deste estudo é analisar como os discursos cibernéticos são capazes de ampliar o racismo bem como, verificar como essas retóricas se expressam no contexto virtual problematizando o seu papel no surgimento de novas formas de ataques racistas. A pesquisa explora as variantes do racismo, a importância da alteridade e da necessidade em conscientizar os usuários online da propagação da ideologia racista, por meio de piadas, memes e vídeos. O trabalho também analisa, com base na netnografia, como as redes sociais, especificamente o facebook, facilita a manifestação da segregação, da depreciação do negro e da baixa autoestima do sujeito negro. Deste modo, o caminho metodológico associa a netnografia com análise do discurso utilizando, para tanto, Michel Foucault (discurso), John Thompson (teoria social) e Teun van Dijk (linguística textual), A partir desses autores adotamos, portanto, como itinerário metodológico, a Análise do Discurso Crítico (CDA) e a netnografia visando verificar de que maneira os mecanismos retóricos do racismo acontecem nas fanpages “Negros Contra o Movimento Negro – 2 (NCMN)” e “Preto Opressor (PO)”. Estas duas fanpages revelam a importância das redes sociais no processo de visibilidade midiática e política, do reconhecimento para novas formas de representação racistas que têm afetado o coletivo negro.

Palavras-chaves: Ódio nas Redes Sociais; Racismo; Minorias Raciais; Segregacionismo; Cotidiano

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6660

TURMA DE 2015


Amélia Aben-Athar Olinto Ramos

O papel das pesquisas de intenção de voto na construção das notícias sobre as eleições presidenciais de 2014 no Brasil

Orientadora: Andrea Medrado

Resumo:Este trabalho procura analisar os diferentes enquadramentos (ENTMAN, 1993) das pesquisas eleitorais publicadas pelo jornal O Globo durante as eleições presidenciais no Brasil em 2014 (entre os meses de agosto e outubro). O estudo baseia-se em uma análise de conteúdo, e sua amostra inclui notícias que divulgam ou simplesmente mencionam os resultados das pesquisas eleitorais. Esta pesquisa concentra-se no jornal O Globo porque representa uma das maiores e mais poderosas corporações de mídia privada do país. O objetivo deste trabalho é entender como esse jornal e seus jornalistas utilizam as pesquisas eleitorais para construir uma narrativa política e, para aprofundar esse debate, foi importante compreender o que torna as pesquisas de intenção de voto dignas de notícia, procurando entender a natureza atual do trabalho jornalístico (TRAQUINA, 2013). Para analisar isso, também foram realizadas entrevistas em profundidade com jornalistas políticos que trabalham para O Globo e para outras fontes de notícias, bem como o presidente do TSE – Tribunal Superior Eleitoral – à época, ministro José Antonio Dias Toffoli.

Palavras-chave: Pesquisa de intenção de voto. Jornalismo político. Enquadramento. Opinião pública.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4602

Ana Carolina Costa Paradas

A praia de Ipanema como espaço midiático de consumo e afetos

Orientadora: Laura Martini Bedran

Resumo:A praia de Ipanema, por todo seu histórico cultural inovador, disseminou costumes e comportamentos que foram aderidos à identidade cultural carioca. Suas areias também serviram de inspiração para o surgimento de modismos, que influenciaram cidadãos e simpatizantes do local. Acredita-se que frequentadores cotidianos e sazonais, assim como os “empreendedores da areia”, mais conhecidos como vendedores ambulantes, se relacionem e se desenvolvam, em parte, com e a partir da atmosfera ipanemense. Desta forma, esta dissertação investiga a praia de Ipanema como um espaço midiático de consumo e afetos, onde estão em evidência as trocas e produções de sociabilidades presentes no cotidiano praiano, assim como a expansão do consumo de bens que vão além de sua materialidade. Para isso, esta dissertação se dividirá em duas etapas, a primeira é composta pela descrição e análise de contextos históricos e conceitos teóricos relacionados ao tema. Na segunda etapa, será evidenciada uma pesquisa de campo de caráter etnográfico, pois tentará compreender o ambiente e o comportamento cotidiano ipanemense, inicialmente através de uma observação sistemática nas areias e no calçadão da praia, e posteriormente, a partir de entrevistas estruturadas com frequentadores e ambulantes de Ipanema.

Palavras-chave: Rio de Janeiro; Praia de Ipanema; Consumo; Identidade.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4036

André Luis do Nascimento Ferreira

A infância no tubo digital: felicidade via consumo?

Orientadora: Ana Paula Bragaglia

Resumo:Este trabalho discute a associação da ideia de felicidade à promoção do consumo pelos youtubers mirins – crianças que produzem conteúdo audiovisual dirigido a outras crianças através da plataforma de vídeos YouTube. Utilizando a análise do discurso e análise de conteúdo como ferramentas metodológicas, busca-se compreender se e de que forma ocorre esta associação. No percurso da pesquisa, busca-se também compreender que elementos caracterizam a presença de abordagem de promoção do consumo, que elementos configuram a presença da felicidade como argumento e que elementos estabelecem elos entre estes dois campos. Esta discussão é realizada com o apoio de revisão bibliográfica que contempla estudos sobre desenvolvimento infantil, caracterização da infância na sociedade, sociedade de consumo, felicidade e consumo, publicidade infantil, marketing infantil, mídia e infância, infância e Internet, e também sobre o papel do YouTube no contexto midiático contemporâneo. A amostra foi composta apenas de vídeos que possuíam algum tipo de indução implícita ou ostensiva ao consumo. Foram analisados ao todo nove vídeos, sendo que todos figuram entre os mais assistidos dentro dos três canais mais populares de youtubers mirins brasileiros. Ao final da pesquisa, foi constatado a presença de elementos discursivos que associam a felicidade ao consumo em todos os vídeos analisados, com presença de ruído em apenas um destes vídeos.

Palavras-chave: Infância. Sociedade de consumo. Mídia e Cotidiano. Mídias Digitais. Ética publicitária.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/5586

Andrew Aurélio Pinto de Almeida Costa

O discurso hegemônico do combate ao crack na internet e a política de internação compulsória no Brasil

Orientadora: Carla Baiense

Resumo:Em contexto da política do governo federal “Crack, É Possível Vencer”, a presente dissertação realiza a análise de discurso de 60 notícias que possuem, simultaneamente as palavras-chave “crack” e “internação compulsória”. São 20 matérias de cada um dos 3 portais de notícias online com maior número absoluto de acessos no Brasil: G1, R7 e UOL. A partir de uma análise dos sentidos discursivos presentes na matéria, desenvolve-se reflexões sobre o papel da mídia hegemônica na legitimação de políticas manicomiais de controle social como as internações compulsórias de usuários de crack em comunidades terapêuticas. A partir de conceitos como hegemonia, vida nua e controle biopolítico, a investigação científica tenta compreender a ideologia por trás dos textos que produzem dominação.

Palavras-chave: Crack; Mídia; Cotidiano; Internação Compulsória; Controle Social

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3770

Antonio Carlos Ferreira Vianna

O monstro das cidades: a construção midiática do traficante e legalização da maconha no Brasil

Orientadora: Carla Baiense

Resumo:Esta dissertação analisa as mudanças discursivas na construção do perfil social do usuário de maconha nas reportagens do jornal O Globo, entre os anos 2006 e 2015, a partir de um corpus de 72 matérias que foram coletadas por sorteio. Identifica uma relação entre as transformações que vêm ocorrendo nas narrativas e as alterações jurídicas que tendem a defender a descriminalização do uso de maconha no Brasil, com base na retórica do risco (VAZ, 1999), que considera aceitável as ações que não afetem a busca pela felicidade individual dos outros cidadãos. Utiliza um viés interacionista para mapear como a construção do usuário de maconha se torna aceitável pela sociedade no momento em que se descola da figura monstruosa denominada de “traficante”, que a mídia busca reiterar nas notícias do cotidiano. Conclui que as visões preconceituosas sobre usuários de maconha, nas matérias jornalísticas, ocorrem apenas para classes menos favorecidas economicamente e que, com o advento da legalização da planta, ocorreria um aprofundamento da distinção social, já tão latente nas cidades cosmopolitas contemporâneas da América Latina.

Palavras-chave: Narcotraficante; Preconceito; Estigma; Risco; Cannabis.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3562

Cinthya Pires Oliveira

Iniciativas Comunitárias de TV e Perspectivas de envolvimento da sociedade na construção de Esfera Pública

Orientador: Adilson Vaz Cabral Filho

Resumo: Este estudo discorre sobre os principais desafios da TV Comunitária no atual contexto midiático para envolver a sociedade e propiciar a construção de esfera pública popular e dialógica. Enquanto a aceleração das inovações digitais proporciona conectividade, mobilidade e interatividade, a competitividade entre os meios de comunicação perpassa por ampliar o envolvimento das pessoas com conteúdos audiovisuais para captar sua atenção. Diante do cenário da Comunicação Pública Comunitária no Brasil, busca-se conjecturar sobre possíveis estratégias de interação desenvolvidas pela TV Comunitária a partir de pesquisas bibliográfica, documental e empírica. Deste modo, o estudo aborda a atribuição da TV Comunitária como espaço público para participação e inclusão social, aspectos essenciais da democracia. Contudo, há um longo caminho a ser percorrido para a efetiva atuação desses canais comunitários e o progresso de suas atividades pautadas pela transformação social e pelas perspectivas de envolvimento. Nesse sentido, este estudo contribui para a abordagem de fatores nevrálgicos, mas essenciais para o processo de consolidação da mídia pública. Ao avaliar aspectos teórico-práticos relacionados à experiência de envolvimento da comunidade, provoca-se reflexões sobre o fortalecimento dessas inciativas a partir da formação de redes de mobilização e transformação social.

Palavras-chave: TV Comunitária; esfera pública;  participação social;  tecnologias.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4025

Eduardo Aguiar de Assis

Novo cotidiano na esfera pública: interações nos serviços online dos municípios do Rio de Janeiro como forma de ciberdemocracia

Orientador: Emmanoel Ferreira

Resumo: O presente trabalho classifica 10 serviços online, quando disponíveis nos sites oficiais das 92 prefeituras que compõem o Estado do Rio de Janeiro, em quatro tipos de interações – face a face, quase mediada, mediada reativa e mediada mútua –, concebidos pelo pesquisador a partir das propostas teóricas de John B. Thompson (2011) e Alex Primo (2000). O nível municipal foi escolhido por se tratar de um ente federativo carente de pesquisas. O estudo permite observar de forma quantitativa o desenvolver de um novo cotidiano de interações do indivíduo com a esfera pública viabilizado pela ciberdemocracia ao apresentar o entrelaçamento das bordas entre o real e o virtual a partir da relação moderna do indivíduo com o ciberespaço, os benefícios promovidos aos cidadãos por meio da oferta de serviços online, e as tendências interativas em mídias digitais para governo eletrônico. A metodologia utilizada foi a análise de conteúdo da seção de serviços dos sites elencados. A coleta dos dados para a classificação das interações foi realizada entre junho e agosto de 2016 e a avaliação da acessibilidade dos sites, na segunda quinzena de outubro do mesmo ano. A abordagem buscou identificar serviços presenciais passiveis de migração para o ambiente online e criou um panorama midiático das interações possíveis ofertadas na internet aos usuários de serviços públicos contemplados no recorte geográfico analisado.

Palavras-chave: ciberdemocracia; interação; cotidiano; serviços públicos; governo eletrônico

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3652

Eleonora Leite Costa Lavinas

A gastronomia no cotidiano da televisão brasileira: um panorama da representação da comida na tela

Orientadora: Renata Rezende

Resumo:A proposta desta pesquisa consiste em compreender a forma como, na atualidade, o tema culinária/gastronomia, diretamente relacionado ao cotidiano, é apropriado e enquadrado pela mídia televisiva brasileira. Nas últimas décadas, a comida, além de ter se tornado assunto de interesse, passou a ocupar relevante espaço nos variados meios de comunicação: mídia impressa, eletrônica e digital. Esta pesquisa, portanto, surge a partir da observação da ampliação do repertório semântico do tema culinária/gastronomia no ambiente midiático, mais especificamente, na mídia televisiva brasileira. Mediante análise, verifica-se o enquadramento do tema em distintos formatos, em uma espécie de segmentação que permitiu o desenvolvimento de tipologias, conforme será demonstrado. Nesse contexto, sustenta-se a hipótese de que as mensagens propagadas extrapolam, por vezes, o alimento em si, funcionando como uma espécie de ferramenta pedagógica de consumo não só de alimentos e bens relativos ao universo culinário, mas, sobretudo, de valores associados às práticas alimentares, corroborando na construção de estilos de vida. Além do percurso bibliográfico, foi implementada a combinação de diferentes métodos: cartografia, observação direta e análise do conteúdo. Nesse processo, foram observadas todas as produções televisivas cujo tema era culinária e gastronomia nas TVs aberta e fechada. Após o enquadramento em tipologias, o estudo teve como recorte para a análise em profundidade o conteúdo de cinco produções: Bela Cozinha, exibido no canal GNT; Chef Itinerante do canal TLC – Travel&Living; MasterChef Brasil, exibido nos canais Discovery Home&Health e na Band; Dia Dia com Daniel Bork, do canal Band e, por último, Cozinha prática com Rita Lobo, exibido no GNT.

Palavras-chave: mídia; cotidiano; gastronomia; culinária; consumo

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3990

Elijerton Rogério Chaves Vera

Afinal de Contas, quem ri de quem? A representação cômica das personagens Valéria Vasques e Janete sob os vieses ideológicos e comerciais da televisão

Orientadora: Patrícia Saldanha

Resumo:Este trabalho apresenta um estudo sobre as representações da classe pobre a partir dos vieses mercadológico e ideológico da televisão. Logo, está estruturado no movimento de projeção de audiência e consumo, dado por vínculos afetivos viabilizados pelo riso, e na manutenção e confecção de estereótipos sociais, reguladas pela exclusão dos padrões de beleza, moda e comportamento, acordados pela elite econômica. Trata-se, portanto, das encenações das personagens Valéria Vasques e Janete, interpretadas por Rodrigo Sant’Anna e Thalita Carauta no programa humorístico Zorra Total da Rede Globo, no ano de 2011. O método utilizado une a revisão bibliográfica à análise de conteúdo. A primeira tem como base de compreensão os conceitos de Riso, Estereótipo, Estratégias Sensíveis de Comunicação, Legítimo, Moda, Classes Social, Ideologia e Consumo. A segunda está dividida nas investigações de frases/bordões repetidos e recortes de tempo das imagens dos quadros do programa. Assim, são investigadas as relações entre mídia e cotidiano fundamentadas nas estratégias adotadas pela produção do humorístico, sobre as caracterizações das personagens, e suas formas de afetar a sociedade. Nesse diapasão, o eixo condutor da pesquisa são os discursos (verbais e imagéticos) de construção de tipos populares atrelados aos espaços e aspectos sociais comuns ao telespectador, sobre as estereotipias de comportamento direcionadas à transexual Valéria Vasques e explanação da figura “grotesca” de Janete, para tentar entender qual é a proposta de comunicação do humorístico.

Palavras-chave: Cotidiano; Riso; Estratégias Sensíveis; Estereótipo; Grotesco; Moda; Ideologia.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6587

Izabela Costa Zampier

A mulher de Claudia nos anos 1960 e 2010: rupturas e permanências

Orientadora: Laura Martini Bedran

Resumo:Este trabalho investiga as rupturas e permanências entre duas décadas da mulher representada pela revista Claudia. Desde seu surgimento, a publicação apontou como um grande destaque na imprensa feminina no Brasil. Nos dias de hoje, ela ocupa o espaço privilegiado de maior revista feminina do país, há 55 anos no mercado com uma proposta parecida com a original. A investigação, então, parte das publicações da década de 1960, quando surgira, a fim de identificar como se deu as atualizações para os novos tempos e qual seria a fórmula editorial que a manteve no mercado até os dias atuais – representados na pesquisa pelas publicações da primeira metade da década de 2010. A partir de análises dos principais conteúdos veiculados nessas duas décadas, são discutidos mudanças e continuações nos perfis de consumo e na identidade feminina, de acordo com a disseminação de hábitos culturais e modismos pela revista.

Palavras-chave: Representação. Mulher brasileira. Identidade. Revista Claudia.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/5086

João Luiz de Bittencourt Victal

O Maquiavélico Príncipe Eletrônico: A Mídia e as Manifestações de 2013 no Youtube

Orientadora: Patrícia Saldanha

Resumo:As manifestações populares ocorridas em junho de 2013 foram episódios sociopolíticos expressivos no Cotidiano da sociedade brasileira como um todo. A relevância nesse tipo de acontecimentos costuma fazer com que as pessoas demandem esclarecimentos por via da grande mídia, em especial ao telejornalismo. Neste contexto, utiliza-se como objeto de investigação a atuação do comentarista Arnaldo Jabor e do apresentador José Luís Datena sobre o início dos protestos em 2013, além de um processo de reação e correção desencadeado pelo público. A partir disso, almeja-se entender o pragmatismo de um mecanismo midiático de produção e reverberação de sentidos sociais que interage com a repercussão de um público telespectador na internet, onde os usuários que utilizam a plataforma Youtube tornam-se participantes ativos no processo comunicativo a partir de um conteúdo jornalístico específico. O desenvolvimento deste trabalho apropria-se da obra de diversos autores, como Gramsci (1979), Habermas (1984), Bardin (2009) etc, para fundamentar uma reflexão que considera a influência do público espectador sobre a angulação da informação jornalística produzida pelos grandes meios de comunicação que, neste caso, podem formar e conformar a produção do código nas mensagens à fatores como a leitura do conteúdo audiovisual pelas pessoas. Assim, a pesquisa busca entender melhor como alguns mal entendidos na comunicação podem, eventualmente, influenciar nas representações dos fatos pelo telejornalismo seguindo uma tendência à adaptação a alguns sentidos predominantes na trama social, em um dado momento. A proposta é seguir uma linha teórica que compreenda um viés sobre o exercício de uma Hegemonia na sociedade atual como um processo que ocorre na/pela Mídia e, que reconfigura-se de um modo contínuo entre os atores sociais e os grandes meios de comunicação. Nesse âmbito, também englobaram-se noções pertinentes ao estudo, como a cultura de convergência, o Materialismo Cultural e uma metodologia de Análise de Conteúdo para, assim, edificar uma argumentação baseada em empirismo acerca da ocorrência de novas possibilidades de Esferas Públicas no espaço Digital e, nas quais, existem dados que podem ser interpretados e indicar uma materialização para alguns sentidos sociais coincidentes acerca da representação telejornalística produzida pelas emissoras Rede Globo e Tv Bandeirantes ao surgimento dos protestos e, a expressão de um público espectador que, corriqueiramente, interage com a Mídia por meio do Espaço digital.

Palavras-chave: Manifestações 2013; Mídia; Hegemonia; Esfera Pública; Convergência; Youtube

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4359

Lucas Lopes Albuquerque Bastos

A construção e descontrução de narrativas midiáticas de idolatria futebolística: um estudo de caso sobre Adriano, o ‘Imperador’

Orientadora: Denise Tavares da Silva

Resumo: Essa dissertação busca compreender como se dá a influência das narrativas midiáticas da imprensa esportiva nos processos de construção e desconstrução de ídolos futebolísticos na contemporaneidade. Para atingir os objetivos de pesquisa investiga-se os interesses que a mídia poderia atender em suas narrativas acerca desses jogadores, a partir de conceitos como indústria cultural e sociedade do espetáculo. Também explora-se o perfil multifacetário do ídolo futebolístico contemporâneo a partir dos conceitos de mito, herói e celebridade, assim como a relação entre o futebol e a identidade nacional brasileira. Para tanto, realiza-se um estudo de caso sobre o jogador Adriano, a partir das análises de conteúdo e de discurso das reportagens veiculadas pelos jornais Extra e O Globo em diferentes momentos da carreira do atleta. Essa análise revela variações no
tratamento dado à Adriano pela imprensa mediante principalmente a oscilações no
desempenho esportivo do jogador mas também pela adequação ou não da conduta social e comportamental do atleta às diretrizes de produção de conteúdo desses veículos.

Palavras-chave: Imprensa Esportiva; Industria Cultural; Espetáculo; Futebol; Mídia; Cotidiano

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3688

Maitê Nora Blancquaert Mendes Dias

Maioridade penal em pauta: medo e punição na imprensa

Orientadora: Carla Baiense

Resumo:Este trabalho apresenta uma análise dos discursos midiáticos sobre criminalidade juvenil e maioridade penal, tendo como objeto de estudo os jornais impressos O Globo e Extra durante três meses de 2015. A pesquisa se estrutura a partir de dois principais vieses teóricos: o medo e a punição. Estudamos a ideia de classes perigosas e de pânico moral e fazemos um breve histórico da legislação para crianças e adolescentes no Brasil. Além disso, investigamos também a relação da mídia com o sistema penal a partir da hipótese da agenda-setting.

Palavras-chave: Criminalidade juvenil; medo; punição; imprensa; agenda-setting

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3877

Mariana Pitasse Fragoso

A voz da comunicação: um meio formal de legitimação das ocupações urbanas

Orientador: Adilson Vaz Cabral

Resumo:Neste trabalho refletimos sobre a comunicação produzida nos movimentos de ocupação urbana e sobre o processo de legitimação movido por ela dentro desses espaços. Nosso objeto de estudo é a Ocupação Contestado, organizada pelas Brigadas Populares em São José, região metropolitana de Florianópolis, e a Ocupação 06 de abril de 2010, estruturada pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), em Niterói, no Rio de Janeiro. Nessas ocupações, inúmeros produtos de comunicação são desenvolvidos pelas organizações políticas afim de apresentar os objetivos dos grupos, pedir socorro em momentos de emergência ou rememorar a trajetória das famílias que compõe os movimentos afim de retomar laços perdidos ao longo dos anos. A partir de um mapeamento da comunicação produzida pelas Brigadas Populares e MTST dentro desses movimentos, esta pesquisa discute suas estratégias e efeitos a partir do referencial teórico e das entrevistas com membros das ocupações e das organizações políticas. A análise revela que a comunicação legitima no discurso os movimentos de ocupação e as organizações políticas. Os depoimentos e a forma como a comunicação é estruturada reiteram que esse processo de legitimação acontece através do enquadramento da memória e da divulgação do conteúdo produzido a uma comunidade de interesses comuns, que está estabelecida além do território. Dessa forma, buscamos mostrar que mais importante do que procurar definições para enquadrar a comunicação produzida nas ocupações urbanas em alternativa, popular ou comunitária, é mostrar sua contribuição para legitimação desses movimentos e apresentar distintas formas de organizar comunicação em espaços periféricos.

Palavras-chave: Ocupações Urbanas; Comunicação; Legitimação; Ocupação Contestado; Ocupação 06 de abril de 2010.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3991

Max Milliano Tolentino Melo

Personagens Brasileiras: As domésticas de Gabriel Mascaro e Anna Muylaert

Orientadora: Denise Tavares da Silva

Resumo:Este trabalho apresenta um estudo a respeito da construção da personagem empregada doméstica no documentário Doméstica (Gabriel Mascaro, 2012) e na ficção Que Horas Ela Volta? (Anna Muylaert, 2015). Investiga-se as estratégias adotadas pelos realizadores para a caracterização de uma personagem historicamente marcante no cotidiano brasileiro. A pesquisa se estrutura a partir de dois vieses teóricos: um estudo dos conceitos e técnicas narrativas de construção da personagem, em reflexão que busca incorporar as possíveis contribuições de diretores, roteiristas e atores neste processo; e um breve percurso historiográfico elaborado a partir da identificação do que consideramos as principais tendências de representação da empregada no imaginário social brasileiro e a sua reverberação no audiovisual. Destaca-se que a abordagem pautou-se por um diagnóstico de que a “tipologia da doméstica”, presente nos filmes em questão, é, de certo modo, “herdeira” das contribuições imagéticas não apenas do cinema, como também da televisão, rádio, música, imprensa e literatura. Isto é, esta pesquisa tem como um dos seus eixos de investigação o diálogo intenso entre mídias como um dos movimentos basilares na construção do tipo “doméstica”. Também incorpora como referência fundamental à pesquisa o próprio contexto-país, no sentido deste atravessar, dialeticamente, os processos de criação artístico-cultural. Sob estes horizontes empreendeu análise fílmica das duas obras, circunscrevendo, especialmente, como as estratégias de construção da personagem e a tradição de representação das domésticas, ainda onipresentes no cotidiano de tantos brasileiros, se conjugam nos dois filmes que são objetos deste trabalho.

Palavras-chave: Cotidiano; cinema brasileiro; documentário; construção da personagem; empregada doméstica.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3847

Milena de Azevedo Pacheco Venancio

Diálogos da diferença: alteridade e preconceito a partir da narrativa ficcional infantojuvenil

Orientador: Alexandre Farbiarz

Resumo:A pesquisa “Diálogos da diferença: alteridade e preconceito a partir da narrativa ficcional infantojuvenil” tem como objetivo compreender como se configura, nas relações de alteridade
presentes em narrativas ficcionais infanto-juvenis, o potencial educativo sobre a questão do preconceito, sendo o objeto de estudo a série de filmes Harry Potter. Parte-se das definições sobre aspectos do preconceito, tendo nas relações de alteridade um ponto focal. Busca-se discutir como a narrativa ficcional pode enunciar possibilidades de discussão sobre o preconceito, sob a perspectiva da hexis educativa proposta por Sodré (2013). Por fim, a abordagem teórica sustentará o estudo de caso que analisa falas específicas ao longo dos oito filmes da série Harry Potter, com base nos conceitos da sociolinguística interacional. Buscase, portanto, mostrar como a pesquisa proposta responde à hipótese de que Harry Potter pode ser um caso que mostre como determinados elementos constitutivos da narrativa ficcional infantojuvenil podem ser vistos sob uma perspectiva educativa que propicie a reflexão sobre o tema do preconceito junto ao público.

Palavras-chave: Comunicação; Educação; mídia, alteridade; preconceito; narrativa ficcional infantojuvenil

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4012

Priscilla Teixeira Lamy Diniz

Protagonismo Juvenil: um estudo a partir de “Mi País, Nuestro Mundo”

Orientadora: Denise Tavares

Resumo:Este trabalho tem por objetivo problematizar o protagonismo juvenil em uma produção audiovisual focada em problemas ambientais locais. O objeto estudado compreende os vídeos da série Mi país, Nuestro Mundo, da TAL.TV, produzidos em 2012, na América Latina, constituída por 36 curtas, com aproximadamente 13 minutos de duração cada. A pesquisa analisa a participação de jovens na produção e realização destes documentários concebidos a partir de discussões e projetos ligados ao meio ambiente em nove países da América Latina: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, México, Paraguai, Uruguai e Venezuela. Busca-se discutir como é a produção desses documentários que mostram esses jovens investigando problemas, realizando ações e buscando soluções para as situações encontradas em suas regiões, em uma abordagem atravessada pelas demandas cotidianas.

Palavras-chave: Protagonismo juvenil; audiovisual; meio ambiente; mídia-educação; cotidiano.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4358

Rafael Giurumaglia Zincone Braga

Parabolicamará: Tropicália e a politização do cotidiano na TV

Orientador: Marco Schneider

Resumo:Esta dissertação tem como foco o movimento midiático-cultural tropicalista ocorrido no Brasil entre os anos de 1967 e 1968 e protagonizado por Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Tom Zé e pela banda de rock paulista Os Mutantes. O objetivo principal deste trabalho é contribuir com o debate a respeito do caráter político da Tropicália, sob a perspectiva da Comunicação Social. Trata-se de discutir o posicionamento político dos tropicalistas, tendo em vista sua integração nas estruturas da indústria cultural brasileira, especialmente a televisão, e o contexto político-social do regime autoritário da época. Especificamente, busca-se compreender o sentido político da narrativa tropicalista, considerando a temática da vida cotidiana brasileira do final dos anos 1960. Estaríamos de fato falando de uma contra hegemonia ou de mais uma forma de neutralização de conflitos políticos e contradições sociais? Para fins de alcance do objeto proposto, o principal referencial metodológico desta pesquisa é a Economia Política da Comunicação e da Cultura. A Tropicália enquanto expressão cultural-midiática será um objeto de estudo articulado com os elementos políticos e econômicos de seu contexto histórico.

Palavras-chave: Tropicália; contra hegemonia; indústria cultural; televisão; cotidiano.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3853

Rafael Montenegro de Figueiredo Marques

Carnaval 2.0: As transformações da cobertura midiática dos Desfiles das Escolas de Samba a partir das transmissões colaborativas da Web.

Orientadora: Renata de Rezende Ribeiro

Resumo:A proposta da dissertação é compreender o atual formato de transmissões online dos desfiles das escolas de samba do carnaval no Sambódromo do Rio de Janeiro, levando em consideração as
novas formas de apropriação por parte dos espectadores, ou seja, como o grande público interage com a transmissão no ambiente das redes sociais pós-advento da Web 2.0. Nesse âmbito, buscase entender quais são as novas produções de sentido configuradas pelo percurso tecnológico, propagado pela internet, onde os usuários que utilizam tais plataformas se tornaram participantes ativos no processo de construção e apropriação do conteúdo midiático. Observa-se a pertinência da hipótese de que as transmissões colaborativas pelas redes sociais digitais surgem como uma ferramenta de interação das transmissões televisivas do Sambódromo, em tempo real, por haver manifestação direta do espectador no momento da transmissão e as opiniões, interações (cliques, compartilhamentos, curtidas, etc.), que podem influenciar a cobertura do evento. Neste sentido, trabalha-se a questão da interação entre público (usuários das redes sociais) e produtor (empresa) com a transmissão do carnaval no Sambódromo, na configuração que se estabelece a partir das transmissões colaborativas. O carnaval – enquanto movimento genérico – faz parte do cotidiano da cultura brasileira e entender o momento atual pelo viés das transmissões colaborativas das redes sociais pode demonstrar que tipo de relação cotidiana os brasileiros possuem atualmente com essa festa popular na ambiência midiática. Além do percurso bibliográfico, realizamos análise das redes sociais (ARS), em recorte específico segundo os dias de transmissão do carnaval, enquete com os usuários das redes sociais e entrevista em profundidade com os representantes do portal G1.

Palavras-chave: Cotidiano; Mídia; Carnaval Carioca; Sambódromo; Redes Sociais; Produção de Sentidos

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3769

Renata Brás de Souza

Democratização da Mídia e suas contradições: tensionamento de interesses políticos, econômicos e sociais

Orientador: Marco Schneider

Resumo:Este trabalho apresenta um levantamento crítico sobre as tentativas de democratização do setor de comunicações a partir da I Conferência Nacional de Comunicação (CONFECOM), de iniciativa do Governo Federal com a participação de movimentos sociais e empresários do setor de mídia. Investiga-se como a mídia tradicional se comporta no tocante ao tema democratização da mídia e como a repentina mudança de governo acarretou retrocessos para um debate já complexo, porém de grande importância para a sociedade brasileira. O trabalho se estrutura a partir de vieses teóricos para compreender o papel preponderante da imprensa e mídia para a comunicação em uma sociedade de massas, a subordinação da mídia ao capital e suas possíveis
consequências. Também são utilizados elementos históricos como as definições de liberdade de expressão e liberdade de imprensa, além do levantamento sobre a legislação acerca do tema.
Esse estudo também pretende explorar inicialmente um diálogo entre a comunicação e a ciência da informação, especificamente no viés da competência crítica em informação. Através de pesquisa bibliográfica aliada a pesquisa documental, essa pesquisa leva em conta o momento sócio-político do país, entendendo que existe uma relação dialética entre a questão da democratização da mídia, a política, os interesses econômicos e o comportamento da população em relação aos mesmos.

Palavras-chave: democratização da comunicação; liberdade de expressão; liberdade de imprensa; política; competência crítica em informação

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6586

Roberto José Marinho Falcão

Copa do Mundo de 2014: o jogo de sentidos entre o regional e o global no discurso jornalístico

Orientador:  João Batista Abreu

Resumo:Este trabalho estuda os cadernos de esporte dos jornais A Tarde, da Bahia, e A Crítica, do Amazonas, no período de disputa da Copa do Mundo Brasil 2014, buscando estabelecer a lógica que pauta a imprensa regional na cobertura de um megaevento esportivo de interesse global a partir da análise de conteúdo de textos e fotos publicados. Foram estudadas as características da imprensa regional, particularmente a do Brasil, e como os dois jornais se organizaram para cobrir a Copa do Mundo. Também foi observada a aplicação dos conceitos de agenda setting e espiral do silêncio aos megaeventos esportivos e a lógica de seleção e edição a partir da identificação de valores-notícia. No exame das matérias de A Tarde e A Crítica foi possível constatar que a identidade (da cidade, do estado e do Brasil) é importante para situar o estrangeiro visitante. Em A Tarde são analisadas as matérias que tratam da convivência entre a delegação alemã de futebol e a população local de Santa Cruz Cabrália, no sul da Bahia, que serviu de base para a seleção que conquistou a Copa do Mundo de futebol em 2014. A estratégia de aproximação com os moradores a partir da vivência de sua identidade marcou a cobertura de A Tarde e criou um clima simpático à seleção alemã. Música e dança, dois dos principais elementos formadores desta identidade nacional, estão presentes em várias matérias de A Tarde, que também associa os alemães a características atribuídas aos brasileiros, como amabilidade, cordialidade e boa convivência. Em A Crítica, foram analisadas as matérias que trataram da passagem de torcedores estrangeiros por Manaus e sua interação com a população da cidade, em relatos explorando a identidade do visitante por sua diferença daquela do habitante local. Também sofreram análise as matérias que trataram do legado da Copa, um assunto que ganhou espaço quando se encerrou a participação de Manaus, com o fim da fase de grupos, a quase três semanas da partida final.

Palavras-chave: Jornalismo esportivo. Imprensa regional. Identidade. Copa do Mundo. Megaeventos esportivos.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3876

TURMA DE 2014


Ana Cristina Costa de Lima e Silva

Porto Maravilha: arbitrariedade, mídia e produção de consenso na construção da nova região portuária do Rio de Janeiro

Orientador: Márcio Castilho

Resumo:A escolha do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas de 2016 consagrou a implantação de um modelo de desenvolvimento urbano baseado na lógica da cidade empresa. Orientada pela organização da administração da cidade a partir de características empresariais, a gestão municipal fomentou a elaboração de projetos de infraestrutura capazes de atender às exigências do Comitê Olímpico Internacional (COI) para a realização dos Jogos. Entre eles está o Porto Maravilha, projeto de concessão à iniciativa privada da região portuária da cidade, detentora de grande carga histórica e cultural na formação do Rio. Sendo assim, esse trabalho propõe compreender se o processo de desenvolvimento e execução do Porto Maravilha corresponde ao discurso de legado prometido pelo poder público a todos os moradores da região do Porto. Partindo da análise de seis anos do noticiário do jornal O Globo, a pesquisa busca entender que imagem de cidade é possível apreender a partir das representações trazidas pelo periódico.

Palavras-chaves: Cidade-empresa; Gentrificação; Megaeventos; Mídia; Olimpíadas.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3826

Camilla Cavalcante de Souza Machuy

Wikipédia midiática: cotidianidades, compilação de saberes e lutas de poder nos bastidores da Enciclopédia Livre

Orientador: Marco André Feldman Schneider

Resumo:Essa dissertação analisa as dinâmicas de interações os editores no ambiente online da Wikipédia em Língua Portuguesa. Avalia-se como essas relações internas constituem o cotidiano da maior enciclopédia online da Internet e como as comunicações nos bastidores interferem na construção coletiva de conteúdo nos mais diversos verbetes dessa poderosa mídia. O objetivo desta dissertação é compreender os bastidores da Wikipédia, entendida como uma poderosa mídia, em sua relação com outras mídias e com a cotidianidade. Tomando por base a teoria dos campos, de Bourdieu, avalia como as disputas editoriais compõem o cotidiano da maior enciclopédia da internet, interferindo decisivamente na construção coletiva de conteúdo, nos mais diversos verbetes.

Palavras-chave: Wikipedia; mídias; disputas editoriais; cotidianidade; divulgação do conhecimento

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3829

Débora Shirley de Vasconcellos

Consumo Colaborativo e Meio Ambiente: um estudo da relevância da preocupação com a questão ambiental e da crítica ao consumismo em redes autogestionadas

Orientador: Guilherme Nery Atem

Coorientadora: Lucimara Rett

Resumo:Esta dissertação tem como tema central o consumo colaborativo, uma proposta que ganha força e destaque na última década e que envolve a emergência de práticas que são apontadas
como uma “nova forma” de consumo. No consumo colaborativo o acesso a bens e serviços se dá sem que haja necessariamente aquisição de um produto ou custo entre as partes envolvidas
no processo, o que permitiria que as pessoas percebessem o benefício do acesso aos produtos ao invés da sua posse. A pesquisa tem como objetivo entender a relevância da preocupação
com a questão ambiental e da crítica ao consumismo em redes de consumo colaborativo. Para proceder a essa investigação, elege-se como objeto as redes autogestionadas formadas de
forma independente, que utilizam a ferramentas de Grupo do Facebook e cujo foco recai sobre os chamados mercados de redistribuição (BOTSMAN; ROGERS, 2011). A pesquisa tem um
caráter qualitativo, utilizando-se do método etnográfico e recorre-se à combinação de três técnicas: observação participante, entrevista semiestruturada (com os administradores dos
grupos) e questionário com perguntas fechadas e abertas (voltado à todos os integrantes do grupo). Esta última técnica, ainda que não seja comum em pesquisas qualitativas, permite ter
uma maior abrangência de respostas e auxilia na verificação dos dados levantados a partir da aplicação das duas primeira técnicas. A partir desse método e combinação de técnicas, assim
como da pesquisa bibliográfica preliminar realizada utilizando diferentes autores e escolas em seus possíveis diálogos, é possível perceber que a preocupação com questão ambiental é
secundária, não sendo o fator principal para os integrantes desses grupo mas, de uma forma geral, há uma relevante crítica à aspectos do consumismo.

Palavras-chave: Consumo colaborativo; Meio-ambiente; Redes Sociais.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3462

Diego de Souza Cotta

Conquistas, impasses e desafios da cidadania LGBT no Rio de Janeiro

Orientador: Adilson Vaz Cabral Filho

Resumo:Esta dissertação busca compreender vitórias, dificuldades e questões a serem superadas para que a população LGBT fluminense consiga ter acesso aos direitos civis que lhe são negados, ou pelo menos, obstaculizados – apesar da existência de um programa estadual de combate à homofobia e promoção da cidadania LGBT no Rio de Janeiro. Em outras palavras, o estudo pretende identificar as conquistas e os impasses desta população em relação às políticas públicas instauradas pelo Estado; e compreender os desafios contemporâneos de seu cotidiano para o pleno exercício da cidadania LGBT. O trabalho também esmiúça a trajetória e os processos desenvolvidos entre movimento social e governo para a formulação de uma agenda de reivindicações de ações afirmativas, a fim de construir políticas públicas que assegurem a cidadania da população LGBT no Rio de Janeiro. Para isso, examina a construção de sujeitos de direitos a partir do debate, da construção coletiva e das performances e estratégias midiáticas que visam à implantação de políticas públicas para LGBT no RJ, que devem ser entendidas como conquistas do movimento social. O modelo metodológico seguido foi de entrevistas individuais semiestruturadas com atores que participaram da construção coletiva das políticas públicas do Rio Sem Homofobia, além de coleta e análise dos documentos e relatórios deste programa estadual.

Palavras-chave: LGBT; Estado; Movimentos Sociais; Cidadania; Mídia

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3563

Douglas Azevedo

Online Full Time: A sociabilidade das gerações Y e Z no cotidiano tecnológico

Orientadora: Laura Martini Bedran

Resumo:O objetivo desta pesquisa foi investigar a nova forma de sociabilidade das gerações Y e Z no cotidiano das metrópoles, especificamente na cidade do Rio de Janeiro. Estamos vivenciando um processo evolutivo da tecnologia, no qual nossas atividades comunicacionais estão sendo alteradas pelo uso do celular e de aplicativos e suas aplicabilidades. Através de uma pesquisa de observação simples em quatro locais públicos – metrô, shopping, bares e praias -, foi elaborada uma pesquisa quantitativa a fim de investigar esta nova forma de sociabilidade entre os jovens. Para isso, tivemos como campo de estudo a cidade do Rio de Janeiro. Em relação à observação simples, tratamos de relatar a investigação acerca da sociabilização dos subgrupos nos espaços públicos supracitados. A pesquisa quantitativa foi realizada presencialmente com 400 jovens e adolescentes pertencentes às gerações Y e Z, respectivamente. Como no cotidiano há uma pluralidade de olhares, conceitos de sociologia, antropologia, psicologia e comunicação foram utilizados a fim de entender e elucidar esta nova forma que surge e modifica, paulatinamente, o processo comunicacional. Para sustentar nossa proposta, foram usados conceitos de autores como: Abreu, Augé, Bauman, Benjamin, Caiafa, Carr, Castells, Eisenstein, Greenfield, Heller, Jenkins, King, Lanier, Lemos, Nardi, Recuero, Rushkoff, Sennett, Serres, Simmel, Sodré, Turkle, dentre outros.

Palavras-chave: cotidiano; sociabilidade; tecnologia; comunicação; juventude.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3830

Fernanda Ribeiro Barros

Curtir, comentar e compartilhar: as redes sociais e a sexualidade no cotidiano e formação da escola pública brasileira

Orientador: Alexandre Farbiarz

Resumo: Tendo como ponto de partida o entrelaçamento entre Comunicação e Educação, busquei compreender os reflexos das redes sociais na formação da sexualidade dos jovens da escola pública. Parto da hipótese de que as redes sociais estão presentes no cotidiano dos alunos, apresentando conteúdos diversos através dos perfis individuais, páginas, links, imagens e comentários. Assim é possível pensar que os jovens possam construir sua sexualidade através da produção e reprodução de sentidos, a partir dos discursos e signos distribuídos por meio das redes sociais, como o Facebook e o WhatsApp. Observei, entrevistei, coletei dados e analisei tendo como base a metodologia qualitativa da pesquisa participante. Por fim, além da análise do conteúdo das entrevistas, fiz uso da concepção de Bakhtin sobre gêneros discursivos para compreender a relação dialógica entre a escola, os jovens e as redes sociais, que além de estarem presentes na vida cotidiana, são ferramentas que permitem a produção e reprodução de assuntos relacionados à sexualidade indiferente da formação oferecida pela escola.

Palavras-chave: Educação; Comunicação; Sexualidade; Formação; Redes sociais.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3828

Francisco Monteiro de Souza Neto

Linguagens na ciberpublicidade: análise semiótica dos mecanismos de busca

Orientador: Guilherme Nery Atem

Resumo:Nesta dissertação busca-se entender como a ciberpublicidade, operada nos mecanismos de busca, transforma a informação em linguagem. O objetivo, portanto, é compreender como os mecanismos de busca traduzem os dados de navegação em signos na retórica do consumo. Por conseguinte, busca-se verificar se a construção de texto de um mecanismo de busca pode ser vista como a construção de um texto publicitário. Parte-se de uma revisão histórica parcial da publicidade, sobretudo, com foco nas mudanças da organização e das técnicas dos anúncios. Por meio da elucidação do funcionamento dos mecanismos de busca e como estes se transformaram em ferramentas propulsoras de negócios, também é feita uma revisão de literatura no campo da linguística, da antropologia e da comunicação de forma a compreender o caráter multidisciplinar do problema. São utilizados conceitos da linguística estrutural de Saussure, da Teoria Matemática da Comunicação e do gerenciamento de significados de McCracken para apresentar a Semiótica da Cultura como convergência dos diversos conceitos de tais ciências. Após definido o percurso teórico, utiliza-se a Semiótica da Cultura ou Semiótica Russa (da Escola de Tártu-Moscou – ETM), presente nas obras de Irene Machado e Iúri Lótman, e do pensamento semiótico de Roman Jakobson, para realizar uma análise semiótica dos fundamentos dos mecanismos de busca e das ações de otimização orgânica de sites, ou SEO, do inglês “search engine optimization”, que se configuram como as ações da ciberpublicidade na criação de signos publicitários nos mecanismos de busca. Considera-se os links como os signos do texto cultural, conforme entendido pela ETM e, neste trabalho, considerados como hipertextos culturais. Conclui-se que o caminho da alfabetização semiótica dos mecanismos de busca é que lhes permite desenvolver sistemas semióticos e modelizáveis, capazes de criar signos e textos publicitários no ciberespaço.

Palavras-chave: Ciberpublicidade; Mecanismos de Busca; Marketing Links; Semiótica; Linguagens da Publicidade.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3827

Gustavo Côrtes Guimarães

TV na internet e internet que é TV: narrativas, contextos e o caso NerdOffice

Orientadora: Renata Rezende Ribeiro

Resumo:Essa pesquisa objetiva compreender as características das produções audiovisuais criadas e disponibilizadas em plataformas digitais, particularmente as narrativas denominadas por WEB TV. Para tanto, realizamos um mapeamento dos canais classificados com essa terminologia na plataforma de vídeo YouTube, em uma espécie de cartografia, seguida de análise descritiva, na intenção de verificar as principais permanências e/ou rupturas da linguagem realizada nesses programas. Além disso, o trabalho se propôs a levantar questões e discorrer sobre a presença e o papel de serviços de vídeo sob demanda, que se assemelham ao YouTube, como a produtora e distribuidora Netflix, na produção audiovisual online, apresentando uma pesquisa empírica, também por meio de análise descritiva, a partir do recorte NerdOffice, programa totalmente produzido para a Internet e encontrado na cartografia supracitada como um dos mais visualizados da web.

Palavras-chave: Internet; Narrativa; Audiovisual; YouTube; Interatividade

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3825

Iane de Macedo Filgueiras

Canal Saúde na Estrada: uma janela audiovisual para o cotidiano do SUS

Orientadora: Denise Tavares

Resumo: Este trabalho faz um levantamento extenso sobre o programa Canal Saúde na Estrada, e sua emissora Canal Saúde, da Fundação Oswaldo Cruz, tendo em vista a sua produção audiovisual positiva sobre o Sistema Único de Saúde. O objetivo é discutir a abordagem do tema saúde em audiovisuais, a partir deste estudo de caso. Através do levantamento e exposição dos dados da rotina de produção do programa e das mudanças deste audiovisual no decorrer de sua existência, pretende-se entender se o Canal Saúde na Estrada alcança os objetivos a que se propõe como mecanismo audiovisual de promoção da saúde e, consequentemente, também de popularização da ciência, no âmbito da divulgação científica, bem como fazer um registro histórico do programa e da emissora, sobre os quais há escassez de publicações acadêmicas. Como base teórica para o estudo, esta pesquisa utiliza, principalmente, os conceitos de cotidiano (HELLER, 2008) e de comunicação e saúde (ARAÚJO, 2007), além de autores da área do audiovisual, que sustentam a exposição dos dados das edições do Canal Saúde na Estada e de outros programas da grade da mesma emissora.

Palavras-chave: Comunicação e Saúde; Canal Saúde na Estrada; Audiovisual; Cotidiano; Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz)

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3824

Julia Santos Dias

Gênero na publicidade infantil: estratégias de marketing e representações

Orientadora: Ana Paula Bragaglia

Resumo: Nesta dissertação busca-se entender como a publicidade infantil vem utilizando a segmentação por gênero em seus anúncios e quais as representações e estereótipos mais presentes. Para isso, parte-se da epistemologia feminista e da semiologia, considerando a publicidade como uma “tecnologia de gênero” (LAURETIS, 1990). A hipótese aqui levantada é de que a lógica do consumo e da publicidade, cada vez mais presente no universo infantil, tende a aumentar sua segmentação por nichos e categorias, contribuindo para a separação entre gêneros na infância. Para isso, as técnicas de marketing para crianças, bem como o debate sobre a regulamentação da publicidade infantil, são levadas em conta para se entender de que forma o gênero funciona como estratégia publicitária. Analisou-se comerciais voltados para o público infantil em horários e canais destinados a esse público na televisão aberta e fechada: nos programas Bom Dia & cia, do SBT, e Detetives do Prédio Azul (DPA), do Gloob. Nas peças publicitárias pesquisadas, observa-se um alto nível de segmentação por gênero. Os produtos para meninos são apresentado com características ligadas à força e à velocidade, remetendo-se à figura do super-herói. Já os comerciais para meninas oscilam entre representações clássicas da feminilidade, ligada ao cuidado com os outros e à maternidade, e ideais modernos de mulher, que sempre remetem a cuidados com a beleza, a moda e o consumo, ligados ao ideal de musa. Essas duas representações, embora pareçam antagônicas, convergem em diversos momentos, em uma imagem de uma “super- mulher”. Negociações e adaptações nas estratégias das marcas são sentidas como respostas às mudanças na sociedade e às reclamações e protestos de consumidores. Ainda assim, essa novas estratégias muitas vezes reforçam a divisão por gênero e acabam por fortalecer alguns estereótipos.

Palavras-chave: gênero; publicidade; infância

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3821

Marcelo Machado da Motta

Jornalismo em tempos de facebook: a influência das fanpages no fazer jornalístico

Orientador: Marco André Feldman Schneider

Resumo:Este estudo propõe uma reflexão sobre a influência causada pela participação mais expressiva dos leitores nas produções jornalísticas, por meio das possibilidades de interatividade, obtidas através das fanpages do Facebook. Como o jornalismo na atualidade tem lidado com a instantaneidade na difusão de informações, em que medida as novas narrativas midiáticas têm lidado com as novas plataformas informativas. Nesse aspecto, este estudo também busca analisar a mudança de postura das empresas jornalísticas, na tentativa de maior participação e interação com um público, cada vez mais produtor conjunto de conteúdos informativos. O recorte principal de análise serão as fanpages do portal Brasil 247 e revista Veja, juntamente com suas coberturas jornalísticas acerca da abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Roussef. Além do recorte principal, analisaremos situações específicas dos jornais Extra, do Rio de Janeiro, e Folha de São Paulo. Serão feitos estudos de situações, nas quais fica explícita a interação direta entre jornal e leitor, por meio do espaço de comentário. Na análise principal investigaremos as práticas jornalísticas através da segmentação de público, ou seja, como as empresas jornalísticas buscam estratégias e posicionamentos, de acordo com o seu público.

Palavras-chave: Webjornalismo; jornalismo no Facebook; segmentação jornalística; jornalismo participativo; jornalismo online

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3823

Willian Dantas

O resgate dos beagles: trajetória, embates e polêmicas nas mídias sociais

Orientadora: Denise Tavares da Silva

Resumo:Em defesa da necessidade da popularização da ciência cotidianamente esta tem disputado um espaço nos meios de comunicação, seja marcando presença como pauta da imprensa, ou em programas em que surge entremeada pela lógica do entretenimento. Nesta dissertação, tais questões demandaram de um episódio que ocorreu recentemente no Brasil: aqui chamado de resgate dos beagles e de polêmica dos beagles, de 2013. Este caso reuniu questões de natureza científica sobre a sociabilização e popularização da ciência e dos cientistas. Assim como também problematizou a questão da participação pública junto a causas e demandas que ao longo do processo podem vir a conduzir ações coletivas na realidade das ruas e no espaço virtual. Em especial, o resgate dos beagles desencadeou um processo de reflexão coletiva em um dado momento sobre a relação de afeto entre homens e animais, principalmente com o popularmente chamado melhor amigo do homem. Todas estas problemáticas mobilizaram, em dimensões diferenciadas, e em muitos aspectos distintos, a opinião pública, o que significou a manutenção por um período significativo de tempo destas pautas na grande mídia. Nesta perspectiva, o objetivo deste estudo está em discutir os modos como determinados acontecimentos da esfera científica mobilizam diversos estratos da sociedade por meio de estruturas comunicacionais. Mais precisamente, como assuntos relacionados à temática da ciência surgem e, enquanto desdobram-se, produzem sentidos, dialogam e, muitas vezes, até contradizem outras bases de conhecimento da esfera pública.

Palavras-chave: Ativismo; Ciência; Experimentação animal; Conhecimento científico; Instituto Royal; Mídias sociais; Resgate beagle.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3822

TURMA DE 2013


Ana Karolina Cavalcante Assunção

Vozes da liberdade? Aberturas, limites e apropriações da Rádio Livre nos presídios do Ceará

Orientador: João Batista de Abreu

Resumo: Os presídios são instituições que pretendem ser fechadas, onde indivíduos que cometeram crimes vivem reclusos, sem o direito de ir e vir e contato direto com as pessoas que estão fora da instituição. Nesse aspecto, um sistema de alto-falantes (radiadora) instalado em unidades prisionais cearenses pretende ser um meio de comunicação e um elo entre familiares e internos. Ao mesmo tempo em que utiliza as características de companheiro, típicas do rádio, a radiadora também é uma forma de transmitir mensagens e ações da Secretaria da Justiça e Cidadania do Ceará (Sejus), responsável pela Rádio Livre e pela administração dos presídios. Divido em três capítulos, este trabalho expõe, na primeira etapa, questões relacionadas às prisões, problematizando a política de hiperencarceramento e contextualizando a situação dos presídios no Brasil e, mais especificamente, no Ceará. A segunda parte destaca as características do rádio e apresenta a Rádio Livre no contexto carcerário. Na terceira parte, a partir de audições de programas e entrevistas com familiares de internos e produtores da radiadora, analisa-se a programação da rádio, levando em consideração os limites estabelecidos pela Secretaria e as apropriações que internos e familiares fazem da iniciativa. O objetivo central desta pesquisa é perceber se a rádio é um veículo institucional da Sejus ou uma forma de comunicação entre familiares e internos.

Palavras-chaves: Rádio Livre; Criminologia;  radiadora;  . sistema carcerário; poder.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3665

Ana Paula Gonçalves de Almeida

Sentidos de ser carioca: relações de identidade e consumo na revista Canal Extra

Orientadora: Laura Martini Bedran

Resumo: O objetivo deste trabalho é analisar a revista Canal Extra, distribuída aos domingos no jornal Extra, jornal de maior circulação na cidade do Rio de Janeiro. Dessa forma, trata-se de um veículo que se apresenta como um dos principais expoentes da representação da chamada nova classe média no jornalismo diário carioca, definido como seu público-alvo. Para compreender o seu discurso e o modo como esse público é representado, a revista é contextualizada como suporte midiático, assim como sua relação com a cidade e o carioca, e o seu potencial na criação de sentidos e pertencimentos. A partir do levantamento e análise das seções da revista no período de dois anos, são discutidas as relações entre consumo, identidade e hegemonia representados nas páginas da Canal Extra com a disseminação de hábitos culturais, consumo, modas e tendências.

Palavras-chave: Jornalismo de revista; Carioca; Representações sociais; Consumo; Identidade.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3667

Camille Costa Perissé Pereira

Comunicação que sobrevive: a busca de autossustento para uma mídia autogerida por moradores da Cidade de Deus

Orientadora: Patrícia Gonçalves Saldanha

Resumo: A presente pesquisa se propõe a analisar e avaliar como veículos de comunicação comunitários lidam com a necessidade e dificuldade de autossustento material e autonomia, apontando novas estratégias a serem construídas com os organizadores de tais veículos. Parte-se da premissa de que os veículos analisados se inserem em um contexto de profunda concentração de propriedade dos meios de comunicação, em que, no entanto, diferentes forças seguem em disputa pela hegemonia. Essa compreensão se faz necessária para que os resultados da pesquisa não sejam simplificados em microanálises. Além da revisão bibliográfica, utiliza-se análise documental e a metodologia de pesquisa participante. O estudo se concentra na circulação de veículos comunitários do bairro Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, especificamente um jornal comunitário, conduzido, desde 2010, por moradores da Cidade de Deus. A notícia por que vive foi construído a partir de uma experiência anterior de apropriação das mídias nesta comunidade O estudo busca relacionar Comunicação Comunitária, sociedade civil e socialização da política, no intuito de expor as batalhas cotidianas que se inserem dentro destes campos. Também são incluídas no trabalho reflexões acerca do papel do Estado nas favelas e na promoção das mídias. Por fim, experiências pelas quais o veículo em questão passou ao longo de sua trajetória no que tange à arrecadação de recursos – como a participação em editais, a campanha de crowdfunding e eventos locais – e ao uso de publicidade serão reavaliadas e diagnosticadas, para que, em diálogo com os atores sociais, ainda se possam encontrar possíveis soluções éticas para o problema da autonomia financeira e sobrevivência material.

Palavras-chave: Comunicação Comunitária; Democratização da Comunicação; Publicidade Comunitária; Cidade de Deus; A Notícia Por Quem Vive

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3773

Elaine Araújo de Vasconcelos

É tudo nosso – O papel da confiança no consumo compartilhado: um estudo de caso sobre o site “Tem Açúcar?

Orientador: Guilherme Nery Atem

Resumo:O presente trabalho se propõe a investigar as relações de confiança construídas através do consumo compartilhado a partir do site de empréstimos “Tem Açúcar?”. Mais do que um processo de consumo, tal fenômeno pode ser entendido como um processo de circulação de bens através de plataformas on-line tais como sites e aplicativos de celular e na colaboração entre indivíduos, na maioria das vezes, desconhecidos. Embora tais práticas não sejam um fato novo, o que as difere dos empréstimos e doações que acontecem entre vizinhos, amigos e familiares é que, com a ajuda da internet, elas agora acontecem também entre estranhos, o que exige um grau de confiança maior. Por esse motivo, o objetivo geral deste trabalho é investigar que mecanismos contribuem para a construção da confiança nesse “novo” tipo de consumo. O caminho metodológico delineado se sustenta no método de pesquisa qualitativa com entrevistas em profundidade, revisão bibliográfica, para pensar temas como o papel do consumo na nossa sociedade, a relação da chamada “geração internet” com as novas tecnologias de comunicação e a questão da confiança, ponto central desta pesquisa. Além disso, foram analisados também alguns dados fornecidos pela criadora do site “Tem Açúcar?”

Palavras-chave: Consumo. Confiança. Compartilhamento. Vínculos Sociais

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3848

Elisabete de Jesus Estumano Freire

Narrativas ficcionais seriadas e a representação dos “dois Brasis”: a produção de sentidos nas webséries inspiradas nos seriados televisivos ‘As Brasileiras’ e ‘As Cariocas’

Orientadora: Renata Rezende Ribeiro

Resumo: Esta dissertação tem por objetivo verificar a produção de sentidos de algumas narrativas webseriadas inspiradas em narrativas seriadas televisivas, tendo como foco o modo como vem sendo representada a identidade nacional. A partir de uma pesquisa exploratória das webséries inspiradas nos seriados ‘As Brasileiras’ e ‘As Cariocas’, exibido pela Rede Globo de Televisão, entre 2010 e 2012, pretendemos identificar como o discurso de brasilidade e regionalismo vem sendo mostrado pela mídia televisiva e apropriado pelos internautas nas webséris relacionadas. As discussões baseiam-se em referencial teórico de Martin-Barbero (2009), que estudou a relação da narração com a identidade cultural e os modos de mediação da sociedade midiatizada, além de outros autores como Henry Jenkins (2012), Lima (2013), Ortiz (2006), Sodré (2006), Amâncio (2000), Gaudreault e Jost (2009), Aeraphe (2013) e Rodrigues (2014).

Palavras-chave: produção de sentidos; webséries; convergência; identidade nacional; regionalismo.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3850

Ingrid Schumann Seabra Martins

A criança como influenciadora de compra para a publicidade: apelos, motivações e subjetividade infantil

Orientadora: Ana Paula Bragaglia

Resumo: O presente estudo teve como objetivo investigar de que forma a publicidade pode estimular crianças a se tornarem, não apenas consumidores finais, mas também influenciadores na tomada de decisão por parte de quem possui efetivamente o poder de compra. Buscou-se ainda estudar a influência de consumo que a criança pode vir a realizar no seio familiar, no caso de produtos de uso não exclusivamente infantil. Finalmente, buscou-se compreender em que grau a publicidade estaria envolvida no estímulo desta postura específica de consumo, assim como as possíveis consequências deste comportamento na subjetividade infantil. A posição da criança na sociedade passou por mudanças ao longo dos anos: se antes, muitas vezes, ganhava ínfima atenção da família, hoje tem sua opinião amplamente valorizada dentro de casa, ganhando projeção o comportamento denominado “protagonismo infantil”. Este destaque pode ocorrer até mesmo em questões de consumo e é sobre esta via que esta dissertação se debruçou. Foram feitas leituras sobre psicologia infantil, aspectos históricos-sociais da infância, técnicas de marketing e linguagem publicitária voltados a este público, políticas da comunicação publicitária infantil no Brasil e em outros países, além de terem sido analisadas diversas pesquisas sobre consumo e influência de compra em crianças. A partir deste material, partiu-se para a análise de comerciais televisivos e realização de entrevistas com pais de crianças entre 5 e 10 anos. Como principais resultados, identificou-se setenta e sete (77) anúncios de produtos ou serviços de uso familiar ou adulto, com elementos atraentes às crianças, e confirmou-se, nas entrevistas, a influência da publicidade sob o público infantil. Como alguns impactos possíveis deste “marketing de influência” na subjetividade infantil, percebeu-se a própria postura consumista, bem como o chamado “encurtamento da infância”.

Palavras-chave: Publicidade infantil; Mídia e cotidiano; Psicologia infantil; Ética e legislação publicitária; Infância.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3849

Mariana de Almeida Costa

Jornalismo, internet e os malabarismos de uma redação em transição: os reflexos da convergência na produção de notícias em O Globo

Orientador: João Batista de Abreu

Resumo: Esta pesquisa busca investigar os reflexos da convergência digital e o desenvolvimento de novas tecnologias no processo de produção de notícias do jornal O Globo. Apresenta-se um panorama mais amplo das transformações sobre o jornalismo e a indústria de notícias, como as mudanças no mundo do trabalho e no mercado de jornais impressos, e as novas habilidades exigidas dos jornalistas nesse contexto. Traçado um quadro geral, busca-se analisar o cenário brasileiro e o jornal carioca em particular, com o foco específico na Editoria Rio. Foram analisadas as principais estratégias adotadas por O Globo desde a década de 1980 até os dias atuais e o reflexo dessa transição sobre a rotina da redação. Para isso, foram utilizadas informações disponibilizadas pelo próprio jornal e entrevistas feitas com jornalistas que vivenciaram essas transformações. Chegou-se à conclusão que as novas condições de produção oferecem mais limitações do que potencialidades para o trabalho jornalístico por estarem fortemente fundamentadas em uma cobrança por mais produtividade. As hipóteses que indicavam um afastamento dos profissionais das ruas e o enfraquecimento do gênero reportagem também se confirmaram.

Palavras-chave: convergência digital; jornalismo multimídia; produção de notícias; O Globo

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3852

Natália Kleinsorgen Bernardo Borges

Traficante – ou roda ou tomba: linguagem policial, criminalização da pobreza e discurso punitivista em O Itaboraí, O São Gonçalo e O Fluminense 

Orientador: Marco Schneider

Resumo: Cotidianamente, tipos específicos de atos socialmente indesejados são veiculados nas mídias como principais problemas da dita violência urbana. A divulgação quase exclusiva de anomias, especialmente por parte de jornais populares, produz um estereótipo do “criminoso”, colaborando para a estigmatização de uma parcela da população historicamente marginalizada. Neste trabalho, através de entrevistas com profissionais das redações de O Itaboraí, o São Gonçalo e O Fluminense – integrantes da imprensa no Leste Fluminense, busca-se entender qual seria o papel do repórter-policial e das editorias criminais, investigando a relação entre fonte e jornalista. Além disso, são utilizadas ferramentas da análise do discurso francesa (AD) para identificar os sentidos e mapear as vozes que circulam por estas publicações.

Palavras-chave: Mídia e Violência; Jornalismo popular; Criminalização da Pobreza; Criminologia Midiática.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3869

Patrícia Pimenta Fernandes

Diáspora na rede: redes sociais e questões identitárias de migrantes haitianos no Brasil

Orientadora: Renata Rezende Ribeiro

Resumo:O objetivo da presente pesquisa é investigar como migrantes haitianos residentes no Brasil utilizam as redes sociais na construção de suas identidades. Pretendeu-se analisar os perfis dos usuários nascidos no Haiti que migraram para o Brasil após o terremoto de 2010 e verificar de que modo se dá a interação entre eles e os demais usuários no ambiente virtual, observando até que ponto o uso das redes sociais auxilia a integração à cultura brasileira.

Palavras-chave: Redes sociais; Identidade cultural;  Migração;  Haitianos; Cotidiano.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3870

Penélope Thaís da Cunha Toledo

Contra-hegemonia e mídias sociais: um estudo de caso da campanha “Primavera Carioca”

Orientador: Adilson Vaz Cabral Filho

Resumo: A sociedade é um palco permanente de disputa pela hegemonia das ideias, como condição para a conquista e o exercício do poder. Nela, as forças hegemônicas brigam para consolidar o seu domínio, enquanto as contra-hegemônicas brigam para conquistá-lo, sendo aqui hegemonia entendida como uma forma de dominação por meio do consenso, não da força física. A disputa pelas ideias ganha impulso durante os processos eleitorais, momento em que se multiplicam as discussões políticas e em que as pessoas são levadas a pensar nas questões da sociedade, já que têm que escolher os seus candidatos e projetos. Para isso são utilizados diversos instrumentos e canais, físicos e virtuais, neste último caso se destacando, por sua popularidade e por características como horizontalidade e interatividade, as mídias sociais. Como a disputa pela hegemonia é constante, entretanto, a circulação das ideias nestas interfaces colaborativas transcende o período eleitoral e precisa ser profundamente estudada e compreendida para possibilitar intervenções conscientes e inseridas dentro de um planejamento político-estratégico maior. Este estudo investiga e analisa as mídias sociais enquanto canal de circulação das ideias contra-hegemônicas. Para tanto, parte do estudo de caso da campanha “Primavera Carioca” nas referidas interfaces, nome com que ficou conhecida a candidatura de Marcelo Freixo (PSOL) à prefeitura do Rio de Janeiro em 2012. O que se pretende com o estudo de caso é, partindo do evento específico, compreender o contexto geral, por meio de analogias e da ampliação das situações observadas. Em geral, a pesquisa objetiva compreender como as mídias sociais atuam enquanto canais para a circulação permanente das ideias contra-hegemônicas, abrangendo as suas potencialidades, limitações e impactos. Também tem como objetivos analisar o uso destas interfaces como instrumento de campanhas eleitorais e de ações políticas como um todo, e examinar a sua utilização em eleições como um meio para a promoção do debate público.

Palavras-chave: mídias sociais; política; “Primavera Carioca”; ciberpolítica; cibermilitância.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3831

Raphael Silva Pinto

Dinâmicas audiovisuais nos encontros com Justin Bieber

Orientadora: Denise Tavares da Silva

Resumo:A pesquisa tem como foco investigativo as dinâmicas audiovisuais cotidianas construídas em torno de uma fase do percurso profissional do cantor canadense Justin Bieber, a partir da circularidade de suas fotos e vídeos na internet, especialmente no Instagram. Assim, como procedimento metodológico, destacou o documentário Never say Never (2011), cuja narrativa é apresentada como biografia de Justin Bieber, investigando os processos de identificação e imbricamentos entre os aparentemente distantes dois mundos: o da celebridade e dos que o cultuam. A problematização se configura a partir do instante em que os fãs do cantor parecem, a priori, não superar a transição ocorrida no perfil identitário do ídolo e passam a arquivar montagens fotográficas datadas no Instagram. As fotografias compartilhadas são entendidas como encontros narrativos e molduras imagéticas que pronunciam o componente midiático ao gênero biográfico tradicional, permitindo, assim, um interstício nas possíveis leituras sobre as trajetórias vitais das celebridades na contemporaneidade. Nesta perspectiva, buscam-se teorizações para compreender as necessidades imaginárias e as experiências do sujeito com a vida célebre. Sustentam as análises e reflexões desta pesquisa os trabalhos de Mikhail Bakhtin, Edgar Morin, Douglas Kellner, Muniz Sodré e Thiago Soares. Tal percurso traduziu-se na tentativa de elucidar diagnósticos que se somem aos estudos que já entendem o quanto é urgente, hoje, discutirmos as abordagens da cultura do entretenimento.

Palavras-chave: midiatização; celebridade; estética; biografia.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3871

Sandra Alesia Pereira da Silva

Sexualidades e gêneros cambiantes – militância e ativismo nos documentários Generonautas: jornada por identidades mutantes e De gravata e unha vermelha

Orientadora: Denise Tavares da Silva

Resumo:Esta dissertação analisa dois documentários – “Generonautas, jornada por identidades mutantes” (Monika Treut, 1999) e “De gravata e unha vermelha” (Miriam Chnaiderman, 2014) – tendo o objetivo de discutir como a identidade de gênero e a sexualidade são expressas nessas obras. Balizam este estudo a concepção de identidade como em contínua transformação e, gênero, como construção histórica, cultural e política. Sustentam, especialmente, tal olhar, os estudos feministas e a teoria queer, que defende a superação da padronização binária heterossexual/homossexual. O trabalho avalia os diferentes pontos de vista dos documentários, considerando os momentos históricos de suas produções. No filme de Treut, destacamos o aspecto militante da obra ao abordar o cotidiano de uma comunidade de trasgêneros residentes em São Francisco (EUA), tendo a cidade um papel importante na causa em defesa dos corpos abjetos. Já no filme de Chnaiderman, buscamos entender como se apresenta a sexualidade e o gênero em sua multiplicidade, tendo a vestimenta como principal elemento de transgressão. Isto posto, enumeramos algumas indagações que atravessam esta pesquisa: como se constroem os diferentes ativismos nas duas produções, mantendo-se a perspectiva de uma militância desenhada pelas organizações LGBT (Lésbica, gay, bissexual e trans) e tendo em vista a construção e consolidação de direitos sociais para este grupo ao longo dos quinze anos, tempo de espaço entre as produções? Qual a articulação – seja em maior ou menor grau – com o cotidiano, no sentido de se reconhecer neste “espaço de vivência e convivência”, uma trilha para a consolidação dos propósitos do ativismo? Quais as marcas temporais específicas dos filmes que dialogam com a teoria queer? Por fim, que questões éticas suscitam tais obras quando expõem indivíduos historicamente discriminados? Buscar responder a estas e outras questões próximas, significa, para esta pesquisa, apontar para a necessidade do rompimento da invisibilidade que ainda marca quem optou pela transexualidade e/ou outras formas de identidade sexual e de gênero e, ao mesmo tempo, reconhecer na mídia, mais especificamente no audiovisual de não-ficção, um locus potente e significativo no cenário da comunicação contemporânea.

Palavras-chave: militância; documentário; gênero; identidade; queer

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3891

Tatiana Cioni Couto

Converso, logo compro: a sociabilidade como instrumento de consumo em rede

Orientadora: Arlete Eni Granero

Resumo: A mídia social possibilitou às pessoas a possibilidade da publicação instantânea e a troca de opiniões e comentários em rede. Algumas empresas constroem negócios virtuais nessas mídias ou delas se utilizam. O surgimento das redes e da internet trouxe consequências como: a realização de ações em “tempo real”; o surgimento e a ocupação do “ciberespaço”; o deslocamento de identidades; as representações do Eu no “mundo virtual” e a conexão entre as pessoas por meio de computador ou dispositivos móveis para realizar negócios (comércio social). Essas interações mediadas por computador afetaram o o modo de se expressar e o consumo. Foram utilizados como preceitos teóricos: a definição de sociedade e de interação social (BAKTHIN, 2006); a Comunicação Mediada por Computador (CASTELLS, 1999); a conversação em rede (RECUERO, 2012) e o consumo via validação social (ADOLPHO, 2013) para mostrar o place internet como a nova forma de exercer e promover o consumo via sociabilidade. A pesquisa tem como objetivo geral estabelecer a relação entre os elementos: comunidade, conteúdo, comércio de uma marca e o argumento da prova social como influenciadora na Comunicação Mediada por Computador (CMC) apresentando como objeto de estudo o site de viagens TripAdvisor. Observa-se que o TripAdvisor, um site de viagens, ao reunir fóruns de discussões, Facebook e sistemas abertos de avaliações de usuários sobre locais de viagem e de gastronomia, consegue atuar como uma mídia social em rede. Ao mesmo tempo, a empresa gera um o comércio eletrônico vinculado às percepções de uma mídia social.

Palavras-chave: interação social; Comunicação Mediada por Computador; rede social; prosumers; consumo em rede.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3890

Tatiana da Silva Lima

Onde estão os mortos? Silenciamentos, discursos e sentidos midiáticos da pacificação do Complexo do Alemão

Orientador: Márcio de Souza Castilho

Resumo:Esta dissertação tem como foco as questões sobre a tríade: segurança pública, mídia e violência, relacionada à primeira fase do processo de pacificação de favelas do Complexo do Alemão, na cidade do Rio de Janeiro, realizada em novembro de 2010. A ação policial-militar do Estado teve apoio do governo federal com uso das Forças de Pacificação do Exército e se tornou símbolo do programa de segurança pública denominado Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Através da mídia, a ação agenda a construção discursiva de uma metáfora de paz promotora de novos sentidos para a cidade anfitriã de importantes megaeventos esportivos internacionais como a Copa do Mundo (2014) e Jogos Olímpicos (2016). A pesquisa busca as linhas de conexão e encaixe entre o que é dito, silenciado e o que é compreendido como paz na prática dos operadores do Estado. Por meio de observação participante no conjunto de favelas do Complexo do Alemão e a análise do discurso da cobertura jornalística do periódico O Globo, essa dissertação promove uma reflexão sobre a representação das favelas e a segurança pública na cidade do Rio de Janeiro.

Palavras-chave: Pacificação de favelas; Segurança Pública; Unidade de Polícia Pacificadora; Complexo do Alemão; Produção de sentido.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3851

Tatiane Mendes Pinto

Cinema e educação: entre o eu estético e o nós político

Orientadora: Patrícia Gonçalves Saldanha

Resumo:O presente trabalho se propõe a analisar as experiências dialógicas entre cinema e educação a partir do projeto Cinema para Todos, de oficinas de audiovisual no Estado do Rio de Janeiro. Partindo das relações entre Mídia e Cotidiano, refletirá sobre o cinema como estratégia comunicacional que vai do ambiente escolar até a experiência do espaço urbano como forma de compartilhamentos sensíveis e estímulo às invenções coletivas – essenciais à formação do ser. Tal análise tem lugar num momento da atualidade1 onde sujeito e sociedade sofrem importantes mudanças, a escola como meio de reprodução de práticas sociais passa por uma crise sem precedentes e parece haver uma transformação do político na sociedade atual em detrimento de um fortalecimento cada vez maior das mídias no cotidiano. Deste modo busca-se compreender em que medida a experiência sensível com o cinema pode gerar vinculações sociais dos alunos em relação a seus pares e às suas comunidades. Ao longo da pesquisa foi delineado um caminho cujos eixos centrais se sustentam no método de pesquisa de campo, pesquisa qualitativa com entrevistas em profundidade, pesquisa quantitativa com entrevistas fechadas e revisão bibliográfica para pensar o papel do audiovisual na intervenção do cotidiano e na mediação com a sociedade através dos conceitos de cinema (BENJAMIN, 2012; BERGALA, 2008), vinculação social (SODRÉ, 2010), educação (SODRÉ, 2012; SIBILIA, 2012), héxis educativa (SODRÉ, 2010) e experiência sensível (MAFFESOLI, 1998).

Palavras-chave: Cinema; Educação; Héxis educativa; Experiência sensível; Vinculação social.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3868

Wagner da Silveira Bezerra

A mediação do consumo midiático no universo escolar: estudo de caso do Projeto GENTE

Orientador: Alexandre Farbiarz

Co-orientador: Ricardo Artur Carvalho

Resumo:O problema central desta dissertação refere-se à necessidade de adaptação da comunidade escolar em face da necessária reconfiguração das estratégias de ensino-aprendizagem, a partir do uso das novas Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) enquanto ferramentas pedagógicas nos ambientes escolares. O objetivo principal é analisar o processo de adaptabilidade de educandos e educadores frente a esse processo, por meio do estudo de caso do Projeto Ginásio Experimental de Novas Tecnologias (GENTE), desenvolvido na Escola Municipal André Urani, na Rocinha, Rio de Janeiro. O objetivo secundário é compreender como se dá a mediação do consumo de mídia em um ambiente em que o uso das TICs ganhou centralidade. Do ponto de vista teórico, pretende-se discutir aspectos das interconexões entre os campos da Comunicação e da Educação, a partir de referencial que tem como alicerce a produção de autores filiados aos estudos culturais, sobretudo os latino-americanos, em posição dialógica às teorias dos campos da Educação para a mídia, destacando-se a Educomunicação e a Mídia-Educação, bem como alguns pressupostos da chamada Educação para o Século XXI. Para o levantamento de dados valeu-se, primordialmente, da abordagem qualitativa, com uso de pesquisa exploratória, observação participativa e entrevistas em profundidade. A análise dos dados baseou-se na utilização da teoria do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC) e do software desenvolvido para aplicação dessa técnica. Dentre os principais resultados alcançados, destaca-se a agregação de conhecimento científico que possa, de alguma forma, colaborar com as políticas públicas de Educação e com ações subsequentes do uso das TICs nos ambientes públicos escolares, por meio do relato de um caso real de empenho adaptativo coletivo para tornar o uso das novas tecnologias um aliado na missão de educar e preparar os alunos para a vida cidadã, sem perder de vista os novos desafios da Educação, como a promoção da autonomia e do protagonismo infantil e juvenil.

Palavras-chave: Tecnologias educacionais; TICs na Educação; Educação para a mídia; Educomunicação; Novas tecnologias.

Link: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/3989

Teses

TURMA DE 2020


Carla Ramalho Procópio

Entre o controle e o silêncio: articulações entre os regimes de visibilidade das mulheres encarceradas e o trabalho ideológico das prisões

Orientadora: Carla Baiense Felix

Resumo:No contexto prisional brasileiro, as mulheres encarceradas representam cerca de 8% da população prisional, e mesmo sendo considerado baixo, esse é o grupo em que a taxa de encarceramento mais cresce. Utilizando o conceito de Brighenti (2010), este trabalho busca identificar os regimes de visibilidade disputados pela materialidade audiovisual presentes no Globoplay e YouTube, considerando as transformações do contexto televisivo em novos fluxos e fronteiras que provoca um reordenamento de mediações, garantindo a entrada de novos dispositivos, agentes e formatos (Fausto Neto, 2008). Com o objetivo de desvendar como esses regimes se articulam ao trabalho ideológico realizado pelas prisões (Davis, 2020) em nossa sociedade, tensionamos as perspectivas do feminismo abolicionista na classificação de cinco regimes de visibilidade mapeados em um corpus total de 185 vídeos. Nesse sentido, nossa pesquisa trabalha com a necessidade de apropriação do conceito da comunicação, orientando- o não para o desenvolvimento, mas sim para a transformação e emancipação social, conceito estruturado em uma chave latino-americana (Bringe, 2013) do campo.

Palavras-chaves: Regimes de visibilidade. Aprisionamento. Gênero. Jornalismo Audiovisual.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/33158

Lucas Lopes Albuquerque Bastos

Os diálogos entre sujeitos jogadores e jogos digitais: investigação a partir de uma perspectiva comunicacional, cotidiana e do letramento midiático crítico

Orientador: Alexandre Farbiarz

Resumo:Nossa Tese investiga como os sujeitos jogadores, em sua prática lúdica com jogos digitais, se engajam em múltiplos diálogos e negociações de sentidos, por meio de uma tríplice perspectiva Comunicacional, Cotidiana e do Letramento midiático crítico. Nosso objeto de estudo é o jogo digital This War of Mine, título publicado pelo estúdio polonês 11 Bit Studios em 2014. A pesquisa empregou três metodologias complementares, sendo a primeira uma revisão teórica e conceitual através de diferentes campos do conhecimento, com ênfase nas áreas da Comunicação, da Educação e dos Game Studies, estabelecendo a tríplice perspectiva que nos permitiu explorar o problema de estudo. Essa revisão se apoia em diferentes conceitos, teorias e vertentes do conhecimento, às quais destacamos: a perspectiva bakhtiniana sobre os conceitos de dialogismo e enunciado; o contexto tecnológico e socioeconômico da Midiatização; a comunicação como processo social de significação do mundo e estruturação do comum entre os sujeitos; a esfera social do Cotidiano e seu caráter dialético de alienação e transformação da ordem social, a retórica cultural, a retórica procedimental e os valores associados ao design dos jogos digitais a abordagem sociocultural para a educação e o estímulo à consciência crítica dos educandos; o papel dos jogos na Educação e sua contribuição para a compreensão da realidade social; a Alfabetização Crítica para as Mídias e a bases pedagógicas e conceituais que sustentam o Letramento Midiático Crítico. A segunda metodologia empregada é a proposta de Introdução à Análise de Games, de Clara-Fernández Vara, à qual recorremos para desenvolver um exame minucioso sobre os elementos e retóricas lúdicas que compõem nosso objeto. A terceira metodologia acionada se configura em um grupo focal com sujeitos educandos-jogadores graduandos da disciplina Jogos Digitais, Comunicação e Pensamento Crítico, optativa do curso de Comunicação Social da Universidade Federal Fluminense, centrada em discussões sobre a prática lúdica desses educandos com o jogo This War of Mine. Considerando os resultados da tese e os nossos aprendizados ao longo da pesquisa, concluímos que os sujeitos educandos- jogadores, em meio à sua prática lúdica, se engajaram em diálogos e negociações de sentidos com o objeto da Tese e com outros jogadores, processos comunicacionais influenciados pelo contexto da midiatização e por fatores relacionados ao Cotidiano. As práticas lúdicas desses educandos-jogadores revelaram um letramento midiático crítico efetivo à medida em que eles demonstraram autonomia para experenciarem a obra, questionarem as condições de produção, publicação e promoção do produto midiático, propor debates críticos sobre os discursos e sentidos associados aos enunciados e pautarem suas ações e decisões dentro do jogo a partir de dilemas morais e relações com panoramas socioeconômicos e políticos globais.

Palavras-chaves: Comunicação; Midiatização; Cotidiano; Educação; Letramento Midiático Crítico; Jogos Digitais; This War of Mine. 

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/33335

TURMA DE 2019


Antônio Carlos Ferreira Vianna

Da celebridade ao anonimato: a relação entre o populismo penal e uma outra abordagem sobre o traficante em O Globo

Orientadora: Carla Baiense Felix

Resumo:Com base na representação do traficante no noticiário, esta tese discute as transformações nos discursos sobre crimes, no jornal O Globo, ao longo da última década até os dias de hoje, período que compreende o ano de 2011 até 2022. Ancorada nas teorias da Análise de Discurso, em entrevistas com jornalistas que vivenciaram a produção de notícias cotidianas na redação e em um corpus com 419 reportagens, identifica a ampliação de uma abordagem alternativa a que predominou nas narrativas jornalísticas, em comparação com as décadas anteriores. Relaciona a mudança com o avanço do populismo penal (ROBERTS et al., 2003), nos países ocidentais, e com a acumulação histórica de padrões e experiências sociais que proporcionam a incriminação prévia de determinados sujeitos no Rio de Janeiro (MISSE, 1999). Conclui que, embora as condições determinantes das escolhas editoriais tenham vínculos políticos, a maneira pela qual a sociedade passou a conceber o radicalismo punitivista parece apontar para a consolidação de um novo papel perante à discriminação contra determinados sujeitos.

Palavras-chaves: Jornalismo; Traficante; Populismo Penal; Cotidiano; Sujeição Criminal.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/33326

Davi de Menezes Rebouças

Transculturalidade midiática em narrativas cotidianas no YouTube: brasilidade e colonialidade em vídeos de reação estrangeiros

Orientadora: Renata de Rezende Ribeiro

Resumo:Neste trabalho, investigamos as construções de sentido em espaços on-line sobre a multiculturalidade brasileira a partir da produção, circulação e consumo de vídeos de reação de estrangeiros que abordam bens culturais do Brasil em suas narrativas. Enfocamos também nas práticas discursivas e sociais atravessadas por marcas de colonialidade que podem ser observadas nesses conteúdos. Embora já existam estudos sobre a plataformização, (VAN DIJCK, 2016; 2017; ANDRÉA, 2020), a colonialidade (QUIJANO, 1997; 2005; MIGNOLO, 2003; 2005; 2009; 2017) e o YouTube enquanto fenômeno cultural (BURGESS; GREEN, 2009; 2018), o diálogo entre essas perspectivas e os vídeos de reação ainda é incipiente, apesar de os reactions serem um gênero audiovisual digital nativo e com uma produção significativa. Examinamos especificamente os vídeos de estrangeiros que têm como objeto-pauta músicas brasileiras de diferentes gêneros. Para isso, utilizamos a Análise de Discurso Crítica (FAIRCLOUGH, 2001; 2012) como abordagem metodológica, enfocando a dimensão discursiva como prática social. Através de nossas análises, identificamos que os youtubers parecem buscar diversidade na representação da brasilidade por meio da música, embora o funk seja mais presente nesses vídeos de reação dos estrangeiros. Sobre esse gênero, a partir das reações e expressões dos criadores, observamos um estranhamento que acreditamos estar associado à colonialidade, mas os youtubers parecem evitar verbalizar seu constrangimento e estranhamento. Já nas interações dos brasileiros nos comentários, percebemos uma presença mais evidente da ideologia colonialista, que hierarquiza culturas, sujeitos, saberes e formas de vida, reforçando estereótipos e estigmas, embora ocorra em menor número em comparação aos elogios. Identificamos também uma valorização de gêneros musicais como MPB, indie e sertanejo, em detrimento do funk, muitas vezes percebido como uma manifestação cultural inferior. A partir da perspectiva da colonialidade, entendemos essa dinâmica como resultado de uma hegemonia cultural que desvaloriza as culturas advindas de comunidades historicamente excluídas e dominadas. Ao longo de nosso percurso empírico-investigativo, identificamos ainda um fenômeno que chamamos de transculturalidade midiática, que está associado à interação entre diferentes culturas na mídia digital, resultando na incorporação de características umas das outras nesse mesmo espaço, sendo influenciada pelos sistemas algorítmicos e pelas narrativas das enunciações. Compreendemos que a colonialidade, herança do período de exploração colonial, ganha novos contornos no cotidiano midiatizado da contemporaneidade, perpetuando-se discursivamente de forma mais sutil e sofisticada, tornando-se ainda mais nociva e cruel. Concluímos que vídeos os de reação podem ser compreendidos como uma expressão das tensões entre a cultura colonial e o entretenimento uma vez que têm o potencial de manter padrões coloniais de pensamento ao apresentarem uma perspectiva externa e exótica em relação à cultura retratada, reforçando estereótipos, simplificações de uma visão colonizadas e relações desiguais de poder. Por fim, observamos também que a lógica de funcionamento das plataformas contribui para essa dinâmica, explorando os dados dos usuários de forma pouco transparente e oferecendo conteúdos que fortalecem discursos e visões de mundo enviesados.

Palavras-chaves: YouTube. Vídeos de reação. Colonialidade. Cotidiano. Transculturalidade. Brasilidade.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/33328

Diego de Souza Cotta

“Além de preto, viado”: linguagens e produções de sentido protagonizados por bichas pretas no cotidiano midiatizado

Orientadora: Renata de Rezende Ribeiro

Resumo:A pesquisa se debruça sobre bichas pretas a partir das intersecções entre lgbtifobia e racismo que recaem sobre esses corpos, buscando compreender como elas produzem outras narrativas discursivas sobre si na mídia, como táticas de sobrevivência diante da subalternização de suas existências. Tomando como recortes e exemplos canais do YouTube de jovens gays negros afeminados, o trabalho explicita a reivindicação por novas imagens e vozes que resistam ao apagamento e aniquilamento de subjetividades negras e gays no cotidiano midiatizado. A partir de abordagens metodológicas, como revisão bibliográfica, autoetnografia, análise de conteúdo, entrevistas e vestígios midiáticos, o objetivo é investigar os usos das TICs — Tecnologias de Informação e Comunicação, em especial a plataforma de streaming do YouTube, como ferramentas de vocalização de sujeitos marginalizados. Pretendeu-se demonstrar que determinados usos destas ferramentas são capazes de gerar sentidos vinculativos e abarcar uma linguagem inclusiva e insurreta diante das narrativas distópicas de supremacia branca e cisheteronormativa presentes no Brasil contemporâneo, especialmente nas duas primeiras décadas dos anos 2000. O trabalho traz diálogos entre teóricos da Comunicação Social, como Douglas Kellner (2001), Muniz Sodré (2002; 2006), João Freire Filho (2005), Vera França (2006), John Thompson (1998), Stig Hjarvard (2014); e de outros campos do conhecimento, como a Psicologia, Filosofia, Sociologia e Educação, a saber: Stuart Hall (2016), Michel Maffesoli (2001; 2014), Judith Butler (2017; 2021), Lélia Gonzalez (2020), Sueli Carneiro (2011), Abdias Nascimento (1980; 2016) Achille Mbembe (2018; 2020), Neusa Santos Souza (1983), Kabengele Munanga (1986), Thomas Luckmann e Peter Berger (2004). A partir desta bibliografia, abrir-se-ia, assim, sob a luz da política de afetos e de afetações (REZENDE RIBEIRO, 2016; 2018), a possibilidade da compreensão de tais canais como territórios confessionais de fluxos catárticos e de purgação das emoções, dando pistas de uma criação de espaços coletivizados de cura (hooks, 2019) e, como esta tese sugere, o desenvolvimento de uma espécie de “quilombismo midiático interseccional”. Além dessas propostas conceituais, a pesquisa destaca um reflorescimento de um “mundo imaginal” por sujeitos assujeitados, isto é, um reencantamento do mundo, onde práticas midiatizadas o “remitificam” e o fazem ser mais vivível para bichas pretas, que ao difundirem seus conteúdos em inúmeras janelas midiáticas, com diversas linguagens e bricolagens do fazer comunicacional, robustecem a naturalização positiva de suas existências.

Palavras-chaves: Mídia; Cotidiano; Racismo; Sexualidade; YouTube; Bicha Preta

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/32993

Domingos Alves de Almeida

Construção das identidades culturais latino-americanas nos discursos televisuais da Televisión del Sur – Telesur

Orientador: Adilson Vaz Cabral Filho
C0-orientadora: Li-Chang Shuen

Resumo:Pensar as Identidades Culturais latino-americanas, a partir da televisualidade, é adentrar a um cotidiano diverso, plural e pulsante. Mesmo que a construção social realizada pelos meios de comunicação carregue certas limitações de ordem técnica e editorial, os recortes veiculados indicam uma realidade cheia de singularidades. Com vista a aprender essa cotidianidade na cobertura que a Televisión del Sur (teleSUR) faz sobre a região, nosso objetivo consiste em investigar a articulação dos discursos televisuais da teleSUR para abordar e construir as identidades culturais da América Latina, a partir dos programas No son Tuites son Historias e Realidades. O problema que buscamos responder é como os discursos televisuais da TV são articulados para construir e representar as Identidades Culturais da América Latina, através dos programas No son Tuites son Histórias e Realidades? Nossa hipótese principal que norteia este trabalho é que a teleSUR repercute em suas narrativas televisuais o contexto no qual está inserida, retratando de forma significativa as Culturas latino-americanas, historicamente marginalizadas, sem deixar, contudo, de referir-se às culturas dominantes. Com isso, a emissora contribui para a construção de um processo de identificação e fortalecimento das Identidades dos povos da região, excluídos e silenciados pelos meios de comunicação dominantes. Na metodologia recorremos ao dispositivo analítico da Análise de Discurso (AD) de filiação francesa, tomando como suporte complementar a pesquisa bibliográfica e pesquisa documental. Para a fundamentação teórica adotamos as proposições de Gonzaga Mota, Eni Orlandi, Karel Kosik, Aníbal Quijano, Catherine Walsh, Matín- Barbero, Silvia Nogueira, Dominique Wolton, Ramiro Beltrán, Aimé Cesaire, entre outros. Como conclusão, indicamos uma abordagem sensível ao cotidiano e às pautas populares, reafirmando a diversidade que caracteriza os povos latino-americanos, ainda que haja negligência da teleSUR ao não tratar do cotidiano dos povos de ancestralidade africana que povoa a região. Além disso, há a opção pela edificação de personagens políticos com alinhamento ideológico à esquerda.

Palavras-chaves: Cotidiano; Identidades Culturais; teleSUR; América Latina; Discurso.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/33329

Elijerton Rogério Chaves Veras

A realidade virtual-paralela da construção da imagem de Paulo Freire no Cotidiano: uma dimensão catártica de reorganização de preconceitos e comunicação ideológica

Orientadora: Patrícia Gonçalves Saldanha

Resumo:Este trabalho se propõe a analisar a articulação da estratégia de comunicação midiatizada com discursos construídos a partir de duas fases: a tragédia e a catarse. Ambas contidas no que foi denominado de realidade virtual-paralela do cotidiano. Neste espaço, as fake news são os recursos textuais e imagéticos que proporcionam, através de narrativas ideológicas, a construção do movimento tragédia e a possível condução à catarse. Trata-se do uso das fake news como índices de ódio, de medo, de preconceito e de intolerância religiosa na construção da incriminação, da criminalização e da discriminação das esquerdas e demonização de Paulo Freire, que é o objeto delineador desta pesquisa. O percurso metodológico foi construído por revisão bibliográfica, análise de conteúdo e análise semiótica do corpus analisado: uma parte demonstrativa de fake news veiculadas e selecionadas do twitter e apresentada em blocos de construção de sentido, cujo recorte temporal se estende em duas partes: uma que vai de abril de 2016 até novembro de 2018 e outra parte que vai de 2018 até 2022 e seus impactos nos dias atuais. A análise de conteúdo é usada pela eficiência na ordenação dos conteúdos imagéticos a serem avaliados. Já a análise semiótica é utilizada para compreensão das fake news como fenômenos de produção, de significação e de sentido ideológico. Partimos da hipótese central de que a estratégia tragédia/catarse está ancorada em uma comunicação ideológica voltada à manutenção das ideias da elite, que objetiva em suas narrativas fake, a exclusão das políticas sociais de esquerda e a implantação de um estado neoliberal. Dessa forma, a partir da ordenação das fake news e de suas significações ideológicas, a pesquisa tem por objetivo, buscar compreender o movimento tragédia/catarse, estrategicamente estruturado na campanha e no decorrer do mandato de Jair Bolsonaro, bem como, os motivos da demonização da figura pública de Paulo Freire e a ascensão política de um governo ultraconservador e ridiculamente insuficiente.

Palavras-chaves: Cotidiano; Paulo Freire; Comunidade; Midiatização; Tragédia; Catarse; Educação.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/33330

Eloísa Fátima Figueiredo Semblano Gonçalves

Educação e Comunicação: Diálogos sobre interação mediada por mídias digitais no cotidiano escolar

Orientador: Alexandre Farbiarz

Resumo: Esta tese busca compreender a relação entre Educação e Comunicação, com foco nas interações mediadas pelas mídias digitais no cotidiano escolar. Como fio condutor, apoiamo- nos nos estudos freireanos, no que tange à interlocução dos processos comunicacionais com as interações que ocorrem entre educadores e educandos nas salas de aula. Analisamos a comunicação em uma perspectiva relacional, que visa o entrecruzamento de sujeitos, linguagem (ou discurso) e contexto sócio histórico, com aporte teórico em José Luiz Braga (2016), Vera França (2016) e Luiz C. Martino (2016). As contribuições neste campo nos remeteram à formação das subjetividades na atual sociedade em processo de midiatização (FAXINA; GOMES, 2016) e da lógica da mídia (HJARVARD, 2015) que penetram no cotidiano escolar. Para os estudos do cotidiano utilizamos como base teórica Agnes Heller (2008 [1970]) e Henry Lefebvre (2006 [1974]), além dos estudos de Bernadetti Gatti (2012) sobre o cotidiano escolar. Nossas referências metodológicas são os teóricos Michel Thiollent (1986), Antonio Chizzotti (2003) e Cicilia Peruzzo (2003) e o método de análise teve aporte em Laurence Bardin (2011 [1977]). Como resultado, a pesquisa nos fez compreender as mídias digitais como gêneros do discurso nas interações entre educadores e educandos no cotidiano das salas de aula na medida em que se constituem em significação no diálogo estabelecido entre os interlocutores, ultrapassando a dimensão instrumental dos meios. Para sustentar esta tese, baseamo-nos no conceito de gêneros do discurso de Bakhtin (2015 [1979]) e na abertura conceitual de Irene Machado (2014) acerca dos estudos da formação discursiva no campo da comunicação mediada pelas mídias digitais.

Palavras-chaves: Educação; Comunicação; Cotidiano escolar; Mídias Digitais; Gêneros do discurso; Linguagem.

Link: http://app.uff.br/riuff/handle/1/27769

Fernanda Ângelo Costantino

“Do amor ao match”: como aplicativos de relacionamento inauguram um novo elemento na formação de laços eróticos afetivos

Orientadora: Renata de Rezende Ribeiro

Resumo:Como os aplicativos de relacionamento se inserem na dinâmica dos encontros amorosos? Como surge uma nova forma midiatizada de se relacionar? Esta tese tem como hipótese o surgimento de um novo elemento na formação de laços eróticos afetivos e o surgimento de uma nova dinâmica de socialização para os relacionamentos amorosos a partir dos aplicativos, o qual classificamos como o match. A dinâmica do match, interação disponível em tais programas e que corresponde à combinação entre dois pretendentes, traduz essa nova forma de encarar os encontros amorosos baseada na cultura de consumo e consolida a influência da midiatização no processo de reconhecimento e linguagem dos relacionamentos amorosos. A partir da observação e análise de 100 perfis nas plataformas Tinder e Happn e de 86 entrevistas semiestruturadas com usuários desses aplicativos de relacionamento, pudemos constatar que esta nova dinâmica para os encontros amorosos se baseia na busca constante por novas e infinitas possibilidades. Os usuários de tais programas utilizam suas ferramentas de forma híbrida entre a busca por relacionamento sério e a abertura para encontros casuais, fazendo com que as interações sociais presentes nos aplicativos conversem com dinâmicas da atual sociedade de consumo, entre elas o descarte, a velocidade, a objetificação e o fluxo constante de novidades e informações. Para este trabalho utilizamos como base bibliográfica autores como Giddens (2002), Bauman (2004), Illouz (2011), Tucherman (2019), Heller (2008), Berger e Luckmann (2004), Hjarvard (2012) e material bibliográfico especializado em aplicativos de relacionamento, como Figueiredo (2016), Miskolci (2017), entre outros. Por fim, o trabalho traz ainda uma proposta de conceituação para os aplicativos de relacionamento e para o match, propondo um diálogo entre as relações estabelecidas nos aplicativos e a forma como o cotidiano e a cultura de consumo perpassam essas novas formas de encontros.

Palavras-chaves: Midiatização. Cotidiano. Cultura de consumo. Relações amorosas. Aplicativos de Relacionamentos.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/33331

Max Milliano Tolentino Melo

O reality show e a midiatização do homem comum: um jogo de emoções no Big Brother Brasil

Orientadora: Denise Tavares da Silva

Resumo:Este trabalho examina a relação entre reality shows e a midiatização do homem comum, usando como estudo de caso as edições 20 e 21 do Big Brother Brasil (BBB). Valendo-se de procedimentos metodológicos que incluíram a pesquisa bibliográfica, a análise de momentos- chave do programa, a arqueologia da mídia e a discussão da fortuna midiática sobre o tema, a tese tem como objetivo principal compreender como o BBB se configura como um jogo, onde participantes e público interagem sob a influência de um sistema de crenças e valores que privilegia o homem comum. Este é caracterizado por uma estética de autenticidade, visão mágica da realidade, negação da razão iluminista e tem o senso comum como forma de conhecimento. Além disso, argumenta-se neste trabalho, que a relação do público com o BBB é marcada por elementos emocionais, ancorados em ideias, discursos e práticas politicamente engajados. O percurso investigativo que nos permitiu estabelecer essas asserções iniciou pela discussão sobre o conceito de reality show e a sua relação com o público brasileiro. Tendo como referência as características estruturantes deste gênero audiovisual, bem como o protagonismo da vida privada na construção da cultura brasileira, destacamos o papel especial dessas produções no atual cenário político e social do país. Um papel que se adensa a partir do aprofundamento do processo de midiatização da cultura (HJARVARD, 2014, 2015) experienciado no Brasil nos últimos anos. Em seguida, direcionamos nossas reflexões para o personagem fundamental deste tipo de programa: o homem comum (MARTINS, 2008, 2020a, 2020b). Buscamos explorar como este conceito apresenta-se como um espaço de disputas, sendo acessado de formas distintas a depender do contexto político, incluídas aí as questões de gênero que o termo carrega. Discutimos como este indivíduo se relaciona com a lógica alienante do cotidiano (KOSIK, 1976; HELLER, 2014) de forma ambígua, e investigamos como a relação emocional que o BBB desenvolve com o público abre espaço para que, eventualmente, o programa rompa com tal alienação e se constitua como um espaço que canaliza levantes (BUTLER, 2017; DIDI-HUBERMAN, 2017). A construção desse diagnóstico implicou, nessa tese, construir uma trajetória que considera o Big Brother Brasil um programa de televisão e peça de entretenimento, mas evidenciando sua relação não apenas com a cultura brasileira e o contexto social em que se insere, como também suas possibilidades de funcionar como instrumento político de causas não-alinhadas com as expectativas óbvias da produção, sobretudo em um momento de crise política, sanitária e social no qual o nosso corpus se insere.

Palavras-chaves: Cotidiano; Homem comum; Midiatização; Reality show; Emoções.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/33332

Pedro Henrique Conceição dos Santos

O mito da publicidade antirracista ou sobre o capital de representatividade: por outra ética publicitária

Orientadora:  Ana Paula Bragaglia

Resumo:A partir dos anos 1980, as representações de pessoas negras na publicidade começam a sair de papéis de subalternização e começam a ocupar outros lugares, como aponta Dilma de Melo Silva. Com a responsabilidade social se tornando uma característica valiosa para o crescimento das empresas, houve a mobilização para que grupos antes ignorados em suas propostas de promoção fossem inseridos para ampliar a representatividade da diversidade. Nesse contexto, nossa pesquisa se propõe a investigar se a publicidade pode assumir um papel antirracista. Francisco Leite defende a existência de uma publicidade antirracista que, historicamente, está sendo construída como uma forma de combate ao racismo nas mídias. No entanto, nossa hipótese é que a publicidade dita antirracista é um conceito inviável devido ao fato de que a Comunicação é uma área que acompanha o capitalismo e o capitalismo se erigiu como sistema econômico dominante, em sua forma insipiente, através do processo de escravização de pessoas negras, ou seja, por meio do racismo. Assim, nosso propósito principal é a investigação das possibilidades de a publicidade ser um meio no qual a luta antirracista pode se propagar e, dessa maneira, avaliar a efetividade do uso do termo antirracista para qualificar um novo tipo de publicidade. Nossos objetivos específicos são: 1) compreender a esfera comunicativa científica, de maneira a pormenorizar como a área se configura como aliada ao capitalismo; 2) situar nossa pesquisa dentro da esfera de Mídia e Cotidiano; 3) apresentar como se deu a ascensão do consumo dentro da cultura contemporânea, apontando como é realizada a pesquisa em consumo na esfera publicitária; 4) discutir sobre o racismo e relacionar sua construção ao estabelecimento das ideias de “humanidade” e “civilização”, advindas da modernidade; 5) traçar um histórico da publicidade sob um ponto de vista negro; 6) realizar estudos de caso para investigar a aplicabilidade do conceito de “publicidade antirracista”. Organizamo-nos metodologicamente através de um ferramental que se formula, majoritariamente, a partir da Teoria Crítica e do letramento racial para compreender as contradições estabelecidas entre a produção publicitária, sua conduta ética e como a luta antirracista se faz presente em suas condições reais e materiais de existência. Para tanto, foram feitos 6 estudos de caso: 1) “Natal da Família Silva” (Perdigão, 2018); 2) Campanhas de O Boticário (2018 e 2020); 3) “Casa de Férias” (trivago, 2019); 4) “O ano que a gente quer” (Avon, 2018); 5) projeto de combate ao racismo e à discriminação de Carrefour Brasil (2020-2022); e 6) campanha em “homenagem” a Kathlen Romeu (Farm, 2021). Como resultados, percebemos a manutenção de padrões baseados no racismo e na difusão de ideias vinculadas ao poder opressor, que se mantém em posição de superioridade devido ao capital de representatividade angariado através da troca estabelecida entre mercado e reivindicações de indivíduos em posição de subalternização.

Palavras-chaves: Capital de Representatividade; Publicidade Antirracista; Ética Publicitária; Mídia; Cotidiano.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/33333

Priscila Seixas da Costa

Midiatização da Lei Rouanet e extinção do Ministério da Cultura: impactos da transição política no Brasil no período 2016-2022

Orientador: Marco André Feldman Schneider 

Resumo:A presente pesquisa tem como objetivo refletir sobre o processo de midiatização da Lei Federal de Incentivo à Cultura, no 8.313, de 23 de dezembro de 1991, conhecida como Lei Rouanet, e os impactos gerados na política cultural a partir da transição política de governo no Brasil, entre 2016-2022, ocorrida desde o momento que o Brasil passa a ser representado por um presidente interino, Michel Temer, após o impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Nesse ambiente de 2018, ao longo do processo pré-eleitoral e logo após a eleição do ex-deputado federal Jair Messias Bolsonaro (candidato do PSL) à Presidência da República, se estabelece o eixo da investigação. Tendo como questão norteadora desta pesquisa o porquê de ter havido um período com uma intensa produção e reprodução de notícias, com sugestiva inclinação à difamação, é disparada contra o setor da Cultura, a ponto de gerar a CPI da Lei Rouanet, aberta em 2016 e concluída em 2017. Inédita em proporções, a midiatização se amplia com requintes de espetacularização, culminando com a extinção do Ministério da Cultura em 1o de janeiro de 2019 após duas tentativas em 2016. Tal fluxo de notícias, alarmando a opinião pública para malversação de verbas, sobretudo por parte de artistas, possibilitou, de início, a neutralização do lugar de fala da classe artística na defesa do instrumento que é a principal alavanca de produção cultural. A classe artística e grande parte da sociedade tornou-se alvo, como num clube de tiro, metáfora para o cerne do pensamento armamentista bolsonarista, de expressiva cobertura jornalística, muitas vezes de veículos da mídia de reputação duvidosa. O bios midiático, como define o estudioso Muniz Sodré, legitima o desmonte da fonte de renda dos trabalhadores da Cultura. Ao ser empossado, Bolsonaro consolida a estigmatização dos seus opositores na classe artística como inimigos a serem desidratados, refletindo no apagamento do setor. Ainda mais forte no uso de tecnologia – no que ficou conhecido como “Gabinete do Ódio”, em paralelo à limpeza do erário público graças à vitória da Operação Lava-Jato, encabeçada pelo juiz Sérgio Moro, a política cultural foi arruinada de forma sem precedentes na História da República. Nesta pesquisa, a análise contempla a midiatização como célula- tronco dos acontecimentos. A análise avança em 2020 por uma pandemia que reconfigura os planos de fraturar a Economia da Cultura de forma irrecuperável. Surgindo a necessidade de salvar vidas também da miséria da fome com a Lei da Emergência Cultural – Lei Aldir Blanc, no 14.017, de 29 de junho de 2020, apresentando novas bases para injeção direta de recursos no setor. Para a produção das análises a base teórica é utilizada a Economia Política da Comunicação, da Informação e da Cultura (EPC), que contribui para o estudo das contradições da Lei Rouanet desde a sua criação. Também para a compreensão do contexto político que evidencia as transformações na política cultural brasileira. Utilizamos de análise documental para abordar leis, instruções normativas, dossiê da CPI da Lei Rouanet, conteúdos veiculados na imprensa e em mídias sociais entre os anos de 2016 e 2018 e observação participante a partir do início da pesquisa, em 2019, até 2022.

Palavras-chaves: Lei Rouanet; Economia Política da Comunicação, da Informação e da Cultura; Midiatização; Mídia e Cotidiano; Política Cultural.

Link: https://app.uff.br/riuff/handle/1/33334

Translate »
Skip to content